Solar Places

Muito além das praias: 30 destinos para curtir o melhor do verão na Europa

Por
The Summer Hunter Staff

Com o verão batendo à porta, boa parte dos países do Velho Continente começa a afrouxar as regras de isolamento e retomar a vida sob o sol. Consultamos alguns dos maiores especialistas e apaixonados pelo verão no Brasil e no mundo pra nos ajudar nesta lista — por enquanto, no nosso caso, só para sonhar

Passada a fase mais aguda da pandemia,  praias e parques da Europa começam a reabrir e as ruas a ganhar um crescente movimento de pedestres. O sol já não se põe antes das nove da noite e muitas pessoas, a exemplo do vídeo que circulou da reabertura dos bares e restaurantes em Paris, deu de ombros para o distanciamento social e o uso de máscaras. Portugal, Inglaterra, Espanha, Dinamarca, Itália, Grécia, França, Alemanha… Se pudesse, onde você gostaria de estar agora? Consultamos alguns dos maiores especialistas e apaixonados pelo sol –— do editor-chefe e fundador da revista Monocle, Tyler Brûlé, à chef de cozinha carioca Roberta Sudbrack —  para nos ajudar nesta lista, por ora sonhadora, com dicas pouco usuais do verão no Velho Continente. Perto ou longe do mar.

Alemanha

01. Naturismo alemão

“Adoro o naturismo alemão e a forma como eles se relacionam com o corpo. Minha dica pro verão em Berlim é explorar a sensação deliciosa de tirar a roupa – e não tem nada de sexual nisso. A primeira é o Liquid Room (foto), um spa com várias saunas diferentes e uma piscina salinizada dentro de uma caverna onde você boia sem esforço e até ouve música debaixo d’água. No bar dá pra tomar sucos, chás detox e, porque não, um drink. Já o Vabali é uma versão maior e mais chique do primeiro, em que a piscina interna é linda e a área externa é uma delícia pra pegar sol entre saunas e banhos. Por fim, recomendo um mergulho pelado no Teufelssee, o Lago do Diabo, na floresta de Grunewald, um programa gratuito e ao ar livre. Vale se programar e levar vinho com pães pra ficar por ali vendo o dia passar!”

Carol Albuquerque, diretora criativa, jornalista e uma das idealizadoras da Hysteria

02. Easy going

“Berlim também pode ser calma durante o verão. Dá, por exemplo, pra passar um dia delícia no Mitte e, ao cair da tarde, comprar um vinho e estender uma canga no gramado do Weinbergspark. Caso bata uma fome depois disso, bora encarar um lanche das várias casas turcas do Kreuzberg. Pra ferver, a Badeschiff (foto) é uma piscina dentro do Rio Spree e o visual é uma experiência única, assim como a Berghain, balada que só abre durante o verão. Por último, dê uma volta no bairro Friedrichshain, onde está a RAW-Gelände, uma antiga estação de reparo de trens que virou um bolsão de arte de rua, bares e galerias. A galeria mais famosa é a Urban Spree.”
Samir Duarte, podcaster, Um Milkshake Chamado Wanda

03. Finde na Baviera

Um cenário idílico, repleto de florestas verdejantes cobertas por pinheiros e cercadas por casinhas de madeira: esse é Krün, um pequeno município localizado na Baviera. Por lá, cerca de 2 mil habitantes dividem território com turistas de todo o mundo, que chegam ao local atraídos pela exuberância de resorts intimistas e ultraexclusivos. “Meu destino favorito pra curtir o verão europeu é o Schloss Elmau, um retiro cinco estrelas em meio aos Alpes Bávaros. O lugar é uma saudável mistura entre estar em contato direto com o luxo e vivenciar a democracia alemã. Além de todos os serviços oferecidos pelo resort, eles também são detentores da Dr. Ingeborg Prager, a melhor livraria localizada dentro de um hotel em todo o mundo e provavelmente a maior.”
Tyler Brûlé, editor-chefe da Monocle e CEO e chairman da Winkreative

Croácia

04. Frugalidade em Hvar

Com fama de “a nova Ibiza”, a ilha mais badalada da Croácia oferece opções de bares, baladas, beach clubs e festas em barcos pra curtir o dia e a noite. Mas com sua arquitetura antiga, excelente gastronomia, cavernas e vistas deslumbrantes para o mar de águas cristalinas, Hvar também encanta aqueles que querem aproveitar o dia de modo mais frugal. Além de desbravar o centro histórico, passando pela praça principal e pelo Mosteiro Franciscano, não deixe de visitar Stari Grad, a cidade mais antiga da ilha, e Brusje, onde ficam os lindos campos de lavanda. Pra economizar no deslocamento, opte por hospedagens centrais e desbrave parte da cidade a pé. Ou então, “a dica é alugar um barco e passar o dia entre as praias desertas da ilha. Só não pode esquecer do gelo e vinho branco local”.
Victor Affaro, fotógrafo

