Places

54 horas em Byron Bay: um guia pra entrar na onda da praia mais hippie-chic da Austrália

Por
Adriana Setti
Em
8 novembro, 2019

Se hoje em dia as camisas tie-dye migraram para vilarejos próximos, o espírito livre de Byron Bay ainda segue firme e forte, encarnado em incontáveis centros de terapias alternativas e cafés que lotam de gente dourada, bem torneada e (calculadamente) descabelada.

Reinar soberana num país com mais de 10 mil praias não é para qualquer uma. Mas, ao contrário de muitas beldades virgens e pacatas que se espalham pelos 50 mil quilômetros do litoral da Austrália, Byron Bay tem alma. Assim como outros lugares incríveis do mundo, a diva da costa de Nova Gales do Sul foi “descoberta” pelos hippies nos anos 1970. E se hoje em dia as camisas tie-dye migraram para vilarejos próximos (como Bangalow, Brunswick Heads e Mullumbimby), o espírito livre do lugar ainda segue firme e forte, encarnado em incontáveis centros de terapias alternativas e cafés que lotam de gente dourada, bem torneada e (calculadamente) descabelada. A seguir, um guia hippie chic para curtir Byron Bay com muito suco verde, yoga e diversão biodinâmica. 

DIA 1

17h
Encarne o espírito de Byron

Para começar a vibrar na frequência local, esmague seus nódulos de tensão com alguma terapia alternativa. No Holistic Massage Centre, o cardápio vai de cura energética a reflexologia, enquanto o spa do The Byron at Byron promete derreter paranoias com alinhamento de chakras, óleos e pedras quentes.

Os pratinhos do St. Elmo: refeições pra compartilhar | Foto: divulgação

19h
Prazeres mundanos

Uma vez reconectado com seu eu superior, sucumba aos prazeres mundanos do St. Elmo, um bar de ares mediterrâneos que serve pratinhos saborosos pra dividir, embalados por coquetéis impecáveis. Pra não dar com a cara na porta, ajuste seu relógio biológico ao ritmo local, lembrando que os australianos jantam cedíssimo (entre 18h e 20h), mesmo no verão. 

21h
Agitinho com moderação

A noite não chega a ser uma criança em Byron Bay mas, para os padrões australianos, a praia pode ser considerada um verdadeiro bastião nacional da boemia. Cheque a programação da Byron Bay Brewery para curtir uma música ao vivo ou junte-se aos sobreviventes de Woodstock no The Rails, o pub raiz por excelência, onde dinossauros do rock costumam apresentar-se para uma plateia eclética.

DIA 2

7h
Ommmmm

Comece o dia como os locais, vendo o sol nascer de ponta-cabeça, praticando yoga de frente para o mar. As aulas do First Light começam às 7 da matina num gramadão de frente pra praia.

8h30
Wi-fi subversivo

Com seu yoga mat enroladinho no ombro, pra não destoar, dirija-se ao espressohead, onde nômades digitais resolvem as pendências do dia filando um wi-fi sem complexos (muitos lugares de Byron não têm conexão por princípios). Aproveite para devorar pratos com ovos de produtores locais, pão biodinâmico da Bread Social e abacates plantados pelo famoso Tom, em sua fazenda orgânica.

Soul Surf School: aula pra todas as idades | Foto: divulgação

10h
Praia em movimento

Surfe, SUP, corrida, funcional, tênis de praia. Todos em Byron Bay parecem empenhados em mover o esqueleto de alguma forma na magnífica faixa de areia branca e fofinha do vilarejo. Ainda que você não seja obrigado a nada, recorra a Soul Surf School se quiser fazer algumas aulas de surfe ou alugar equipamentos (pranchas, roupas de neoprene, bikes, pés de pato etc). 

12h
O brunch nosso de cada dia

Todo dia é dia de brunch no Roadhouse, a meio caminho entre Byron Bay e Suffolk Park, outra praia de visual incrível e ondas nervosas um pouco ao sul. Com paredes de tijolos à vista, alto astral e pegada hipster, serve comidinhas orgânicas (of course) e pode ser um bom lugar para voltar mais tarde – neste caso, para tomar um uísque, a especialidade da casa. 

Trilha que leva ao farol de Cape Byron: ponto mais oriental do continente australiano | Foto: davidf/iStock

15h
Para o alto e avante

No fim da tarde, ative a circulação na trilha do farol de Cape Byron. Ao longo da caminhada, mantenha os olhos bem atentos em direção ao mar cristalino, já que cardumes de golfinhos e até baleias podem aparecer. 

18h
Flores no cabelo e Grateful Dead

Muitos dos “fundadores” da Byron Bay hippie dos anos 1970 seguem na área. Só que grande parte deles migrou para vilarejos escondidinhos no interior, onde flores no cabelo ainda fazem sentido e Grateful Dead continua sendo parte da trilha sonora. Para sentir um pouco dessa atmosfera paz e amor, dê um pulo em Mullumbimby (20km de Byron) e aproveite para provar as pizzas de forno a lenha do Milk & Honey.

DIA 3

Entrada do café The Top Shop: bowls de açai, granola e sandubas de avocato | Foto: divulgação

8h
Café Pinterest

O café é uma religião em Byron Bay e The Top Shop é uma das apostas mais seguras para conseguir um cappuccino digno de Pinterest. O menu ainda tem açaí na tigela, bowls de frutas com granola, altos sanduíches e ovos em várias versões. 

9h
O estilo de Byron Bay

Entre um centro de acupuntura e outro de terapia quântica, você também encontrará lojinhas tentadoras, como a Ahoy Trader (de azulejos pintados a mão), a Spell and the Gypsy Collective (de roupas inspiradas na estética cigana) ou a August (de roupa feminina hippie chic). Marcas de surfe australianas, como Billabong, Quick Silver e Rip Curl também são onipresentes. 

12h
Mercadinho é vida

Domingo é dia de Community Market, onde você encontrará comidinhas orgânicas, flores, artesanato de qualidade, roupa vintage e muitos outros badulaques, além de gente trabalhada no visual hippie chic participando de atividades que vão de oficinas de tambor a leitura de tarô. Se estiver em Byron numa manhã quinta-feira, não perca o Farmer’s Market, outro evento que movimenta a cidadezinha. 

Whites Beach: pra não ver nem ser visto | Foto: Camila111/iStock

14h
Bicho do mato 

Se você cansar do people watching de Byron Bay, há várias praias por perto para quem não quer ver e nem ser visto. Uma das mais bonitas é Whites Beach, ao sul de Suffolk Park, com acesso por uma estradinha de terra e uma trilha em meio ao bosque. 

18h
Cidade das artes 

Outro Porto Seguro para hippies que relutam em ser chic, Bangalow é uma delícia de cidadezinha, a 16km de Byron. Vale um rolê de fim de tarde para bisbilhotar galerias de arte, bares com música ao vivo e mercadinhos de artesanato aqui e ali. Depois, jante no Town Café and Restaurant, que tem um menu degustação de temporada e boa carta de vinhos. 

Lojinha em Bangalow: hippie-chic-easy-going | Foto: reprodução