Aperol Endless Summer

Sardenha de norte a sul: o guia Aperol para um verão sem fim

Por - 28/08/2017

Essa ilha italiana pode passar despercebida no mapa, mas não é nada discreta. São tantas praias espalhadas pelos 2 mil quilômetros de costa e por dezenas de ilhotas que a cercam que ninguém ainda conseguiu contar quantas são. O que se sabe é que elas se parecem bastante com o que se conhece como paraíso: areia branca e águas calmas e de uma cor turquesa de fazer inveja ao Caribe. Parece que a notícia já se espalhou. Durante o verão, as praias enchem de turistas que chegam de avião ou em iates luxuosos. Ainda assim, é possível fugir do agito e fazer um passeio de caiaque pelas grutas escondidas, mergulhar em ruínas romanas, escalar as rochas que compõem o cenário da costa ou ir para o interior experimentar os queijos e outros produtos feitos na ilha. Cada pedacinho da Sardenha tem uma cara diferente – e esse é o mais divertido de explorar esse país de norte a sul. Não esqueça do Aperol Spritz, pois não faltarão momentos para brindar.

01.
Passeio de barco pelo arquipélago de Maddalena
Dezenas de ilhas se espalham pelo arquipélago ao norte da Sardenha que tem status de parque nacional. O acesso aos carros é possível em apenas duas delas: na homônima La Maddalena, ligada à Porto Cervo por um ferry, e na inabitada ilha Caprera (foto), conectada por uma ponte. Trilhas levam às praias dessas ilhas, mas a única maneira de explorar os outros destinos paradisíacos da região é pelo mar. Há opções de passeios de barco de todos os tipos, mas a melhor forma de explorar é tirar o dia para ser você mesmo o piloto. Encontre a melhor paisagem para ancorar a embarcação e brindar o mar azul.

02.
Caiaque no golfo de Orosei
As águas tranquilas e cristalinas são o cenário ideal para desbravar as praias da costa leste da Sardenha a bordo de um caiaque. Cala Luna, Cala Goloritzé, Capo Monte Santu e Santa Maria Navaresse são alguns dos lugares cujo acesso mais fácil é pelo mar. Os paredões de pedra que cercam o litoral escondem incontáveis grutas, desde pequenos espaços onde é impossível passar sem abaixar-se até quase desaparecer dentro do caiaque até grutas enormes com galerias e lagoas. Encontre um guia e saia remando pela a região – o passeio vai te levar à lugares onde não chegam os barcos que fazem passeios pelo golfo.

03.
Aperol Spritz no Bastione di Saint Remy
Cravado no alto de uma colina, o bastião de Saint Remy é uma das fortificações mais importantes de Cagliari, a principal cidade da ilha. A construção erguida dentro das muralhas da cidade entre 1899 e 1902 possui uma escada monumental que leva à um terraço panorâmico, reaberto há alguns meses depois uma restauração que levou dois anos. É no topo, em uma estrutura de metal revestida de vidro, que funciona o Caffè degli Spiriti. No final da tarde, os clientes contemplam o pôr do sol nas mesinhas montadas do lado de fora enquanto os garçons servem Aperol Spritz.

04.
Visita à Gruta de Netuno
Há duas maneiras de chegar na maior e mais famosa caverna marinha da Itália: a bordo de um dos barcos que saem do porto de Alghero ou descendo os 656 degraus da Escala del Cabirol, que separam a estrada da entrada da gruta. Aposte na escadaria, pois a vista é de tirar o fôlego. Uma vez dentro da caverna, você vai encontrar um sem fim de estalactites e estalagmites (aquelas sedimentações que saem do chão ou do teto e são formadas pelos pingos d’água que caem ao longo dos anos), além de um lago salgado com mais de dez metros de profundidade, quatro galerias e mais de um quilômetro de uma praia de areia branca.