05. Navegar é preciso

“Velejar ao redor das ilhas e praias da Croácia é certamente um rolê que eu faria novamente no verão europeu. Há uma empresa britânica que aluga veleiros de pequeno e grande porte. Fechei um roteiro e velejei por oito diferentes ilhas e cidades ao longo de 12 noites. Entre elas: Markaska, Dubronik e Hvar. Num grupo de 15 pessoas embarcadas, seguimos numa viagem dos sonhos. Tínhamos um cozinheiro, capitão a bordo, e cada dia acordávamos num paraíso diferente. A trip rendeu amizades incríveis, festas malucas dentro de cavernas à beira mar, nascer e pôr do sol ao relento, além de jantares com frutos do mar sempre frescos e pescados no dia. Entre os picos, sem dúvida a praia que mais gostei foi Markaska (foto). Água do mar verde transparente, muito diferente do azul oceânico que estamos acostumados”.
Felipe Arias , empresário, fundador do Lar Mar

06. Road trip

“Nada como alugar um carro e percorrer a Croácia parando nas praias. Como se trata de um país pequeno, as estradas costumam ser ótimas. Durante o verão acontecem muitos festivais de música eletrônica e minha dica é curtir Tisno. Além disso, existe uma praia incrível chamada Pasjača, que descobri por acaso e é pouco conhecida. Localizada dentro de uma cratera, dizem que em alguns anos ela deixará de existir. Outro programa legal é visitar os Parques Nacionais de Krka e Plitvice (foto), onde estão as cachoeiras mais lindas que já vi, com águas em surreais tons de verde-esmeralda. E pros casais, um jantar romântico no Prora, o restaurante do Hotel Excelsior, em Dubrovnik.”
Martha PinelDJ

Dinamarca

07. Arquitetura escandinava

Copenhague no verão é um sonho. As pessoas estão felizes, o clima é leve e tudo parece funcionar perfeitamente bem. Não fazia ideia que comeria tão bem, já que quase tudo é orgânico e tem uma simplicidade que faz com que cada prato seja incrivelmente chique. Todos os rolês valem a pena, então o lance é alugar uma bike e sair conhecendo cada cantinho da capital dinamarquesa. Não dá pra deixar de visitar Christiania, uma comunidade independente com arquitetura pitoresca e que oferece uma infinidade de atrações culturais; Louisiana (foto), o Museu de Arte Moderna mais lindo que já fui, com vibe parecida com a de Inhotim; além de curtir as festas que rolam no fim da tarde nos canais da cidade. Lá, a galera é animada, a música é boa, tem um visual incrível e muita civilidade.”
Marina Sanvicentestylist

Espanha

08. Formentera de bicicleta

“Fui pra Formentera sozinha e as minhas definições de azuis foram atualizadas. Aluguei uma bicicleta e durante quatro dias fiquei passeando pela ilha. Lembro da contradição que era ficar deitada na areia tomando sol e não estar sentada olhando o mar; a contradição do mar mais lindo que já vi com o mais gelado também e a satisfação em estar dentro dele. O hostel Fonda Pepe é o mais antigo da ilha, cheio de histórias de músicos e artistas que passaram por lá. Ele fica no vilarejo de Sant Ferran (foto), com poucos, mas deliciosos restaurantes e cafés”.
Estela Miazziartista plástica

09. O lado B de Ibiza

“Ibiza é perfeita pra quem curte o dia, mas não abre mão de uma festa noite adentro. Os eventos são geralmente de música eletrônica. O sol não se põe antes das 21h, o que é ótimo pra quem gosta de acordar tarde e ainda assim aproveitar a praia. Pra quem procura agitação indico o Parque Natural de Ses Salines. O lugar é uma reserva com areia bem extensa, muitos jovens e você ainda pode dar a sorte de estar acontecendo alguma festa. Outra dica indispensável é Cala Conta (foto), ideal pra assistir o entardecer. Vale também ir ao restaurante Passion, de comida orgânica, e também à balada Ushuaia, muito boa.”
Isabella Santoniatriz

