diversão & arte

Guia pra curtir São Paulo ao ar livre e sem gastar muito: 29/3 a 4/4

em parceria com

Por The Summer Hunter Staff -

A nossa definição de sofisticação foi atualizada. O sofisticado está nas coisas simples, na festa de rua, nas rodas de amigos, no olho no olho, no boteco do coração, em gastar o justo na hora de se divertir. É nisso que a gente acredita. E é nisso que a Aperol também acredita. Por isso nos juntamos a ela para trazer, todas as semanas, sempre às quintas, as melhores dicas de festas e eventos que prezam pela música boa, galera bacana e vibe democrática. Vem com a gente que a diversão está garantida.

SHOWS

bar-xango_reproducao
Bar do Baixo (Foto: Reprodução/Facebook)

O túmulo do samba não é aqui

Não é só durante o Carnaval que São Paulo prova que não é mais aquela que Vinicius de Moraes chamou de túmulo do samba 60 anos atrás. Aqui, tem batuque o ano todo – e não ficamos devendo em qualidade aos vizinhos cariocas. O feriado da Páscoa e o começo de outono que ainda sopra uma brisa de verão parece ter inspirado o cavaco e o pandeiro. Nos próximos dias, as ruas da cidade vão ser tomadas por rodas de samba e chorinho, com aquele clima de bebida na mão, em pé na calçada, cantando com os amigos.

O bar Xangô, que organiza um chorinho de primeira toda terça, faz uma edição especial pré-feriado nessa quinta. A roda é montada em uma mesa de madeira na calçada da rua General Jardim, no centro, e o pessoal se reveza em torno da música, nas mesas ao lado ou no parklet ali em frente. Quando os músicos recolhem os instrumentos para não perturbar os vizinhos, o chorinho segue para a Gruta, um porão na Rua Major Quedinho. Uma dica: passe na lanchonete do Estadão, no mesmo quarteirão, para comer uma coxinha de pernil enquanto a roda migra para lá.

bar-do-baixo_reproducao
Bar do Baixo (Foto: Reprodução/Facebook)

No bar do Baixo, em Pinheiros, o samba está marcado para sexta. Quem comanda a roda são os Prettos, dupla formada pelos irmãos Magnu Sousá e Maurilio de Oliveira, que por 18 anos fizeram parte do Quinteto em Branco e Preto e fundaram o projeto Comunidade Samba da Vela. Mas não é só no feriado que o som rola por lá. Samba e chorinho estão sempre na programação do bar, que fica tão movimentado do lado de dentro quanto do lado de fora – nos finais de semana, a festa não cabe na calçada e toma a pequena rua Belmiro Braga.

Em uma esquina nos Campos Elísios fica o Boteco da Dona Tati, que tem roda marcada na sexta e no sábado. Sexta é dia do Samba da Valdinéia, grupo formado pelos sambistas Cadu Ribeiro, Gregory Andreas, Renato Enoki, integrantes do Trio Gato com Fome, ao lado de Paulinho Timor e Paula Sanches. No sábado quem toca por lá é o conjunto Nervos de Aço, que privilegia compositores paulistas no repertório, além de suas composições autorais.

boteco-dona-tati_cred-Fernando-Eduardo
Boteco da Dona Tati (Foto: Fernando Eduardo)

Última sexta do mês também é dia de Samba do Bule, grupo que desde 2007 homenageia a cultura popular através da música. Dessa vez, eles se apresentam no Clube Da Comunidade Nacional do Bom Retiro, bairro onde fica a sede do projeto. No domingo, para fechar o feriado com chave de ouro, tem o tradicional Samba do Sol, que monta a roda cada vez em um lugar da cidade, sempre de graça. O Mundo Pensante, no Bixiga, é a casa desse final de semana.

Tem clima melhor para ir para as ruas beber um Aperol?

Xangô
Endereço:
Rua General Jardim, 65, Vila Buarque

Bar do Baixo
Endereço:
Rua Cardeal Arcoverde, 1574, Pinheiros

Boteco da Dona Tati
Endereço:
Alameda Eduardo Prado, 129, Campos Elíseos

Samba do Bule no Clube Da Comunidade Nacional do Bom Retiro
Endereço:
Rua Anhaia, 1239, Bom Retiro

