tendência

Preocupação sueca em incentivar e perpetuar o uso de bikes pode inspirar São Paulo

Por Claudia Nascimento -

É inútil procurar avisos ou placas: não há retorno da liberdade. Pelo menos não na Suécia, onde quem se atreve a provar os benefícios das bicicletas se pega em uma via de mão única, que leva não de A a B, mas do papel limitante de espectador para o meio do cenário, no qual é possível ser protagonista da paisagem.

Só na capital Estocolmo, os usuários dispõem de 762 quilômetros de ciclovias/ciclofaixas – nada mau para uma cidade de pouco mais de 800 mil habitantes. Pontos de aluguel de bikes e bombas fixas para pneus estão em locais estratégicos do município, tudo disponível 24 horas por dia.

bicicleta-estocolmo-1

A fama de país das bicicletas cresce à medida que novos modelos e invenções vão ganhando as ruas – a Volvo, aliás, também criou moda lançando o Life Paint, uma tinta em spray que brilha no escuro – e novas ações são colocadas em prática, como fez a empresa ferroviária SJ, que disponibilizou lugares especiais para o embarque de bicis em seus trens.

volvo-life-paint-int-7volvo-life-paint-int-6

Quem não tem uma magrela para chamar de sua pode, muitas vezes, pegar uma emprestada da empresa onde trabalha, uma prática bastante comum e disseminada entre as companhias locais. Este ano, até a polícia de Estocolmo aumentou o número de policiais sob bikes.

Os visitantes desavisados não precisam lamentar: alugar uma bicicleta é simples na cidade. A melhor dica, nesse caso, é o City Bikes e seus mais de 140 pontos espalhados por Estocolmo.

Para melhor cutir (e planejar) o rolê, indicamos o site Trafiken, que, por enquanto, está apenas disponível em sueco. Na página, os ciclistas podem calcular o tempo de determinado trajeto e descobrir rotas alternativas.

bicicleta-estocolmo-4Fotos: Simon Paulin/imagebank.sweden.se

Muito criticado por parte da população, o processo de humanização de São Paulo, por meio da presença de ciclofaixas na malha urbana, seria vista por um sueco como uma iniciativa importantíssima. Eles, aliás, talvez pensem que uma metrópole como a nossa já deveria ter apostado no planejamento de ciclofaixas há tempos.

A propósito, vale lembrar que quase todo sueco anda de bicicleta, em qualquer idade. Mas se por algum motivo alguém chegou à vida adulta sem dominar a técnica, não tem crise: a página do Conselho Administrativo de Transportes sueco disponibiliza um manual que rege as leis e as obrigações dos ciclistas, e os inexperientes podem contar com cursos específicos para aprender a pedalar sem medo. Porque a gente até estuda a se equilibrar nas bikes e as regras do jogo, mas ninguém nos ensina a gostar do esporte – isso acontece sem querer.

bicicleta-estocolmo-3

Passo a passo para alugar uma bike em Estocolmo

1-Instruções e preços: http://www.citybikes.se/p/site/user-information
2. Compre o cartão para o aluguel: http://www.citybikes.se/p/undefined/kp-cykelkort
3. Ache um ponto em Estocolmo para alugar a bike: http://www.citybikes.se/p/site/here-are-our-cycle-stands
4. Lidingö, Nackareservatet e Nationalstadsparken: são trilhas pra você sentir natureza, emoção e morrer de saudades do verão sueco.

bannersponsoredvolvo