Solar Places

54 horas nos Lençóis Maranhenses: as dunas, as lagoas e o pico de kite que é a nova Jericoacoara

Por
Júlia Gouveia
Em parceria com

Com dunas de até 80 metros de altura que emparedam lagoas azuis e cristalinas, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses tem um dos cenários mais singulares do planeta. Coladinha na imensidão de areia, Atins tem ruas de areia, vento forte e quilômetros de praias desertas.

Centenas de lagoas cristalinas cercadas por paredões de areia com até 80 metros de altura formam um visual que parece miragem na costa do Maranhão. Com dunas a perder de vista, em uma área de 1.550km², o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses guarda um dos cenários mais singulares do Brasil, que vai se moldando ao sabor dos ventos e do calendário das águas. De janeiro a maio, a chuva se encarrega de encher as lagoas que, entre junho e setembro (a melhor época pra estar lá) irradiam seu azul explosivo sob o sol. A partir de outubro, após meses de seca, os lençóis freáticos vão minguando e a areia volta a predominar na paisagem. Por se tratar de uma área protegida, não é possível se hospedar dentro do parque. Nos arredores, Barreirinhas (a 250km de São Luís) funciona como uma espécie de “capital” informal dos Lençóis, sendo o local com mais opções de hotéis, restaurantes e agências de passeios. Já Santo Amaro do Maranhão (cujo acesso foi asfaltado recentemente), fica mais perto das atrações, só que com menos infraestrutura. À beira-mar, Atins tem vento ideal pro kite, ruas de areia e todas as credenciais pra ser a nova Jericoacoara. A seguir, nossas dicas pra varar os Lençóis em 54 horas, voando sobre a paisagem mais surreal do Maranhão, esfriando a cabeça na água doce e explorando o pico de velejo que está roubando a cena.

DIA 1

16h
Sobrevoo pelos Lençóis Maranhenses: momento alto

Você só entenderá a real dimensão dos Lençóis fazendo um voo panorâmico sobre as dunas e lagoas. A imensidão do parque fica ainda mais fotogênica com a luz do entardecer, que acrescenta um toque dourado ao conjunto azul e branco que se estende até onde a vista alcança. A AVA Sobrevoos (@voeava) realiza os tours aéreos em aviões de pequeno porte, com capacidade pra até cinco pessoas. O voo tem duração de cerca de 30 minutos e é possível escolher entre dois roteiros: o primeiro sobrevoa os povoados da região e retorna pelo parque nacional; enquanto a segunda opção é mais focada no parque e nas suas lagoas.

Lençóis Maranhenses visto do alto: dunas e lagoas a perder de vista | Crédito: Fabio Hanashiro/Unsplash

18h
Footing na avenida Beira-Rio: o calçadão de Barreirinhas

A beleza que sobra aos Lençóis falta a Barreirinhas, que funciona apenas como uma base prática pra curtir o parque. Sem qualquer pretensão de exaltar o charme rústico do lugar, no fim da tarde os viajantes se cruzam na avenida Beira-Rio. Às margens do Rio Preguiça, essa espécie de calçadão concentra restaurantes variados, bares com música ao vivo e agências de passeios. Na Avenida Brasília, rua paralela, vale procurar pela Artecoop (@cooperativa_artecoop), uma lojinha bem simples da cooperativa que produz artesanato com a fibra da palmeira buriti. São bolsas, chapéus, toalhas, tapetes, carteiras e dezenas de outras peças trançadas com esmero pelas talentosas artesãs locais.

20h
Onde comer em Barreirinhas: A Canoa

Aproveite que você já está na região da “orla” e garanta seu lugar na varanda superior do A Canoa (@acanoarest), considerado um dos melhores restaurantes da cidade. Com vista pro rio e telhado de palha carnaúba, tem enfoque na culinária local com um leve toque europeu, impresso pelo proprietário francês. O prato mais emblemático é o camarão servido na casca do abacaxi.

DIA 2

03h30
Nascer do sol nas dunas dos Lençóis, com direito a café da manhã

Vai ser preciso sair da pousada ainda sob a escuridão, mas assistir ao nascer do sol de cima das dunas é uma experiência marcante. O roteiro da Caetés Expedições (@caetes.expedicoes) parte de Barreirinhas às 3h30 da manhã rumo ao Circuito da Lagoa Azul, dentro do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. O trajeto, a bordo da jardineira (veículo 4X4) dura quase 1 hora, com direito a muitos sacolejos pela estrada de areia. Depois, uma caminhada pela areia fofa leva até o ponto mais fotogênico pra assistir o espetáculo, onde a empresa monta uma mesa de café da manhã. Quem madruga não só tem a chance de curtir esse momento único, mas também pega o parque praticamente vazio, já que as excursões começam a chegar depois das 9h. Pra espantar o sono, dê seu primeiro mergulho nas lagoas maranhenses.