Samba do Sol no Mundo Pensante
Endereço:
Rua Treze de Maio, 830, Bixiga


ju-ara-mar-al_divulgacao_Jos--de-Holanda
Foto: José de Holanda/Divulgação

Macumbas e Catimbós convida Juçara Marçal e Douglas Germano

A Casa de Francisca, localizada em um edifício histórico no coração da cidade de São Paulo, é um dos endereços mais incríveis da cidade. Além da arquitetura impressionante, a curadoria musical do lugar é tão incrível que dá para arriscar aparecer nos shows da casa sem nem saber o que vai tocar por ali. Não é o caso do evento desse sábado, com apresentação do projeto Macumbas e Catimbós, da compositora, cantora e percussionista Alessandra Leão. Com repertório dedicado a ritmos de rituais de candomblé, como umbanda e babassuê, o show tem participações especiais da incrível Juçara Marçal e do sambista Douglas Germano.
Data: Sábado (31/03) | Hora: 22h | Preço: R$ 35 | Endereço: Casa de Francisca. R. Quintino Bocaiúva, 22, Centro.

porao-da-casinha

Porão da Casinha

O recém-lançado selo Casa da Árvore, que tem pouco mais de um mês de vida, nasceu com a proposta de fortalecer a música independente paulistana, além de promover eventos pela cidade para a sua divulgação. Basicamente, é o que há de mais novo em termos de música na cena de São Paulo. Se você ficou curioso, será possível conferir os artistas representados pela Casa no primeiro evento realizado pela gravadora, na casa que funciona como sede do selo. Lá, se apresentarão na faixa no sábado as bandas de shoegaze/noise Homem Invisível, a Meyot, que mistura influências baianas e paraenses trazidas pelos seus integrantes, e o projeto voz e violão Chon, da artista Priscila Jung, ex-vocalsta da Readymades.
Data: Sábado (31/03) | Hora: 16h | Preço: Grátis | Endereço: R. Correia de Lemos, 131, Saúde


FESTAS

ODD_reproducao
Foto: Reprodução/Facebook

ODD na Casa das Caldeiras

Completando três anos nesse final de semana, a ODD sempre foi a queridinha dos produtores da noite paulistana. Conhecida pelo seu trabalho sério de pesquisa musical e pelas apresentações ao vivo que promove, o projeto faz parte da leva de festas de música eletrônica que deixou os ambientes de clubes e baladas para ocupar as ruas e espaços outrora degradados, assim como as festas Metanol e Mamba Negra. Na edição gratuita na Casa das Caldeiras, a programação tem atrações especiais como o show da Mc Linn da Quebrada. Completam a festa sets ao vivo dos DJs TYV e Akin/Non Exist, show de luzes das Irmãs Lumièrra e performances da artista Angela CARNEosso.
Data: Domingo (01/04) | Hora: 15h | Preço: Grátis | Endereço: Casa das Caldeiras. Av. Francisco Matarazzo, 2000, Água Branca

forro--na-escadariapq
Foto: Reprodução/Facebook

Forró na Escadaria do Bixiga

É no visual bacana cheio de grafites da escadaria a céu aberto no bairro do Bixiga que a banda de forró Severina e os Xique-Xiques se apresenta neste domingo. Trata-se da terceira edição do Forró na Escadaria, projeto organizado pelo grupo que leva clássicos do ritmo para os finais de tarde paulistanos. O clima é bem democrático e ninguém tem vergonha de dançar por ali, portanto não se acanhe em arriscar alguns passos. O evento é gratuito, mas os artistas aceitam e agradecem colaborações no chapéu que é passado durante a festa.
Data: Domingo (01/04) | Hora: 17h | Preço: Grátis | Endereço: Escadaria do Bixiga, em frente à Praça Dom Orione, Bela Vista

Balsa-3
Foto: Divulgação

Compacto na Balsa

Não é exagero dizer que o veterano DJ Marky é um dos maiores nomes do drum’n’bass do mundo. Com mais de 20 anos de carreira, ele já figurou nas paradas de músicas mais tocadas no Reino Unido, além de ter trabalhado com gente como Fatboy Slim e Deadmau5. Nesse sábado você tem a oportunidade de conferir a curadoria de funk, soul e disco em vinis de 7 polegadas que o cara produz há três anos para a festa Compacto, que rola na Balsa, um rooftop no centro de São Paulo que só organiza eventos legais. O lugar é um espaço de encontros e tem uma programação com festas, cursos, muita música e poesia. Chegue cedo porque a música rola durante a tarde e a Balsa fecha lá pelas 22h.
Data: Sábado (31/03) | Hora: 15h | Preço: R$ 28 | Endereço: Balsa. R. Capitão Salomão, 26, Centro

Foto de abertura: ODD/Reprodução