10. Saudosa Mallorca

“Mallorca é menos popular que Ibiza, tão bonita quanto Menorca e um dos lugares mais tranquilos de todo o mediterrâneo. O mais bacana daqui é alugar um carro e, aos poucos, ir descobrindo as praias nos arredores. Enquanto as águas são super cristalinas, o mergulho é uma das práticas mais alucinantes de se fazer. Rola começar de mansinho por praias com entradas de areia ou, até mesmo, cair nas profundezas do mar depois de uma boa caminhada pelas pedreiras da região.”
Igi Ayedunstylist

11. Cool sem ser cool em Menorca

“Menorca é, sem dúvidas, o meu lugar favorito no mundo inteiro. Além de ser uma das ilhas mais preservadas do mediterrâneo, por lá o cool é não ser cool. Ao contrário das vizinhas Ibiza e Formentera, que são insuportavelmente superestimadas, Menorca ainda tem uma vibe mais rural, low-profile, pra ser curtida em família. Todo mundo se cumprimenta durante uma trilha, sabe? Muitos turistas visitam a ilha e ficam obcecados em só frequentar as praias mais famosas, que são as do sul. No entanto, o norte da ilha também é incrível, com praias vermelhas como a Pilar e a Pregonda (foto), penhascos vertiginosos e bem menos gente.”
Adriana Settijornalista

12. Mais Menorca

“Além de enorme, é linda, pouco divulgada, com menos ofertas de hotéis de grandes redes e cheia de casas pra alugar. As praias do sul são incríveis, com águas transparentes e areia branquinha. Já as do norte tem aparência mais selvagem. Minhas favoritas são Cala MitjanaCala Macarelleta e Platja de Cavalleria. Todas possuem vilarejos muito gracinha, eu particularmente gosto do Ciutadella (foto). A vinícola Binifadet também vale a visita.”
Betina Nevesjornalista

13. Um bar no penhasco

“Não deixe de curtir um sunset no Cova d’en Xoroi (foto), um bar dentro de uma caverna localizada em um penhasco. Esse lugar tem uma vista de perder o fôlego e um pôr do sol mágico!”
Marina Theismodelo e fundadora do Thrif Tee

França

14. Para sonhar até 2021

“Em 2017 fui pra um festival no sul da Córsega que chama-se Calvi On The Rocks. Foi demais porque é na cidade de Calvi, mais vazia, com praias desertas e pequenas. O festival rola em diversos lugares da região, o que faz com que você rode pelo lugar e acabe conhecendo lindas praias”.
Zeh PretimDJ

Grécia

15. Off-Mykonos

A seis horas de ferry de Atenas, Amorgos privilegia a natureza e fica fora do circuito badalado das ilhas gregas. Rodeada por penhascos e baías cênicas, a região é perfeita pra ser cruzada de carro, passando pelas ensolaradas praias em Katapola, pelos vilarejos de Chora e Aegiali, onde dá pra assistir o pôr do sol de uma de suas tavernas, e o icônico mosteiro Panagia Hozoviotissa, o segundo mais antigo da Grécia localizado num dos pontos mais altos da ilha, a 300 metros acima do mar. “Ao contrário das super bombadas Mykonos e Santorini, a ilha de Amorgos conserva muito bem a cultura grega e tem uma paisagem natural linda e muito intocada. As praias paradisíacas são perfeitas pra quem quer relaxar com os amigos sem filas e preços altos”.
Caio Brazjornalista e apresentador

16. História em Zakynthos

“Se quiser uma experiência autêntica, é sempre interessante pegar um ferry até uma ilha que não possui aeroporto. Para fotografar e assistir ao pôr do sol, acho que não dá para deixar de conhecer a Praia Navagio na ilha de Zakynthos. O Palácio de Knossos, em Creta, é outra indicação. Não deixe de provar também os pratos da culinária típica local num restaurante à beira-mar. S culinária grega tem muita personalidade e sempre surpreende.”
Mariana Martinscontent creator

Inglaterra

17. Saudade: comida de rua… na rua

“Os dias longos com 18 horas de luz justificam a agitação pra aproveitar ao máximo os espaços públicos e abertos. Eu adoro me perder pelos bairros e, desta vez, fiquei curiosa com um movimento gastronômico que li ao redor da praça Newington Green. Comece no Yield N16 , que tem rótulos incríveis de vinho naturais, siga para um almoço leve e saboroso no Jolene – o menu do dia está sempre na lousa e me encantou as saladas super ricas e completas –, e aproveite para tomar um sorvete e um café no Lizzys on the Green. Se estiver animado, vá caminhar no Parque Clissold para curtir o fim de tarde”.

