People

Como o casal do Isla Café viajou o mundo para criar sua própria ilha em São Paulo

Por
Mariana Weber
Em
11 março, 2020

Batizada de Oriente-México, a cozinha criada por Iza e Marcus é uma mistura daquilo que eles mais amam fazer: viajar e comer.

Izadora Ribeiro, 34 anos, e Marcus Ozi, 29, são um casal que adora viajar e conhecer o mundo com o estômago. “Sempre o dinheiro acaba com comida e bebida”, diz a Izadora. “Sabe quando você volta só com uma nota de 5 dólares no bolso pra comprar um salgadinho no aeroporto?” Há um ano e meio, eles contam um pouco do que conheceram por aí nos pratos do restaurante Isla Café, em Pinheiros, São Paulo, onde fazem uma cozinha que decidiram chamar de Oriente-México.

A ideia de Oriente-México veio da brincadeira de um amigo, mas Izadora vê semelhanças nessas duas cozinhas ancestrais e pesquisa os caminhos e os ingredientes que as unem. “O maior exemplo é shakshuka. Um prato tão emblemático da culinária israelense e do Oriente Médio, ele só é possível graças aos tomates mexicanos, que os espanhóis levaram para o mundo.”

Na história do Isla, a parte do Oriente vem de Izadora, que cursou gastronomia, depois moda, e chegou a fazer estágio com Marc Jacobs em Paris antes de voltar para a cozinha. “Eu tenho uma paixão antiga pelo Oriente Médio e pelo trabalho do chef israelense Yotam Ottolenghi”, diz a chef. “Também já tinha ido para o Líbano, em 2009, numa viagem supergastronômica.” 

O encontro com o México se confunde com o encontro com Marcus. Paulistano, ele morou três anos na Cidade do México na adolescência, acompanhando o pai executivo. Em 2018, voltou para lá com Isadora, em uma viagem de carro que teve como desculpa um casamento e se transformou em uma expedição de um mês pela cultura gastronômica do país. “Em Oaxaca, a gente visitou os pueblos em volta, o mercado com uma mulher vendendo peru vivo, carnes penduradas…” 

Visitaram também a Cidade do México e Tulum. E voltaram transformados. “Veio uma grande paixão pela comida mexicana real, não tex-mex. Por aquele frescor do milho, do limão, do tomate, do coentro, por todas as salsas, as carnes cozidas durante muito tempo com uma marinada de especiarias e frutas…” 

Na verdade, a paixão só cresceu. Porque ela já tinha começado em Los Angeles, no food truck La Isla Bonita, que serve uma comida mexicana bem marítima. “Morei em Los Angeles por um ano e meio para estudar e porque sou louco pela Califórnia”, conta Marcus, que é formado em jornalismo e cinema e nos Estados Unidos estudou entertainment business e literatura. 

Nessa época, ele e Isadora já estavam ficando/namorando. Tinham se conhecido em 2014, por amigos em comum, pouco antes de Marcus embarcar para a temporada americana. Isadora passou dois meses trabalhando com food styling em Nova York, depois foi visitá-lo. “O primeiro lugar que eu levei a Dora para comer foi o La Isla Bonita, que ficava do lado da minha casa em Venice”, lembra Marcus. “Virou o melhor lugar do mundo.”

Iza e Marcus | Fotos: Arquivo pessoal

Marcus acabou voltando da Califórnia — “porque ficou caro, difícil de arrumar emprego, senão não teria voltado nem a pau”. Foi morar com Izadora, que nessa época promovia jantares fechados para amigos e clientes em seu apartamento na rua Tupi, em Higienópolis. Juntos, eles criaram outro projeto, o pop-up Isla, em que a ideia era promover almoços sustentáveis com ingredientes frescos, de preferência orgânicos, comprados de pequenos produtores; o que sobrava de comida era preparado para ser distribuído para a população carente das ruas do centro de São Paulo.

Inicialmente itinerante, o Isla ganhou ponto fixo em agosto de 2018. E Izadora e Marcus construíram, assim, uma ilha em que juntam tudo o que mais gostam de comer (fora o molho de tomate da Izadora, que é reservado para refeições em casa). E essa ilha vem sempre ganhando novas pitadas, como uma harissa (mistura de temperos) trazida do Marrocos ou um bagel de Jerusalém provado no Marais, em Paris. Desde o início de março, tem também um bar, com cobertura retrátil, que funciona nos fins de tarde de sexta a domingo e serve petiscos como taco de cordeiro com cebola e sumac.