Tendências

Void abre seu primeiro endereço em São Paulo no Largo da Batata

Por - 12/10/2017

Entre os botecos pés-sujos que ainda resistem à gentrificação do Largo da Batata, na região do Baixo Pinheiros, em São Paulo, a loja/bar Void acaba de fincar sua primeira bandeira na cidade. A espera foi longa mas valeu a pena. Desde o fim de maio, quando publicaram um vídeo (veja abaixo) anunciando a chegada do “bonde galeroso” a São Paulo, a curiosidade era enorme. É, de longe, a maior Void de todas. Uma grandiosidade se comparado com o tamanho dos sete endereços do Rio de Janeiro e o de Porto Alegre, onde a marca nasceu em 2014.

DE TCHOZEN

Sabe aquela corridinha? Há mais de 10 anos começamos ela sem razão nenhuma, só querendo entrevero, orgia e sarração. O ponto de partida foi uma revista gratuita, que ninguém lê. A partir daí foram centenas de publicações, filmes, festivais, festinhas e outras paradas que ajudam a gente a lembrar o que rolou antes da primeira Void General Store. Agora chegou a hora da Void SP. Calçamos o nosso Cortez. Nos juntamos a jovens galerosos viciados em adrenalina e que extrapolam os limites do próprio corpo. Cruzamos milhares de kms, chuva, pedágios, muitas paradas no Graal, duras, blitze, noites no acostamento, guincho. Passamos a Dutra. Estacionamos o Volvão no Largo da Batata. Agora é pegar na marreta com os pedreiros autônomos e gourmets da Bolovo. Agosto é logo ali. Nos trombamos em breve, SP. E lembre-se sempre: SIGA EM FRENTE MEU TCHOZEN.Agradecimentos galerosos ao time Void e agregados que colaram nesse rolê. Pontinhas especiais de Marcelo D2, Magá Moura, Molusco Contos, Gi Groff, Let, Paul Marola, Vê Figueiredo, Leo Rodrigues, Lu Tibau e Soninha. Sneakersbr por colar junto. Mais um filme com direção Void e Cajamanga e fotografia de Lucas Stegmann.

Posted by Void on Tuesday, 30 May 2017

Aqui, além de araras com roupas e acessórios de algumas das marcas nacionais mais incríveis, como Joana Uchoa, Retropy, Bolovo, Sri e Haight, há grifes locais que  não estão presentes nas outras praças, caso da Cotton Project, da Singapura, da Empeso e da Piet, entre outras.

O espaço com a loja fica do lado direito de quem entra, num corredor que segue até os fundos do imóvel. No centro, sob o piso de cimento queimado, há, primeiro, um bar com um balcão retangular. Em seguida, uma lanchonete de luminoso cool e bancos fixos serve sandubas como o toast de legumes do dia assados no azeite e coalhada (R$ 14) ou o de frango frito mais repolho, maionese com mel e curry (R$ 17). Há também lasanha bolonhesa (R$ 22), doces e acepipes, a exemplo do bolovo envolvido com carne de porco (R$ 9, a unidade) ou o bolinho de abacate vegano empanado com leite de amêndoas e recheio de abacate (R$ 6, a unidade). Yummy!

Alguns passos adiante e chegamos numa área semi-aberta, com mesas e poltronas. Uma escada do lado direito dá acesso ao rooftop. Com planos de abrir todos os dias das 11h à 1 da madrugada, deve ser nesses dois espaços – mais as banquetas do lado de fora, na calçada – que a noite vai pegar. E com o calor de mais de 30 graus que tem feito em São Paulo, a gente já tem endereço certo para os próximos meses.

Void. Rua Martim Carrasco, 56, Pinheiros, São Paulo

Populares