Solar Places

54 horas na Ilha do Mel: sem carros, sem stress e sem muvuca no playground ecológico do Paraná

Por
Adriana Setti
Em parceria com

Pertinho de Curitiba, a ilha é um dos picos mais completos de ecoturismo do sul do Brasil, com áreas protegidas de restinga e Mata Atlântica, construções históricas e surf de alto nível.

A 130km de Curitiba, a Ilha do Mel é o melhor motivo pra conhecer o discreto litoral do Paraná. Ideal pra reconectar com a natureza, sem carros e longe do stress urbano, a ilha tem pouco mais de mil habitantes e acesso limitado a 5 mil turistas por dia (em tempos normais), o que garante tranquilidade total em seus mais de 25km de praias, mesmo no verão. Acessível só de barco, a partir de Paranaguá e Pontal do Sul, é um dos picos mais completos de ecoturismo do sul do Brasil, com áreas protegidas de restinga e Mata Atlântica, construções históricas e surf de alto nível. As pousadas, os restaurantes e as agências de passeios se concentram nos vilarejos de Nova Brasília e Encantadas, nos extremos opostos da ilha. Se a ideia for otimizar o seu tempo, vale a pena ficar uma ou duas noites em cada um pra explorar os arredores. Nesse lugar perfeito pra caminhar de pés descalços, a bike é o meio de transporte oficial e a lanterna é item de sobrevivência básica ao circular à noite, quando as ruas são iluminadas só pelas estrelas. A seguir, 54 horas de pedal, surf e contato com a natureza na Ilha do Mel.

DIA 1

14h
Rolê de bike, o meio de transporte oficial da Ilha do Mel

A primeira providência de quase todo mundo que chega à Ilha do Mel é descolar uma bike. Há várias lojinhas de aluguel e algumas pousadas já incluem as magrelas nas diárias. Comece a explorar a ilha pelas praias mais próximas do vilarejo de Nova Brasília, como a do Istmo, do Limoeiro e a da Fortaleza, onde fica a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, do século 18. 

16h
Surf no fim de tarde: a lenda das Paralelas

Pertinho do vilarejo, a Praia de Fora é um dos melhores lugares pra pegar onda na ilha. Mas o pico mais famoso é o das Paralelas, do outro lado do secular Farol das Conchas. Com vento terral, o canto da Praia do Farol vira uma máquina de direitas perfeitas que quebram em fundo de pedra e areia. Mas, como não é sempre que isso acontece, há quem acredite que se trate de uma espécie de lenda. Se conseguir estar lá no swell certo, considere-se uma pessoa de sorte. 

Pôr do sol no Farol das Conhas, na Ilha do Mel | Crédito: RadamesM/iStock

17h
Farol das Conchas: melhor pico pra ver o pôr do sol na Ilha do Mel

Construído em 1872, o Farol das Conchas não está aberto a visitas. Mas, no fim da tarde, vale a pena encarar os 150 degraus até a sua base e ver a vista panorâmica lá de cima. É o lugar mais fotogênico da Ilha do Mel pra curtir o pôr do sol. 

20h
Onde comer na Ilha do Mel: Mar e Sol

Provar a culinária local e tomar uma gelada é o máximo que se pode esperar das pacatas noites de Nova Brasília, onde há um punhado de restaurantes simples e aconchegantes. Um deles é o Mar e Sol (@maresolilha), que funciona em um quiosque amplo de bambu e madeira, por onde alguns papagaios habitués circulam livremente. A moqueca e a paella de frutos do mar são os destaques do cardápio. Mas também tem pratos comerciais (PFs) sarados, com peixe, camarão, arroz, salada e batata frita. Se quiser algo mais levinho, vá de posta de peixe com palmito grelhado. 

DIA 2

Surf no Canto da Vó, na Ilha do Mel: ondas podem chegar a 8 pés | Crédito: William Zimmermann/Corona

8h
Rolê de bike e surf no Canto da Vó

Acople a prancha na bike e, saindo de Nova Brasília, pedale em direção ao sul. Uma das maiores faixas de areia da ilha, como o nome sugere, a Praia Grande tem um bom surf no Canto da Vó, onde as ondas tubulares chegam a oito pés com vento oeste. Depois, continue pedalando até chegar à Praia do Miguel. Uma das mais preservadas, tem areia batida e é boa pra caminhar ou dar uma corridinha. 

