diversão & arte

O lado B da folia no Rio de Janeiro pelos olhos de Luiza Brasil

Por The Summer Hunter Staff -

Da Penha ao Leblon, em menos de um mês andar pelas ruas do Rio será tarefa quase impossível. O aumento de pessoas – boa parte fantasiadas, cobertas de glitter ou de qualquer outro material brilhante que dificilmente sairá do corpo antes do inverno – anuncia a chegada do evento mais importante do ano: o Carnaval.

Está planejando passar os dias de folia no Rio de Janeiro mas quer fugir do lugar-comum? Fica tranquilo que a gente te dá o caminho das pedras. Braço direito de Costanza Pascolato e um dos olhares mais afiados para descobrir tendências antes de serem tendência, Luiza Brasil deu 5 dicas de onde ir (entre blocos, festas e botecos) para se sentir the coolest kid in town durante os dias de festa.

OLHO NELE

Novíssimo, o bloco Charanga Talismã surgiu espontaneamente durante o Carnaval carioca do ano passado – mais especificamente nas ruas da Glória. O cortejo faz um som que mistura instrumentos de sopro com outras brasilidades. Neste ano, segue como nasceu: espontâneo. Só dá para saber quando e onde vai passar durante o feriado e conversando com pessoas que frequentam a cena alternativa. Dica: se estiver pela Glória, é mais fácil pegar o bloco andando.


SOLTE SUAS FERAS

Apesar de ter entrado este ano no calendário oficial de blocos do Rio, o Amigos da Onça é sempre muito especial. Criado em 2012, desfilava, até então, espontaneamente arrastando um público composto por até 5 mil pessoas – o que é bem pouco, se comparado aos gigantes Sargento Pimenta e Cordão da Bola-Preta, por exemplo. “Deve aumentar, pois já virou um grande acontecimento, mas é um evento ‘tem-que-ir’”, diz. O dress-code e a vibe continuam os mesmos: onças e outros felinos dançantes ao som de um repertório que vai de marchinhas ao axé (autorais ou não), dominam as ruas. Mas, agora, já é possível anotar o dia e horário. Mas fique atento: eles podem mudar tudo de última hora, como é de costume!
Terça-feira (13/2), às 17h, saindo da Praça Manoel Bandeira
Quarta-feira (14/2), às 6h, saindo da praia do Flamengo
amigosdaonca.com
@blocoamigosdaonca


RECÉM-CHEGADO

Como diz o nome, o Bloco das Tubas é o primeiro a fazer música apenas com tubas. Surgido em 2016, tem desfilado entre Santa Teresa e Glória. “É bem pequeno, mas muito bacana, sempre colorido e com uma vibe ótima”, diz Luli. Assim como o Charanga, está fora do calendário oficial de blocos, portanto, só dá para saber em cima da hora.
facebook.com/blocodastubas
@blocodastubas


HYPE DO HYPE

Empreitada dos jornalistas Millos Kaiser (@milloskaiser) e Augusto Olivani (@trepanado), a Selvagem nasceu há seis anos como uma festa só para amigos da dupla e virou um fenômeno itinerante. Tanto que o baile de Carnaval já é um clássico. Para conseguir entrar é preciso ficar atento e conhecer as pessoas que estão por dentro, já que o lugar só é divulgado no próprio dia da festa – que, este ano, acontece no sábado, 10. “É no boca a boca mesmo, um conta para o outro onde vai ser e as pessoas aparecem direto dos blocos”, diz Luiza. “É o fervo máximo em termos de festa. Onde a galera mais bacana do Carnaval e da noite carioca e paulistana se encontra”. Também dá para tentar a sorte e vasculhar informações pela página da festa no Facebook e Instagram (além de acompanhar outros fervos previamente anunciados do duo).
facebook.com/festaselvagem
@festaselvagem


LARICA SHOW

Dizem que nem tudo é festa, mas a gente acha que é, sim. De qualquer forma, o Carnaval é uma época em que nos alimentamos pouco e mal. Para repor as energias e seguir belíssimxs para o próximo bloco, Luiza indica o boteco Tacacá do Norte, no Flamengo. Fã da culinária nortista, ela sugere pedir o tacacá, claro, a casquinha de siri e finalizar com o açaí. “Não tem erro, dá para aguentar o fervo todo depois de passar por lá”.
R. Barão do Flamengo, 35 R, Flamengo

Foto do abre: Chico Cerchiaro