Vibes

Chorar faz bem? Conheça a terapia que estimula as lágrimas

Por
Adriana Setti

O psicólogo japonês Hidefumi Yoshida desenvolveu uma técnica que ensina e estimula as pessoas a soltarem o choro como forma de melhorar a saúde física e mental.

Você, provavelmente, já ouviu falar da “terapia do riso”, uma forma de melhorar o bem-estar emocional à base de gargalhadas. Segundo um psicólogo japonês, fazer o contrário é ainda mais produtivo. Autor de uma técnica que induz os pacientes ao choro, Hidefumi Yoshida está convencido de que deixar fluir as lágrimas é fundamental para a saúde física e mental. Entenda.

O psicólogo Hidefumi Yoshida
Créditos: Reprodução Tears Teacher / Noémie Nakai

Olhos secos

Sentadas numa sala, pessoas japonesas de diferentes idades escutam um palestrante indagar se elas choraram nos últimos dias, semanas ou até meses. O silêncio sepulcral que paira no ambiente pelos segundos seguintes atesta que daqueles vários pares de olhinhos puxados não escorre sequer uma gota de lágrima há muito tempo.

Melhor que rir e dormir

O autor da pergunta é o psicólogo Hidefumi Yoshida, que desde 2013 ministra em seu país a Ruikatsu (“em busca da lágrima”, em tradução livre), a terapia do choro. Segundo o autor desse método de combate ao stress, que foi tema de reportagem da BBC e do New York Times, se esvair em lágrimas é mais efetivo do que rir ou dormir.

Detox lacrimoso através do choro

O “Professor de Lágrimas”, que há anos vem fazendo auditórios repletos abrirem o berreiro e até criou um café para gente disposta a prantear sossegada, define assim o seu tratamento: “é um detox que você promove em sua mente ao forçar-se a chorar, mesmo que seja só por alguns minutos ao mês”.

"Alunos" de Hidefumi choram durante a prática
Créditos: Reprodução Tears Teacher / Noémie Nakai

Engatilhando emoções

Em suas aulas, Yoshida exibe vídeos que costumam servir de gatilho ––– os temas família, animais e catarses esportivas são os hits ––– e solicita que alguns participantes leiam textos emotivos, sobre assuntos que lhes provoquem nós na garganta. Funciona. Sua ideia é que, uma vez que os alunos aprendam a chorar, possam praticar sozinhos.

“A terapia do choro me transformou. Não me mostrava diante de outras pessoas, agora estou mais aberto sobre meus sentimentos. Chorando mais frequentemente, me sinto mais confortável com quem sou. Crescemos emocionalmente e aprendemos sobre nós mesmos quando choramos”, diz Hidefumi Yoshida, psicólogo e “professor de lágrimas”.

Pranto saudável

Ainda de acordo com Yoshida, a procura por seus ensinamentos tem aumentado porque “agora é sabido que chorar faz bem à saúde”. Ele se refere a estudos publicados nos últimos anos, a exemplo de um da Universidade de Jena, na Alemanha, que apontou a repressão das emoções como facilitadora de câncer, hipertensão e outras doenças.

Chorar até se acabar? Para psicólogo japonês, é um método de terapia
Créditos: Alex Green / Pexels

Xarope de lágrimas

No que depender da experiência própria do mestre das lágrimas, é bom começar o chororô o quanto antes. “Nem resfriados eu pego mais. A terapia fortalece o nosso sistema imunológico”, garante ele, que tem uma obsessão específica em ajudar homens de meia idade, que considera o contingente mais estressado e reprimido de todos.

O choro é livre

Sem essa de “engole esse choro”. Yoshida prega, também, que os pais normalizem o pranto na educação dos filhos. “É importante que as pessoas permaneçam vulneráveis para viver uma vida plena”, afirma. “Vou ensinar os meus filhos que chorar é OK; assistiremos a filmes e choraremos juntos”.

Crédito da imagem do abre: Mateus Souza / Pexels

abandono-pagina
No Thanks