Priscila Sabaráfundadora e CEO da Foodpass

18. Piquenique em Hampstead

“Meu programa preferido é fazer piquenique em um dos inúmeros parques da cidade. Eu adoro o Victoria Park e o Hampstead Heath, que são fora do eixo turístico”.
Joanna Mourapublicitária e autora do blog Um Ano Sem Zara

19. Schumacher College

“Na Schumacher College, no sul da Inglaterra, você aprende, descansa a mente e se diverte ao mesmo tempo. A escola, que é referência mundial em assuntos relacionados a ecologia e sustentabilidade, oferece uma vivência transformadora por meio de cursos interativos e experimentais que acontecem em diferentes ambientes: na sala de aula, no jardim e na cozinha. Ainda dá tempo de explorar a região a pé ou de bike. Vale passar pelos cafés, galerias e lojinhas de Totnes, e visitar o Dartington Hall – que também é uma boa opção para estadia, cursos e eventos de arte e música. Não deixe de fazer também os passeios do Parque Nacional de Dartmoor e conhecer as praias da costa de Devon. Outro projeto que vale dar uma olhada é o Wildwise, que tem várias atividades e acampamentos. Muitos deles são pra famílias, uma boa opção para viagens com os pequenos aventureiros”.
Letícia Velososócia da Index

Itália

20. La Maddalena

“O arquipélago de Maddalena (foto) reúne sete ilhas na região da Sardenha. Dá pra alugar um barco simples com capacidade para até seis pessoas – mesmo sem ter licença oficial pra dirigir, pois o mar é supertranquilo. Ah, e quando tiver fome, o rolê inclui até um delivery de pizza em alto-mar. No mesmo arquipélago tem outras praias maravilhosas, desde as mais fáceis de chegar, até aquelas que exigem 1 hora de trilha. E um detalhe que amamos: as praias reservadas pra cachorros. Mas fique atento: quem não leva o animal de estimação não pode acessá-las. Por último, dois detalhes importantes: pra conhecer a Sardenha como um todo é imprescindível alugar um carro. E se for ainda esse ano, os locais indicam esperar até setembro, quando ainda faz calor e os turistas de agosto já foram embora”.
Ximena Butelerbrand manager

21. Verão old fashioned

“O Hotel Weber Ambassador é um dos poucos que ficam na praia e não nas montanhas, ou seja, pra quem quer vida mansa. No entanto, o mais legal é a vibe e a estética do espaço. Durante os anos 1970, foi hit e hospedava jet setters do mundo todo, incluindo mulheres à la Jacqueline Kennedy, com seus óculos ultraestilosos. Atualmente o hotel parece que parou no tempo e continua exibindo paredes em tons pastéis, sem muitas renovações e com uma aparência meio decadente, mas muito intrigante. Definitivamente é um lugar para quem não deseja ver nenhum influencer e possui como único desejo uma vida setentista, longe das tecnologias, perto do mar e do sol. O melhor de tudo: preço acessível!”
Dani PizzetaPR da área internacional do Iguatemi e proprietária da consultoria Zetta|Off

22. Rock calabrês

“O sul da Itália é a minha nova paixão. No ano passado tive a oportunidade de tocar no Festival FRAC (Festival di Ricerca per le Arti Contemporanee), na Calábria. Trata-se de um evento muito peculiar: ele acontece em sítios históricos calabreses e em 2019 foi a vez de Catanzaro, no complexo San Giovanni. Essa região possui várias locações inacreditáveis, a apenas 20 minutos de distância da praia, caso esteja de carro. No festival, além de exposições de arte contemporânea e outras performances, se apresentaram artistas do mundo todo e de vários segmentos, como soul, jazz, eletrônico e folk.”
Helio Flandersmúsico, Vanguart

23. No calor milanês

“Como amo comprar, logo reparei que boutiques e até mesmo as grandes lojas milanesas são fabulosas. Adquiri meu primeiro par de tênis da Hogan no estabelecimento de mesmo nome e casacos esportivos, uma echarpe e brinquedos para minha filha na Rinascente, uma enorme loja de departamentos. O hotel Bulgari Milan é um dos mais belos que já vi e recomendo também o restaurante do chef Niko Romito, com ótima gastronomia e localizado no terraço do próprio hotel. A dica final é o L’Angolo di Casa, lugar onde eu provavelmente tive a experiência mais memorável no que diz respeito à comida italiana. Sob comando do chef Angelo Roccavilla, que torna tudo mais simples, criativo e excitante por meio de sua presença e engajamento, foi algo inesquecível.”
Rick Uenogerente geral do W South Beach

