viagem

De Corvette conversível pela costa da Califórnia na mítica Highway 1

Por Ricardo Moreno -

Para viver uma das experiências mais extraordinárias na Califórnia é preciso paciência. Cruzar o estado de norte a sul, de carro, pela cinematográfica Highway 1, de onde se tem uma das vistas mais impressionantes do Pacífico, é algo para se fazer com tempo, parando aqui e ali, em algumas das várias cidades com muitas atrações pelo caminho.

Interditada desde maio de 2017 por causa de um deslizamento, a estrada foi reaberta, finalmente, na semana passada. E para marcar a reinauguração, uma caravana de mais de 80 carros percorreu um trajeto de cerca de 220 quilômetros, começando no autódromo de Laguna Seca, em Monterey, até Morro Bay, em San Luis Obispo.


O evento foi grandioso - havia ao menos um automóvel fabricado em cada um dos últimos 84 anos: de 1934, quando a estrada ficou pronta, um Ford Phaeton impecável, a 2018, marcado por um silencioso Tesla elétrico.

Ford Phaeton 1934
Ford Phaeton 1934

Para fãs de carro, foi uma chance de rodar pela mítica estrada a bordo de exemplares de colecionador, muitos deles impossível de se encontrar nas ruas. Para pessoas como eu, que não entendem absolutamente nada do assunto, foi a possibilidade de aprender um pouco e aproveitar um típico dia de verão californiano. Aquela manhã com neblina até o sol surgir e começar a esquentar um tanto.

O The Summer Hunter ficou com um Corvette ZR-1 conversível fabricado em 1991. Era o mais veloz da época e podia chegar a 160 milhas (257 quilômetros) por hora. Meu motorista, o Erik Robinson, vice-presidente da Automobile Club Southern California, comprou o carro pela internet, no fim de 2017, para dar de presente ao pai, outro apaixonado por motores antigos. “Nem vi ao vivo. Acreditei no vendedor e mandei entregar”, me contou. Pagou 20 mil dólares. “Uma pechincha”. Fizemos todo o trajeto de capô aberto, ao som de bandas dos anos 1990: Nirvana, Soundgarden e Smashing Pumpkins. Nice!

Corvette ZR-1 1991
O nosso Corvette ZR-1 1991 conversível

Nossa primeira parada foi um brunch em Big Sur, no Ventana Big Sur, que tem uma vista espetacular para o mar. De volta à estrada, seguimos em comboio rumo ao sul. Apesar do ritmo ‘easy going’, vez ou outra o Erik mostrava porque um Corvette é sempre um Corvette (mesmo para mim, que não sei apontar a diferença entre um pistão e um carburador) e esticava a terceira marcha até atingir umas 100 milhas, ou cerca de 160 km/h. Com uma vantagem: como a estrada estava praticamente fechada para nós, não havia o risco de ninguém ser multado.

A Highway 1 — ou Pacific Coast Highway ou State Route 1 — é a maior e mais famosa estrada costeira dos Estados Unidos. A outra é a Rota 66. Tem 1055 quilômetros extensão e uma vista dramática do Pacífico, ora do alto de penhascos, ora rente ao mar azul e gelado dessa região.

Não são poucos as músicas e filmes que foram buscar inspiração na SR-1, como ela é oficialmente chamada. Em 1969, Burt Bacharach lançou a sexy “Pacific Coast Highway”. Também prestaram homenagem The Beach Boys, Sonic Youth, os barbudos do ZZ Top e, mais recentemente, em 2010, o produtor francês Kavinsky, entre tantos outros.

Ouça a seleção que fizemos com músicas inspiradas na PCH:

O dia chegava na metade quando fizemos a segunda e última parada, desta vez no Hearst Castle. O castelo foi erguido nos anos 1940 sob encomenda do magnata das comunicações William Randolph Hearst, cuja editora leva o seu sobrenome e (ainda) publica revistas em todo o mundo. O imóvel principal tem 165 quartos e duas piscinas rodeadas de esculturas em mármore. Um exagero kitsch. William morreu em 1951 e, três anos depois, o endereço se tornou um parque estadual. Hoje é um dos principais pontos turísticos da Califórnia.

Depois de 220 km de chão, chegamos ao nosso destino: uma festa na areia ao pé da Morro Rock, no cantinho da praia de Morro Bay, com o sol se pondo no horizonte. Enquanto os carros formavam um círculo em torno da gente, uma banda tocava hits californianos do passado: "Sometimes I realize my days are getting on / Sometimes I realize it's time to move along/.../ Sunlight's fading and there's not much left to say".

Agradecimento: Visit California
Crédito das fotos: Visit California/Divulgação