Música

Ibeyi no Brasil: Cuba muito além do Buena Vista

Por - 13/10/2016

A miscelânea de referências da dupla Ibeyi vai muito além do que costuma ser encontrado em sites e revistas musicais.

O universo das franco-cubanas Lisa-Kaindé e Naomi Diaz começa com a influência inegável do que seria a essência da música do país – é que o pai das gêmeas era Miguel “Angá” Diaz (1961-2006), percussionista do mítico Buena Vista Social Clube.

O nome Ibeyi também é um exemplo do universo particular da dupla. O termo, em iorubá, significa “gêmeos” e traz toda a bagagem cultural e religiosa africana que elas cantam como poucas, em homenagem aos orixás da Santeria e do Candomblé.


No início da adolescência, as irmãs foram morar na França e o olhar fresco e jovem ampliou ainda mais as possibilidades musicais das duas ao incorporarem beats eletrônicos de forma extremamente elegante, em meio aos vibrantes toques de cajón e batidas típicas de hip-hop.

Tantos elementos, em princípio bastante incongruentes entre si, resultam em um som sutil, mas ao mesmo tempo forte, com uma atmosfera enigmática e encantadora, assim como as duas.

A autenticidade de Lisa e Naomi não deixa espaço para comparações com absolutamente nada do que existe por aí, fazendo com que elas estejam muito além dos exotismos característicos de artistas da world music, apresentando a música e cultura cubanas como nunca antes vista – não a toa, elas foram convidadas por Karl Lagerfeld para abrir o desfile histórico da coleção Cruise 2017 da Chanel, em maio deste ano, em Havana.

Para a sorte do público brasileiro, a dupla já está no Brasil para dois shows, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

São Paulo
13/10 @ Audio Club: 21h00
Av. Francisco Matarazzo, 694, Água Branca
R$ 60 (meia) e R$ 120 (inteira)

Rio de Janeiro
15/10 @ Circo Voador: 22h00
Rua dos Arcos s/nº, Lapa
Abertura com Jaloo
R$ 60 (meia) e R$ 120 (inteira)

Populares