12h
Saracura: restaurante vegano na Ilha do Mel

No caminho de volta a Nova Brasília, faça uma pausa e almoce no Saracura (@saracuratealimenta), o único restaurante vegano (e sem plástico!) da ilha. Tem mesas ao ar livre, no jardim onde são plantados alguns dos ingredientes servidos na casa. Prepara sanduíches em pão de fermentação natural, saladas, pratos leves e sucos naturais. Peça um guisado de lentilhas com batatas na panela de ferro e, de sobremesa, casquinha de massa madre com creme de avelãs artesanal e morangos.

14h
Caminhada até o Morro do Sabão

De volta a Nova Brasília, pegue um táxi-barco até Encantadas, a base estratégica pra explorar o sul da Ilha do Mel. Deixe a mochila na pousada e corra até a Praia da Boia, que se une à Praia do Mar de Fora, de onde sai a trilha que sobe o Morro do Sabão. O caminho até o topo é bem íngreme em alguns trechos, mas a vista do alto compensa o esforço. 

Gruta das Encantadas, na Ilha do Mel: fenda no paredão com vista pro mar | Crédito: William Zimmermann/Corona

16h
Gruta das Encantadas: a luta do rochedo com o mar

No canto oposto da praia, a atração mais instagramável é a Gruta das Encantadas, uma fenda num paredão que nasceu da luta do rochedo com o mar. O acesso é feito por uma plataforma e a luz do fim da tarde torna o lugar ainda mais especial.

20h
Malie Sushi: peixe fresquinho e drinks pra fechar o dia

Na praia de Encantadas, a pousada Malie Chalés (@maliechales) tem um ótimo restaurante japonês, o Mealie Sushi. Prepara sushis e sashimis clássicos com peixe fresquinho, além de algumas receitas mais ousadas e pratos quentes. Tem vinhos, sakês, drinks e cervejas artesanais feitas na Ilha do Mel pra acompanhar. 

DIA 3

Rolê de barco em torno da Ilha no Mel, no litoral do Paraná: vários opções de itinerários | Crédito: William Zimmermann/Corona

10h
Passeio de barco: a volta da Ilha do Mel

Dar um rolê de barco é o programa clássico pra quem visita a Ilha do Mel. Qualquer pousada ou agência local oferece várias opções de itinerários, partindo de Encantadas ou de Nova Brasília. O best-seller é o que dá a volta completa na ilha, incluindo uma visita à Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres. Partindo do Trapiche de Encantadas, a lancha passa pela frente da Gruta das Encantadas e segue a costa até a Baía dos Golfinhos, onde costuma ser fácil avistar os animais saltitando ao lado do barco. Uma das empresas que fazem o passeio é a Fortaleza (@fortalezailhadomel), que inclui parada para almoço na praia de Ilha das Peças

17h
Yoga e caminhada com pôr do sol

A praia de Encantadas está longe de ser a mais bonita da ilha. Mas é um dos lugares mais lindos pra ver o pôr do sol. Aproveite o fim do dia pra caminhar ou praticar yoga na areia.

20h
Onde comer na Ilha do Mel: restaurante Fim da Trilha

De frente pro mar, a pousada Fim da Trilha (@fimdatrilha) tem um dos melhores restaurantes da Ilha do Mel, com paredes de vidro e mesas no terraço. Prepara ceviche com peixe fresquíssimo local e é famoso pela paella valenciana, preparada de acordo com a receita da família do chef Manuel Alapont — leva frango, carne de porco e frutos do mar. Também é forte em risotos e moquecas.

Foto de abertura: William Zimmermann/Corona

Rota dos Paraísos

Descobrir os destinos mais solares do Brasil. Buscar inspiração e voltar a se conectar com a natureza. Aqui e na plataforma This Is Living, da cerveja Corona, você encontra dicas exclusivas de destinos, pessoas e tendências que não estão no guias de viagem. Tudo feito pelas duas marcas que mais entendem e gostam de verão no Brasil. Se for dirigir, não beba.