Solar Places

54 horas em Barra Grande: como afogar o stress nas piscinas naturais mais espetaculares da Bahia

Por
Adriana Setti
Em parceria com

No extremo norte da Península de Maraú, o vilarejo é a porta de entrada pra uma sequência de praias irretocáveis, entre elas Algodões, um nos novos hotspots do litoral baiano.

No extremo norte da Península de Maraú, Barra Grande é a porta de entrada de um dos trechos mais espetaculares do litoral da Bahia. Nas últimas décadas, o vilarejo ganhou pousadas charmosas, beach clubs e restaurantes com sabores internacionais. Mas manteve viva a sua essência, com ruas sem asfaltar, poucos carros e ritmo pausado. Na época do Réveillon, a cidadezinha vive um estado de exceção, com festas arrasa quarteirão e pop-ups de bares. Mas, até no auge da ferveção, quem quer sossego encontra lugar ao sol. Com cerca de 50 quilômetros de costa, a Península de Maraú tem uma sequência de praias quase intocadas, onde a barreira de corais forma grandes piscinas naturais. A mais famosa é a de Taipu de Fora, azul de doer a vista. Mas, de uns anos pra cá, a de Algodões vem roubando a cena, assim como o seu vilarejo rústico e charmoso que, na virada do ano, é palco de festas bombásticas. À beira da Baía de Camamu, Barra Grande também está a um pulo de ilhas e ilhotas. Protegidas do mar aberto, elas podem ser visitadas em passeios de barco que ajudam os recém-chegados a entrar na batida do slow travel, com pausa pra moqueca de polvo e banho de cachoeira incluídos no programa. A seguir, nosso guia pra sintonizar no mood baiano, com pôr do sol épico, dendê e todas as suas neuras afogadas em água morna.

DIA 1

13h
Taipu de Fora: a piscina natural mais desejada da Bahia

Você provavelmente chegou até Barra Grande doido pra conhecer a imagem que o levou a comprar a passagem. Então pule numa jardineira e toque pra Taipu de Fora (na foto que abre este post), onde fica a piscina natural mais desejada da Bahia. De um lado, um paredão de corais. Do outro, uma praia em forma de meia lua pontilhada de coqueiros — a própria encarnação do clichê de paraíso tropical. Pra conhecer esse pico em sua versão cartão postal, é preciso estar lá num dia de sol (coisa fácil) e na maré baixa. Caso contrário, as ondas invadem a piscina e o lugar se transforma em uma praia um pouco mais normalzinha. A experiência é melhor durante as luas cheia e nova, quando o vai e vem do mar ao longo do dia é bem acentuado, deixando a piscina ainda mais “definida” e pronta pra aquela foto de drone que você tanto quer. 

Pousada Dreamland, em Taipu de Fora, Bahia: sossego total | Crédito: reprodução

14h
Onde comer em Taipu de Fora: moqueca e cerveja Corona gelada

Abra a sua primeira Corona gelada no Bar das Meninas (@bardasmeninas_), uma barraca de praia que é coisa fina, com seu grande deck de frente pra Taipu de Fora. E já que estamos na Bahia, vá de moqueca de filé de peixe com camarão. Ela vem à mesa borbulhando na panela de barro, com arroz branco, pirão e farofa na manteiga. Se a ideia for só tomar um drink incrementado com sossego total, desvie até o bar da pousada Dreamland Bungalows (@dreamlandbungalows), que tem frozen margaritas de Pinterest e um famoso basil smash (coquetel à base de gim e manjericão).

15h30
Praia sem aglomeração em Barra Grande: Bombaça e Três Coqueiros

Vale a pena dispensar a jardineira na volta ao vilarejo e caminhar seis quilômetros pela praia até a Ponta do Mutá. Deixando Taipu de Fora pra trás, você será abraçado pelo sossego total, passando pelas praias da Bombaça e Três Coqueiros, com trechos praticamente intocados. Dissolva seu stress urbano nas piscininhas naturais do caminho.

Ponta do Mutá: a 10 minutos do vilarejo de Barra Grande | Crédito: Junot Photography/iStock

17h
Pôr do sol na Barra Grande: o ritual da Ponta do Mutá

O pôr do sol na Barra Grande é um ritual. No fim da tarde, todos os caminhos levam à Ponta do Mutá, no encontro do mar aberto com a Baía de Camamu, marcando o extremo norte da Península de Maraú. A dez minutos do vilarejo de Barra Grande, concentra vários bares que costumam ferver na época do Réveillon mas que, fora de época, são ideais pra fechar o dia com um drink tranquilo. Um dos mais estilosos é Obar (@obarbarragrande), que tem teto com “franja” de sapê, espreguiçadeiras e mesas pé na areia. Pra beliscar, peça uma lula com gengibre. Tem boa carta de vinhos e uma lista enorme de drinks. 

21h
Onde comer em Barra Grande: cozinha local no Donanna

Um dos hits gastronômicos de Barra Grande, o restaurante Donanna (fb.com/RestauranteDonanna), na Rua do Anjo s/nº, é perfeito pra tempos de distanciamento social, com mesas espalhadas com folga por um lindo jardim, algumas delas cobertas por quiosques. Comece com uma casquinha de aratu e, depois, renda-se ao camarão com manga e gengibre, um dos pratos que fizeram a fama da casa. 

