GOL + The Summer Hunter

Timing perfeito: os melhores horários pra você aproveitar São Paulo ao máximo

Por - 21/07/2017

Há quem diga que o paulistano cumprimenta os outros com um só beijinho para economizar tempo. A fama de apressada da cidade que nunca para talvez encontre explicação na infinidade de museus, bares, restaurantes, teatros, lojas e tantos outros lugares incríveis que coabitam a capital mais vibrante do país. Conhecer São Paulo de cabo a rabo, com seus 17 mil quilômetros de ruas e avenidas, não está ao alcance de nenhum relógio. Estar no lugar certo na hora certa é, para dizer o mínimo, fundamental. Por isso, além de selecionar alguns dos pontos mais legais da cidade, descobrimos o melhor horário para explorar cada um deles. Com o roteiro certo, há sempre tempo para descobrir o que São Paulo tem de melhor.

Fotos: Nani Rodrigues

7h30
Café da manhã na Padoca do Maní
Ainda não amanheceu quando o padeiro coloca no forno as receitas de fermentação natural que levam grãos, alecrim, nozes ou parmesão, as baguetes e os brioches de milho. Quando a padaria abre as portas, às 7h30, a primeira fornada de pães e bolos acabou de sair. Não demora para os clientes encherem o pequeno salão e as 14 mesas distribuídas na varanda decorada com luzinhas coloridas. No endereço a poucos metros de distância do premiado restaurante do mesmo grupo, o Maní, o clima é de café da manhã na fazenda. A regra é chegar cedo para conseguir um lugar e experimentar um dos combinados da Padoca, os mais pedidos do cardápio.
R. Joaquim Antunes, 138, Jardim Paulistano
manimanioca.com.br/padocadomani

8h
Ostras frescas no Mercadão
De uma van estacionada na frente do Mercado Municipal saem caixas lotadas de gelo. Elas carregam as cerca de mil ostras que chegam todas as manhãs de Florianópolis, em Santa Catarina, para abastecer as bancas do comerciante Mario Gomes. Há 25 anos no Mercadão, ele comanda a Ki-Peixe, que vende pescados para viagem, e a Casa das Ostras, inaugurada em 2011 no box em frente para servir os frutos do mar frescos aos clientes que circulam por lá. As ostras podem ser abertas na hora ou levadas para casa – no dia mais movimentado, o sábado, são vendidas até 1500 unidades.
R. da Cantareira, 306, box 02/08, Sé
oportaldomercadao.com.br

10h30
Bike tour pelo centro histórico
Uma bicicleta com uma caixa de som na garupa lidera a fila indiana de ciclistas que participam do bike tour pela região conhecida como centro velho, onde estão as construções mais antigas da cidade de São Paulo. Ao parar em frente à Catedral da Sé, uma gravação começa a descrever a história e a arquitetura do prédio. Durante uma hora e meia, o passeio segue por ruas fechadas para carros ou pelas ciclovias que cortam as ruas do centro apresentando os principais marcos históricos. Para participar, não precisa nem levar a bicicleta. Basta se inscrever gratuitamente pela internet com antecedência e aproveitar o passeio.
biketoursp.com.br

15h
Café no Mirante 9 de Julho
Escondido alguns metros abaixo do Museu de Arte de São Paulo (Masp), o Mirante passou décadas abandonado até ser revitalizado dois anos atrás. Em uma estrutura envidraçada com vista para a avenida 9 de Julho se instalou o Isso é Café, que serve variedades da bebida de diferentes partes do mundo e comidinhas para matar a fome durante a tarde. Depois do almoço, quando a turma que trabalha na Avenida Paulista volta ao expediente, é mais fácil conseguir uma mesa com vista para a cidade e experimentar os cookies que acabaram de sair do forno. Quem preferir um café ao ar livre pode levar sua caneca para a escadaria do Mirante.
R. Carlos Comenale, s/nº, Bela Vista
mirante.art.br

22h
Festival de sopas e feira de flores na Ceagesp
Não só de comerciantes vive a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). Durante o inverno, mais de mil pessoas passam por lá nas noites de quarta a domingo para o festival de sopas. A receita de cebola, famosa entre a boemia paulistana na década de 60, nunca sai do cardápio. Na quinta-feira, a melhor pedida é chegar tarde para o jantar, que acumula longas filas no começo da noite, e seguir para a feira de flores. Centenas de produtores montam suas tendas antes das 23 horas, mas só à meia-noite, quando toca um sinal, começam a ser comercializadas as flores, as folhagens, as plantas e os vasos a preços bastante convidativos. Quem quiser garantir as mudas mais bonitas deve chegar cedo. Dica: é possível reservar os produtos antes do sinal tocar.
Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946, portão 4, Vila Leopoldina
ceagesp.gov.br

23h30
Drinks no Apothek Cocktails & Co.
O bar no subsolo da galeria de arte Casa SINLOGO, em Pinheiros, nasceu como cartão de visita da linha de coquetéis engarrafados do barman Alexandre D’Agostino. Nas noites de quintas e sextas-feiras, ele abre as portas às 19 horas para preparar seus famosos negronis e outros drinks clássicos da carta de bebidas. O pequeno espaço inspirados nos bares nova-iorquinos é concorrido e o fim da noite é a hora ideal para ganhar a atenção do barman e assistir de camarote às suas alquimias. “Qual drink te emociona?”, ele pergunta. O difícil é sair de lá antes de experimentar todas as criações de Alexandre.
R. Oscar Freire, 2221, Pinheiros
facebook.com/apothekcocktails

5h
After party no D-EDGE
Famoso pelas festas que varam a madrugam, o clube é referência em música eletrônica na cidade de São Paulo. Quem está em uma das três pistas revestidas com centenas de lâmpadas LED e um sistema de som impecável não percebe a noite passar, já que o amanhecer não espanta os frequentadores. Na madrugada de sábado para domingo, a festa SuperAfter começa às 5 horas e não termina antes do meio-dia – os últimos clientes costumam sair de lá às 14 horas. O terraço no topo da casa ainda oferece um nascer do sol de tirar o fôlego.
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 141, Barra Funda
d-edge.com.br

Com a GOL e o The Summer Hunter, você está sempre no Timing Perfeito. Fique por dentro de dicas dos melhores horários e não perca tempo na hora de aproveitar os melhores destinos do Brasil e da América do Sul.

Populares