cenoura & bronze

Mariana Bueno e Renato Spiritus: juntos, eles encontraram seu lugar ao sol

Por Rafael Andery -

Foram duas décadas e mais de 30 carimbos no passaporte até que o casal Mariana Bueno e Renato Spiritus encontrasse seu lugar ao sol. Eles nasceram a apenas alguns metros de distância um do outro, em Ilhabela, um município de pouco mais de 30 mil habitantes localizado no litoral norte de São Paulo. E foi para lá que eles voltaram, depois de rodar milhares de quilômetros ao redor do globo, para continuar a história de amor que começou naquela mesma ilha.

Renato e Mariana se conheceram quando ela tinha 10 anos de idade. Ele tinha 17 e era assistente do consultório odontológico que ela frequentava. Não foi amor à primeira vista. No ano seguinte, ele deixou a praia e se mudou para São Paulo para fazer faculdade. “Foi meu primeiro contato com a cidade grande. Não me adaptei de jeito nenhum àquela rotina de trânsito, correria e pressão. Abandonei o curso e resolvi morar fora. Tinha um sonho de surfista que era conhecer a Austrália”.

Mariana Bueno e Renato Spiritus

A perspectiva de uma vida com sabor do mar e debaixo do sol, contudo, teve que ser adiada por alguns meses. Com o dinheiro que tinha juntado, conseguiu chegar até Londres, na Inglaterra, onde viveu por seis meses até embarcar para a Austrália. “Morei três anos lá e passei um tempo a bordo de um barco de um brasileiro que estava dando uma volta ao mundo. Foi uma coisa inacreditável. Quando voltei para o Brasil, estava decidido a me tornar capitão”. Depois de quase sete anos, Renato retornava à Ilhabela. “Já tinha vivido as experiências e aventuras que eu queria”.

Mariana, contudo, estava apenas começando as dela. Enquanto ele voltava, ela ia. Dezoito anos recém-completos, foi morar na Nova Zelândia, no mesmo continente onde Renato vivera até então. “A gente se desencontrou. A Ilhabela era um lugar pequeno, então todo mundo sentia a necessidade de viver fora, conhecer o mundo”. Acabou, literalmente, entrando de gaiata num navio. “Morei quase dois anos em um barco”, lembra. “A verdade é que fui percebendo que nunca me adaptaria a trabalhar em um escritório, batendo cartão”.

Mariana Bueno e Renato Spiritus
Mariana Bueno e Renato Spiritus

Nem precisou. Quando voltou para Ilhabela, depois de cerca de três anos, reencontrou Renato, o assistente de dentista que havia conhecido uma década antes. Foi uma paixão imediata e, depois de um ano, já haviam se casado. Mas continuaram buscando seu lugar ao sol. A vontade de conhecer o mundo ainda estava lá. Dessa vez, içaram vela juntos. Transportavam veleiros particulares de um porto para o outro. Uma semana no Caribe, outra no Mediterrâneo, o tempo foi passando. Ainda assim, faltava alguma coisa. Era a Ilhabela.

Voltaram para o lugar de onde saíram tantas vezes, dessa vez, definitivamente. Mariana aproveitou o cenário paradisíaco de Ilhabela para montar uma assessoria de casamentos. As praias do município são concorridas para a realização de cerimônias ao pôr-do-sol. Já Renato, quando não está surfando, praticando kitesurfe ou canoa havaiana, ataca como ator, já tendo atuado em diversas peças publicitárias e duas séries de televisão.

“A gente poderia ter ficado morando na Europa, mas Ilhabela tem uma energia muito louca”, diz Mariana. “Depois de viajar por quase quarenta países a gente percebeu que a Ilhabela é nosso berço. Não encontramos essa energia em lugar nenhum e não nos imaginamos criando nossa família fora daqui”, conta Renato. Depois de tantos quilômetros e história, Mariana e Renato encontraram seu lugar ao sol. Um ao lado do outro.

Fotos: Bárbara Magri/Raval Filmes