DIA 2

Passeio de barco pelas águas tranquilas da Baía de Camamú, em Barra Grande (BA) | Crédito: Kamillok/iStock

9h
Passeio de barco em Barra Grande: a calmaria da baía de Camamu 

Com suas bordas entrecortadas, a Baía de Camamu é ideal pra um rolê de barco sem muito balanço. Protegida do mar aberto, mais parece um lago azul, que forma prainhas de águas cristalinas em algumas de suas ilhotas. Os passeios de barco tradicionais param em quatro delas, incluindo a da Pedra Furada, onde os rochedos têm formações altamente instagramáveis. O almoço costuma rolar na Ilha do Sapinho (peça moqueca de polvo ou siri catado). Adentrando pelas profundezas de Camamu, dá pra chegar até a cachoeira de Tremembé, que deságua lindamente em um “braço” da baía. 

16h
SUP em Barra Grande: onde o rio encontra o mar

Andando pela praia de Barra Grande com a baía de Camamu à sua direita, chega-se ao ponto onde o rio Carapitangui encontra o mar. Dá pra mergulhar no Atlântico, tirar o sal na água doce e se entregar ao dolce far niente. Mas também rola explorar a paisagem rio acima com uma sessão de stand-up paddle. 

17h
Bar da Rô: parada obrigatória em Barra Grande

É um sacrilégio ir até Barra Grande e não passar um fim de tarde no Bar da Rô (@bardaromarau), que montou seu éden privado com uma face voltada ao rio Carapitangui e a outra de frente pro mar. Gostoso a qualquer hora do dia, o lugar ganha uma aura mágica no pôr do sol. Peça uma caipirinha e fique lá até o último raio desaparecer no horizonte. Também é uma boa pedida pra jantar. A cozinha tem foco nos frutos do mar, com destaque ao camarão. 

21h
Onde comer em Barra Grande: uma pausa no dendê

 Pra dar um tempo do dendê, volte pro vilarejo e procure O Papagaio (@restauranteopapagaio), famoso pelo filé mignon (com molho mostarda, roquefort ou à parmegiana), servido em um terraço aberto. E se a ideia for um jantar vegetariano ou vegano, a boa é o Mambembe Culinária com Arte, que tem pizzas no forno à lenha, massas, tapiocas, saladas e crepes (além de boas caipirinhas).

DIA 3

Coqueiros e céu azulzinho em Barra Grande: aqui é verão o ano inteiro | Crédito: Ainda Formigoni/Unsplash

8h
Algodões, você ainda vai ouvir falar dessa praia

Comece o dia alugando um quadriciclo, o veículo sob medida pra transformar as más condições das estradinhas da Península de Maraú em diversão (várias agências da cidade têm esse serviço). Na boca miúda, Algodões (uns 20km ao sul de Barra Grande) já é uma das bolas da vez na Bahia, principalmente no Ano-Novo. Mas, mesmo com pousadinhas charmosas pipocando aqui e ali, no resto do ano o vilarejo retoma a sua vidinha pacata. Assim como Taipu de Fora, tem uma enorme piscina natural que se forma na maré baixa, graças à barreira de corais. 

13h
Onde comer em Algodões: sabor espanhol na Bahia

A pousada Casa del Mar (@casadelmar_brasil) é um bom exemplo do estilo rústico e charmoso que impera em Algodões. Administrada por um casal de espanhóis, tem um restaurante com mesas num deck de bambu repartido em dois níveis, de frente pro mar. Serve pratos vegetarianos e veganos, moquecas e sucos detox. Mas a especialidade é a paella de frutos do mar. Em seu “jardim secreto”, a pousada oferece terapias holísticas, como reiki, quiromassagem e reflexologia. 

15h
Passeio de quadriciclo em Barra Grande: bromélias gigantes e lagoas azuis

Reserve algumas horas à volta até Barra Grande, aproveitando o quadriciclo pra parar em outras atrações da região. Não deixe de conhecer a Lagoa do Cassange, passando pela trilha das Bromélias Gigantes e, antes de chegar ao vilarejo, dar uma paradinha na Lagoa Azul. Também vale subir ao topo do Morro do Farol pra ver toda a península do alto.

20h
Restaurante A Tapera: mantendo a tradição em Barra Grande

Reserve sua última ceia pra conhecer A Tapera (@restauranteatapera), um clássico de Barra Grande, onde a sorridente Naiá (uma celebridade local) comanda os fogões desde 1991. Prepara receitas como o camarão na chapa com verduras, além de clássicos baianos: moquecas, ensopados, arroz de polvo e bobó de camarão… Pra acompanhar, drinks e sobremesas gulosas, como a cocada de banana. Tem mesas espalhadas por um bonito jardim e decoração cheia de cores, peças de artesanato e estampas tropicais.

Foto de abertura: Taipu de Fora, Bahia | Crédito: Nessaflame/iStock

Rota dos Paraísos

Descobrir os destinos mais solares do Brasil. Buscar inspiração e voltar a se conectar com a natureza. Aqui e na plataforma This Is Living, da cerveja Corona, você encontra dicas exclusivas de destinos, pessoas e tendências que não estão no guias de viagem. Tudo feito pelas duas marcas que mais entendem e gostam de verão no Brasil. Se for dirigir, não beba.