Inspiração

Sai da Sombra entrevista: Vera Egito

Por - 13/05/2016

Vocação para musa inspiradora ela tem de sobra. Mas, por favor, não se atenha só à beleza, porque a Vera não veio a este mundo a passeio. Ela tem muito o que te dizer e mostrar. Por trás do par de olhos profundos e misteriosos a cineasta de 34 anos, que ergueu uma prolífica carreira como diretora e roteirista de filmes publicitários, programas de TV e videoclipes, acaba de lançar “Amores Urbanos”.

Em seu primeiro longa metragem, a cineasta faz um retrato sensível e bem humorado da liquidez e desventuras das relações afetivas de um grupo de amigos que vive fora dos “padrões bolsonarianos”, entre as delícias e o caos de concreto armado da cidade de São Paulo. Aliás, desconstruir padrões lapidados é com ela mesmo. Vinda de uma família de artistas, Vera teve uma criação libertária, o que a permitiu desde muito cedo pensar fora da caixa e ter uma amplitude de olhares para além da caretice do mundo socialmente formatado.

O contato com a literatura feminista e psicanalítica e a música punk e o grunge fizeram com que a adolescente CDF raspasse a cabeça e se tornasse uma rebelde com causa e cheia de fundamentos. A profusão de liberdade foi combustível não só para que essa ariana com ascendente em Escorpião se encontrasse no mundo, mas também fez com que o mundo prestasse atenção no seu talento e sensibilidade. Em 2009, Vera foi apresentada como “a jovem talento promissor” do cinema brasileiro na Semana da Crítica, dentro do Festival de Cannes, na França, por ter dois curtas selecionados e exibidos por lá. Até então, nenhuma diretora tinha conseguido essa proeza de emplacar filmes duplamente na competição. Vera fez e tem toda a criatividade e determinação para fazer ainda mais. Aguarde e confie.

Leia a entrevista completa aqui.

Populares