comer & beber

No país mais igualitário do mundo, Titti Qvasrnström é a primeira chef mulher a ganhar uma estrela Michelin

Por Ricardo Moreno -

Head chef do restaurante Bloom in the Park, na cidade de Malmö, na fronteira da Suécia com a Dinamarca, Titti Qvarnström, 35 anos, foi a primeira mulher na história da gastronomia sueca a ganhar uma estrela Michelin. “É uma espécie de troféu ou tiara para ser vestida e mostrada em ocasiões especiais”, diz.

A premiação, que aconteceu em fevereiro deste ano, também reconheceu outros dois restaurantes da redondeza: o Ambiance Vindåkra e o Vollmers, ambos comandados por homens.

Nascida e crescida em Malmö, Titti define a Suécia como uma país único, onde pode colher as próprias ervas e vegetais frescos e tem uma vasta disposição de ingredientes que não encontra em outros locais do mundo.

Confira a conversa que tive com ela.

Por onde você passou até chegar aqui?
Estudei no Copenhagen Hospitality College, mais conhecido como Hotel-og Restaurantskolen, em Copenhague, e trabalhei nos restaurantes Aura e Viva, ambos em Copenhague, e no Paris-Moskau e no Rutz, em Berlim.

No Bloom in the Park não há um menu fixo nem mesmo para os vinhos. Poderia explicar como isso funciona e com qual frequência o cardápio muda?
Trabalhamos constantemente com o conceito da surpresa,a começar pela arquitetura do restaurante. Logo na entrada ele convida para um mundo totalmente diferente. Todas as comidas e bebidas são servidas às escuras, sem dicas. Encorajamos nossos convidados a falar e tentar descobrir o que estão comendo e bebendo. O menu é trocado dinamicamente de acordo com a disponibilidade de produtos, a temporada e meu humor.

bloom in the parkFoto: Christoffer Lomfors

Apesar de a Suécia ser um dos países mais igualitários do mundo, nunca antes uma chef mulher havia ganhado uma estrela Michelin. Por que você acha que isso demorou tanto?
Essa é uma pergunta complicada, e não sei se tenho uma boa resposta. Mas realmente acho bizarro, quase irreal, que passou quase minha vida inteira profissional até que uma mulher ganhasse essa estrela. Provavelmente é um problema social que ninguém se importa, mas fica mais exposto no mundo da gastronomia. O fato é o seguinte: homens contratam homens e mulheres contratam homens. Ou seja, quem é que vai contratar mais mulheres?

E o quão importante é um prêmio como esse para a carreira de uma chef?
A estrela Michelin é um troféu ou uma tiara para ser vestida e mostrada em ocasiões especiais. Num período mais longo, serve como reconhecimento em um mercado tão duro e competitivo. Particularmente, para mim, devo admitir, é um orgulho imenso ter ganhado.

Em todo o mundo as pessoas têm demonstrado crescente preocupação com a origem e os métodos de produção dos alimentos. Você sente isso com seus clientes?
Sim, e isso é ótimo. Para mim, é essencial saber a procedência, como foram plantados, colhidos e o que os alimentos contêm. A comida tem um impacto tremendo em nosso corpo e no meio ambiente. É uma responsabilidade nossa, portanto, saber exatamente seus métodos de produção.

bloom in the parkFoto: Miriam Preis

E de onde vêm os ingredientes utilizados no Bloom in the Park?
Tento utilizar apenas produtos locais, em sua maioria vindos da província de Skåne e dos arredores de Malmö.

Se dissessem que hoje seria seu último dia na Terra, qual seria a sua última refeição?
Os vegetais que eu mesmo planto com algumas frutas frescas.

Qual é sua ideia sobre luxo?
No meu caso, ter produtos direto da fonte, animais saudáveis e felizes na fazenda e um mercado mais justo e sustentável.

O que um país como a Suécia oferece para um profissional da gastronomia que outras partes do mundo não têm?
Aqui temos produtos únicos e a possibilidade de colhermos nossas próprias ervas, temperos e frutas.

Durante uma entrevista para o site The Talks, o ator sueco Stellan Skarsgård disse: “Vivo na Suécia porque os impostos são maiores, não há gente passando fome, o serviço de saúde é bom e escolas e universidades são gratuitas. É um país civilizado e eu gosto disso”. E para você, quais são os valores suecos que mais lhe atraem?
Viva e deixe viver [live and let live, em inglês].

Descreva um dia ideal de verão na Suécia.
Cerca de 20o C de temperatura e uma chuvinha fina fazem o dia ideal para crescer e colher cogumelos selvagens e berries. Isso é um dia perfeito para mim!

bannersponsoredvolvo