TSH x Volvo

6 receitas suecas pra você se aventurar em novos sabores

Por - 24/08/2015

O paladar sueco é, muitas vezes, de lamber os beiços. Outras, porém, de aventurar as papilas gustativas numa gama de sabores exóticos e, na minha opinião, bastante duvidosos.

Há sempre alguém para oferecer uma lasquinha de arenque azedo, uma fatia de pudim de sangue de porco ou um pedacinho de torta de ruibarbo.

O sueco é bastante interessado em culinária. Prova disso são os programas de TV sobre receitas, competições que elegem o chef de cozinha do ano e com crianças e artistas cozinhando.

Desde o fim da primavera, em maio, as churrasqueiras começam a trabalhar e o cheirinho de churrasco domina parques e quintais de norte a sul do país. Não importando se comem carne ou se são vegetarianos, a palavra-chave é qualidade – como tudo que se faz nesse país.

“Se for para fazer, que seja bem-feito.” Esse é o lema que norteia os suecos.

Percebe-se, a cada dia, a presença crescente de produtos ecológicos e orgânicos nas prateleiras dos supermercados. Não à toa, a Suécia é o país que mais consome orgânicos entre todos da União Europeia.

Minha dica é mergulhar na cultura local por meio de seus sabores e provar, sem medo, alguns dos pratos centenários e tradicionalíssimos.

As delícias e os desafios são vários. Mas se você é cético para comidas e prefere apostar nos clássicos, as almôndegas com batata cozida e geleia de lingonberry são bem inofensivas.

Lola Akinmade/imagebank.sweden.se

Surströmmingsmacka
Originalmente produzido em Ångermanland, no norte da Suécia, o arenque azedo, como é chamado, tem um odor sui generis. Uma vez provado, seu sabor jamais será esquecido, acredite. Conservado por fermentação, é um peixe salgado, colocado em latas que, por experiência própria, devem ser abertas ao ar livre.

A tradição diz que a terceira quinta-feira do mês de agosto é a data correta para degustar o Surströmmingsmacka. A razão é simples: era nessa época que, antigamente, o processo de fermentação do peixe ficava pronto. Hoje, ele pode ser comprado em qualquer período do ano, já que a data de validade é longa. E a maneira mais tradicional de prová-lo é sobre uma fatia de tunnbröd, literalmente, pão fino, parecido com uma panqueca. Ou dentro de um pão de tortilha mexicana, lembrando um wrap.

Batata-amêndoa, cebola-roxa crua picada e creme de leite são os ingredientes mais comuns para o acompanhamento. Se o sabor não agradar, tenha por perto o mais antigo aguardente dos vikings, o OP Anderson, criado em 1891.


emmabarremyr.blogg.se

Blodpudding
Sem datas específicas para ser degustado, o pudim de sangue de porco é uma comida simples, barata e pode ser encontrada em qualquer supermercado. Desde os anos 1940, é conhecido como um desses produtos que se tornam populares na lista de consumo sueco em tempos de crise. Nas comunidades agrícolas do começo do século 19, por exemplo, comia-se de tudo;  não se desperdiçava nada. Daí o costume de aproveitar, inclusive, o sangue dos animais.

Para quem tem o  estômago mais sensível, o simples ato de fritar o Blodpudding pode ser uma experiência sofrível – digamos que o aroma do sangue não é muito conhecido para abrir o apetite.

Geralmente o prato vem com batatas cozidas, geleia de lingonberry e, às vezes, bacon. É riquíssimo em ferro e faz parte do cardápio de dez entre dez escolas suecas. Mas, definitivamente, não tem vez na mesa da minha casa.


Jakob Fridholm/imagebank.sweden.se

Rabarberpaj
À primeira mordida, a torta de ruibarbo pode causar arrepios. Mas, quando você se entrega à acidez do gosto e mistura a segunda colherada com creme de baunilha, os sabores se casam na boca e seu umami é ativado. A Rabarberpaj é uma sobremesa típica do verão. Quem mora em casa costuma plantar no quintal. Já os que vivem em apartamentos, mas não abrem mão de ter a própria horta, podem comprar espaço nos chamados ”kolonilotter”, áreas de 75 a 200 metros quadrados espalhadas por vários lugares e destinadas à plantação.

Se você visitar alguma horta sueca, vai ver que o ruibarbo é uma planta comestível bastante popular. Pode ser usada tanto para fazer tortas como sucos e cremes.


titteovergaard.blogspot.dk

Spettekaka

O sueco falado na região de Skåne, no sul do país, requer, em muitos casos, ouvidos mais do que atentos. A pronúncia do nome dessa sobremesa, espécie de bolo de suspiro gigante, vira “spiddekauga”, e é uma das mais famosas especialidades sulistas. De tão levado a sério, o Spettekaka é objeto, inclusive, de competições que elegem o mais bonito suspiro do ano. Muito comum nas mercearias do sul, está entre os produtos com nomes protegidos pela União Europeia. O suspiro só pode ser batizado de Spettekaka se for produzido na região de Skåne. São verdadeiras obras de arte.

Um Spettekaka pode ser preparado em diversos tamanhos. Um de 67 centímetros, considerado king size, pode chegar a custar em torno de 600 reais – valor um pouco salgado para um doce.


Joel Wåreus/imagebank.sweden.se

Sill
É o famoso arenque curado. O Sill vira febre nos mercados suecos na época do Midsommar, festividade que celebra o solstício de verão, em junho. Também é consumido no Natal e na Páscoa.

Normalmente servido cru, os componentes para torná-lo ainda mais saboroso – na opinião dos suecos, que fique claro –, são diversos: ao molho de mostarda, com alcaparras e cebolas-roxas, saboreado com beterrabas cozidas ao ponto. A tradição diz que nunca é demais se ter vários tipos de arenque à mesa. Sempre que sou convidada a passar o Midsommar com alguns amigos, eles já sabem: lá vem a Claudia com um bom salmão assado ou camarões à provençal. Eu e o arenque não somos chegados. Tenho certeza de que já desistiram de flertar com  meu paladar.


Carolina Romare/imagebank.sweden.se

Kräftor
Trata-se de uma minilagosta servida na mais popular das festas suecas, a Kräftskiva, no primeiro fim de semana de agosto. Pré-cozida com raminhos de erva-doce e endro, a Kräftor vem acompanhada de pães e torta de queijo. A deliciosa torta é preparada com queijo västerbotten, fabricado na região de mesmo nome, ao norte do país.

Os crustáceos são bastante pequenos e não há muito o que comer. Mas são bem gostosos! Se você for convidado para uma Kräftskiva, leve suas próprias lagostinhas e acompanhamentos. A ideia é fazer um get together e cantarolar cantigas suecas como a típica Helan går”. Os hits desse banquete são os mais variados. Geralmente, a trilha sonora é recheada de canções famosas do Melodifestivalen, competição musical organizada anualmente pelo SVT, canal estatal da televisão sueca.


smorgasbaren.se

Smörgåstårta
Criada pelo confeiteiro Gunnar Sjödahl em 1965, é uma torta servida em aniversários, casamentos ou em festas de graduação escolar. Esse é, decididamente, um hit culinário do verão sueco. É feita com pão de forma, em camadas alternadas com recheios de maionese com atum, camarão ou salmão defumado, que são os ingredientes mais populares. Mas a Smörgåstårta pode ser coberta e recheada com o que você tiver na geladeira.

 

bannersponsoredvolvo

Populares