05.
Jantar no Li Mori
A gastronomia da Sardenha é bastante particular. A mistura de sabores do mediterrâneo com queijos típicos da região e as técnicas italianas torna suas receitas uma atração à parte. Se quiser provar um pouco da vida rústica da ilha, o Li Mori é uma fazenda em San Teodoro que abre suas portas para servir um jantar típico. Por 35 euros, é possível experimentar as pastas feitas na casa e a carne de seus rebanhos, tudo isso com vista para a ilha de Tavolara, em frente à La Cinta di San Teodoro, onde flamingos passeiam na praia de areia fina banhada pelo mar azul.

06.
Caminhada pelas margens de Bosa
Nem só de praias vive a Sardenha. O azul do mar também pinta o céu de Bosa, cidadezinha no norte do país, mas as casas são enfeitadas com todas as outras cores – um charme que lembra Burano, a vizinha multicolorida de Veneza, também na Itália. Parece até uma pintura. Nas margens do rio Temo, a cidade é a única fluvial da Sardenha. Caminhe pelas ruas com ar medieval e pare para experimentar um dos restaurantes de frutos do mar, uma das especialidades da região.

07.
Escalada em Gola Di Gorropu
Se a Europa tivesse seu próprio Grand Canyon, com certeza seria esta paisagem em Supramonte, no leste do país. Entre os paredões de 400 metros de altura de pedra calcária, há menos luz e muito silêncio. A caminhada por entre as rochas pode ser feita por vários percursos diferentes – depende de sua disposição e do nível de dificuldade da trilha. Em determinado ponto, o caminho se estreita e é preciso escalar um espaço de quatro metros de largura. Se preferir seguir com um guia, há profissionais disponíveis para orientar o passeio.

08.
Jazz em Sant’Anna Arresi
No verão, a pequena cidade de 2 mil habitantes no sul do país, na região histórica de Sulcis-Iglesiente, é palco do tradicional festival de jazz Ai Confini tra Sardegna e Jazz (Na fronteira entre a Sardenha e o Jazz). Nas últimas três décadas o evento recebeu nomes como Herbie Hancock, Ornette Coleman, Chick Corea, Jack DeJohnette e Pat Metheny. A 32ª edição começa no dia 31 de agosto e segue até 10 de setembro na pitoresca Piazza del Nuraghe – nuraghe é um tipo de construção de pedra, herança da civilização nuragic, encontrada em vários pontos da Sardenha.

09.
Mergulho em Capo Testa
Não é preciso um dia de sorte para encontrar o mar da Sardenha nas condições perfeitas para o mergulho. As águas são sempre assim, tranquilas e transparentes. Além dos corais, peixes, lagostas e tartarugas, os mergulhadores podem topar com a ruína de uma construção romana no fundo do mar. A visibilidade que chega a 50 metros dentro d’água permite enxergar os restos da antiga civilização espalhados pela península de Capo Testa. Esses locais estão a 15 minutos de barco da terra firme e inúmeras escolas oferecem o mergulho com cilindro, tanto para profissionais quanto para principiantes.

10.
Hospedagem no farol de Capo Spartivento
Imagine passar a noite em um quarto incrível na beira do mar, dentro de um farol em funcionamento. Adicione uma piscina com borda infinita construída no topo da colina e um deck para observar o sol se pôr no horizonte. Este é o hotel Faro Capo Spartivento, montado dentro de um farol erguido em 1845 pela marinha italiana. A restauração começou em 2006, mais de vinte anos depois dos guardas deixarem de viver na construção quando o sistema foi automatizado. O espaço hoje abriga quatro suítes decoradas com vidro de Murano, além de outros dois quartos montados em um prédio separado, onde antigamente guardava-se a gasolina para abastecer o farol.

The Summer Hunter e Aperol se uniram para contar as histórias das pessoas e dos locais mais inspiradores do Brasil e do mundo que respiram a vibe do verão o ano todo. Aqui você confere entrevistas, guias de viagens e várias dicas para curtir durante ou fora da estação ensolarada. Acompanhe tudo na nossa página e também nos canais de Aperol, no Facebook e no Instagram (@aperolspritzbrasil). Confira ainda as playlists no perfil no Spotify: endlesssummerbr.

Populares