Solar Vibes

Cinco praias desertas (e quase secretas) em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo

Por
Adriana Setti
Em parceria com

A menos de 200km da metrópole, a cidade ainda guarda alguns refúgios selvagens. Pegue a trilha e esqueça as aglomerações.

Com mais de 100 quilômetros de costa, São Sebastião domina um dos trechos mais bonitos do litoral norte paulista, com uma sequência matadora de mais de 30 praias. A menos de 200km da capital, chega a ser inacreditável que algumas faixas de areia tenham permanecido virgens até os dias de hoje. Mas, a quem tem disposição (e repelente) pra caminhar, ou um barco à mão, ainda há refúgios selvagens a poucos minutos da ferveção de Maresias, Camburi ou Juquehy. A seguir, os cinco melhores segredos de São Sebastião.

Praia da Pedra Escondida: o segredo mais bem guardado de São Sebastião

Entre Toque-Toque Grande e Guaecá, é um dos segredos mais bem guardados do litoral norte. Com areia dourada, água cristalina e cercada pela mata atlântica, tem vista pra Ilhabela de bônus. Pra chegar lá, reforce o repelente siga pela trilha de cerca de 1km, que sai do Mirante do Canal, na Rio-Santos.

Ponta de Calhetas: escondida entre Toque-Toque Grande e Toque-Toque Pequeno | Crédito: reprodução/turismosaosebastiao.com.br

Calhetas: a praia quase ilha

Entre Toque-Toque Grande e Toque-Toque Pequeno, a Ponta de Calhetas é conectada ao continente por um istmo altamente fotogênico, que esconde uma pequena faixa de areia. O acesso é feito por um condomínio particular na altura do km144 da Rio-Santos. Estacionar nos recuos da estrada pode ser um pouco difícil (fique esperto: parar no acostamento é multa na certa). Na dúvida, deixe o carro em Toque-Toque Grande e caminhe 20 minutos até o início da trilha. 

Praia Brava: o Havaí é aqui

Entre Boiçucanga e Maresias, esta praia não tem esse nome à toa. Tanto é que quase todo mundo que se vê pela trilha íngreme de 2km leva uma prancha na mão. A quem não surfa, o melhor estímulo pra encarar a caminhada (e os borrachudos) é a pequena cachoeira de água fresquinha no canto direito. 

Quintal de casa para alugar no Airbnb com pé na areia na Praia do Cabelo Gordo, em Barequeçaba | Foto: Bruna/Airbnb

Praia do Cabelo Gordo: “laboratório” de biologia marinha da USP

Um pouco ao norte da movimentada Barequeçaba, essa praia de nome bizarro serve de laboratório pro CEBIMar (Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo), que faz visitas guiadas, com agendamento. O passeio inclui explicações sobre a vida marinha da região (e os impactos que vem sofrendo) e observação de pequenos organismos (como amostras de plâncton) no microscópio. Mas também rola chegar caminhando pelas pedras, na maré baixa, partindo da trilha na praia das Pitangueiras, ao norte. Tem areia batida e água rasa e calmíssima. Mas, atenção: como é área de preservação, não é permitido nadar.

As Ilhas: onde o litoral norte encontra o Caribe

Quando alguém se refere “às ilhas”, geralmente está falando de uma das duas ilhotas posicionadas em frente à Barra do Sahy, já que só ela tem praia. Com uma das faixas de areia mais brancas e “caribenhas” do litoral norte, além de uma segunda prainha minúscula e menos frequentada, é o destino certo de quem sai no rolê de barco. A agência Greenway organiza passeios em vários tipos de embarcações, partindo de Juquehy, Barra do Sahy, Barra do Una e Boiçucanga. Evite ir nos feriados.

Foto de abertura: Praia do Cabelo Gordo | Crédito: Bruna/AirBnb

Rota dos Paraísos

Descobrir os destinos mais solares do Brasil. Buscar inspiração e voltar a se conectar com a natureza. Aqui e na plataforma This Is Living, da cerveja Corona, você encontra dicas exclusivas de destinos, pessoas e tendências que não estão no guias de viagem. Tudo feito pelas duas marcas que mais entendem e gostam de verão no Brasil. Se for dirigir, não beba.