viagem

Verão na Suécia: já que você não vai conseguir dormir mesmo, três lugares para ver o sol da meia-noite

Por Ricardo Moreno -

Dirigir pelas estradas suecas é um exercício de resiliência, principalmente as que cortam o país de norte a sul: o limite de velocidade nas estradas é de 120 km/h. E a bordo do nossoV40 Cross Country, rumo ao norte do país, ficou difícil nos mantermos dentro da lei. Mas não há motivos para pressa: os dias são calmos, com natureza exuberante, design e arquitetura inspiradoramente simples e inteligentes e um estilo de vida empolgante, repleto de atitudes positivas e uma legítima consciência da população com o meio ambiente e o futuro do planeta.

É no extremo norte do país onde estão os melhores lugares para se presenciar o sol da meia-noite, fenômeno que só ocorre no verão e cujo espetáculo consiste em um sol que não se põe nunca – fica 24 horas brilhando no céu. Quanto mais próximo do Círculo Polar Ártico, mais intensa essa claridade.

Mas atenção: em Estocolmo o fenômeno também pode ser presenciado, ainda que num grau menor. Portanto, não estranhe se numa noite sem nuvens, ao acordar às 3h30 da madrugada, você perceber um céu incomumente claro.

A seguir, três lugares que descobrimos durante nossa road trip.

Abisko
Quase na fronteira com a Noruega, Abisko é mundialmente conhecido por dois fenômenos bem distintos: durante o inverno, entre dezembro e fevereiro, é o local ideal para ver as luzes do norte. No verão, é um dos melhores locais do mundo para assistir ao sol da meia-noite. Durante longas oito semanas, entre maio e julho, o sol praticamente não se põe nesse lugar. Uma dica: fazer um hiking no meio da madrugada clara pelo impressionante Abisko National Park.


Gällivare
Gällivare é conhecida por ter uma ótima estação de esqui, ainda que seja bem improvável que esteja nevando durante as semanas do sol da meia-noite, quando a temperatura varia entre 8º C e 15º C. Mount Dundret, uma reserva ambiental a cerca de 10 quilômetros da estação central de Gällivare, é o melhor lugar para estar, com intensa vida animal e espetacular vista do entorno. Também há saborosos cafés que vendem waffles e sorvetes noite – ou melhor, dia – adentro.


Jokkmokk
Além do espetáculo natural, Jokkmokk oferece um entorno impressionante para se explorar. A apenas 7 quilômetros ao sul da cidade cruza a linha imaginária que demarca o Círculo Polar Ártico. É ali que também passa a incrível rota de trem Inlandsbanan, trajeto que se estende por 1.300 quilômetros, de Kristinehamn, no sul do país, até Gällivare, ao norte. O passeio, imperdível, funciona apenas nos meses de verão, entre junho e agosto.