24. Puglia, a “Grécia italiana”

“A Puglia é uma espécie de Grécia italiana. Alugue um carro e siga pelas estradas vicinais parando em todas as cidades que encontrar. A comida é fantástica! Não se pode deixar de provar a coppa, que eeles chamam de capocollo, de Martina Franca, uma cidadezinha linda à beira-mar. Nem a muzzarela de búfala e a burrata produzida em toda a região, uma das melhores da Itália. O azeite é incrível, untuoso, único. E a visão dos pés de oliveira é de uma beleza ímpar. A cidade de Alberobello (foto) com seus trulis. Polignano a Mare com sua vista estonteante e frutos do mar fantásticos. Ostuni, Lecche, Otranto… São tantas cidades lindas e repletas de delícias. Em todas elas você há de encontrar um orechiette artesanal preparado de maneira muito peculiar. E se quiser conhecer e aprender a fazer, uma visita à capital Bari, no centro histórico, onde as avós pugliesi preparam a iguaria na porta de sua casa entoando cantigas.”
Roberta Sudbrackchef de cozinha

25. Paura boa

“Imagine um vilarejo medieval repleto de casas brancas, construído no alto de um complexo de falésias de cerca de 20 metros de altura, no Mar Adriático. Ao chegar você vai caminhando pelo vilarejo até que tenha a visão da praia principal, a Cala Paura. E isso acontece lá do alto, como se você fosse um pássaro – ou um drone. Lá embaixo, a vista do mar azul esverdeado e das pessoas tão coloridas vai te causar um deslumbre.”
Luiza Vollpublicitária, sócia da Contente.vc

26. Vico de Gargano

“São centenas de vilarejos, um mais especial do que o outro: Ostuni, Monopoli, Polignano al Mare, Vico de Gargano, Matera… Eu sempre prefiro uma experiência mais autêntica, algo que me faça sentir conectada à cultura local e que seja subestimado. E a Puglia é o destino se você quiser sentir que descobriu algo antes de todo mundo. É normal passar dias sem trombar com outros turistas. Quando visitei Vico de Gargano, as pessoas me perguntavam porque eu iria a esse lugar. E a verdade é que viajo para ver coisas que jamais vi antes. Provar novas comidas, aprender dialetos e fazer novos amigos. E a Puglia é o local pra tudo isso. Aqui, seus dias vão girar em torno de refeições caseiras incríveis e muito limoncello. Colinas ondulantes e falésias dramáticas, ruas de paralelepípedos, cafés espresso. Corra e chegue antes que fique na moda. É só uma questão de tempo.
Jade Moyanojornalista, globetrotter e fundadora do projeto Trust and Travel

Portugal

27. Casa Mãe

“Pegar um carro e sair explorando as praias com a imensidão de falésias douradas e mar azul esverdeado ao redor é o cenário perfeito para uma road trip. Entre as minhas praias preferidas estão Dona Ana, do Pinhão, Ponta da Piedade, Arrifana, Praia do Barril. Pra se hospedar, o Hotel Casa Mãe (foto), a casa de verão dos sonhos”.
Raphael Dias, co-fundador da Casa Diária

28. Costa Vicentina

“Se quiser ir às praias do sul, Algarve ferve de turistas, mas onde você encontra tranquilidade mesmo é nas praias do Alentejo, região vizinha. Elas ficam na Costa Vicentina e se chamam São Torpes, Sines, Ilha do Pessegueiro e Porto Covo. Também recomendo muito conhecer os pequenos vilarejos da região do Parque Nacional Peneda-Gerês (foto), que parecem cenários de filmes medievais.”
Adriana Lage, jornalista

29. Na rua

“Feche um passeio de barco que dure o dia todo para conseguir desbravar todas as praias da região do Algarve e conhecer as grutas com calma. Pra quem ficar em Albufeira, uma das cidadezinhas da região, não deixe de visitar a Rua da Oura , que bomba à noite e tem muitos free shots garantidos”.
Vanessa Guerra, publicitária

30. Caverna Benagil

“Passei uma semana no Algarve com a Bella [a atriz Isabella Santoni, sua namorada] e deu pra explorar muitos picos irados. Um dos lugares mais maneiros que visitamos foi a Caverna Benagil, onde fomos remando com minha prancha de uma praia ali perto pra chegar até ela”.
Caio Vaz, surfista