Café da manhã nos Lençóis: cair da cama às 3h30 nunca valeu tanto a pena | Crédito: reprodução/@caete.expedicoes

12h
Bambaê: almoço preguiçoso na beira do Rio Preguiça

De volta a Barreirinhas, vá direto ao Bambaê (@restaurantebambae), um dos restaurantes mais charmosos da região. Sem paredes, a casa funciona em um salão avarandado, com vista pro jardim e bem pertinho das margens do Rio Preguiça. No cardápio, com sotaque regional, há receitas como patinhas de caranguejo à milanesa e macaxeira frita com carne de sol. Depois, é só escolher uma das redes pra tirar aquele cochilo.

14h
Circuito da Lagoa Bonita: Lençóis em seu melhor

É hora de encarar o Circuito da Lagoa Bonita, um dos rolês mais bonitos pelos Lençóis Maranhenses. Diferente da parte do parque visitada no roteiro da Lagoa Azul (um dos programas clássicos), aqui se tem uma visão mais alta — e, por isso, panorâmica — das dunas e lagoas. A beleza tem seu preço. Pra chegar lá, é preciso ter fôlego pra escalar uma duna de 80 metros de altura antes de começar a caminhada pelo parque — você agradecerá a corda que dá uma força na subida íngreme. Lá de cima, é impossível não soltar um “UAU” diante do cenário. Ao longo do passeio, as caminhadas pelas montanhas de areia se alternam com paradas pra mergulhos nas lagoas, até o pôr do sol. A Tropical Adventure (@tropicaladventureexpedicoes) é uma das agências que explora essa rota. 

21h
Vinhos e frutos do mar: o jantar no resort Porto Preguiça

Decorado com peças de artesanato local, o restaurante do resort Porto Preguiça (@portopreguicasresort) tem iluminação indireta, salão arejado e um ar sofisticado que é raro em Barreirinhas. O menu traz bastante opções com frutos do mar e uma famosa paella, além de pratos da culinária nordestina, como cabrito e galinha caipira (de criação própria). Uma boa surpresa é a carta de vinhos, com mais de 50 rótulos, entre brancos, espumantes e tintos.

DIA 3

A bordo de quadriciclos no caminho dos Lençóis a Atins | Crédito: Heverton Nascimento/Unsplash

9h
Rali Barreirinhas-Atins: uma aventura off-road nos Lençóis

No canto direito dos Lençóis, à beira-mar, Atins é um vilarejo de pescadores que poderia ter ficado esquecido no meio da areia, não fosse um detalhe: seus ventos potentes. Graças a eles, a vila caiu no radar dos kitesurfistas. Ganhando cada vez mais fama entre os gringos, que colocaram o Maranhão no mapa do velejo, o lugar ainda mantém o seu jeitão beeem rústico, com chão de areia fofa e um punhado de pousadas. De 4X4, a viagem de Barreirinhas leva cerca de 2 horas. De lancha é mais rápido, porém bem mais caro. A Atins Beach Adventure (@atinsbeachadventure_) organiza os transfers privativos de lancha e também passeios locais. Chegando lá, programe-se pra visitar as lindas lagoas da região, como a Tropical e a das Sete Mulheres.

13h
Parada do almoço: o camarão mais famoso dos Lençóis

Na escala de assuntos mais comentados sobre os Lençóis Maranhenses, depois das dunas e lagoas, o famoso camarão dos restaurantes da Luzia (98 8709-7661) e do Antônio (98 8881-3138) se destaca nos trending topics. Eles ficam lado a lado no isolado Canto do Atins, a cerca de meia hora de carro do centrinho do vilarejo. O hype é “culpa” do camarão grelhado, que chega suculento à mesa depois de marinar numa receita secreta, acompanhado de arroz, feijão e salada. Luzia foi a primeira a abrir e, tempos depois, seu irmão, Antônio, saiu da sociedade e fundou o seu próprio negócio. Fica a seu critério escolher a versão favorita.

No canto direito dos Lençóis, à beira-mar, Atins virou point de kite por causa de seus ventos potentes | Crédito: Martins Cardoso/Unsplash

14h
Relax no Bar.co, a barraca mais cool de Atins

O grande trunfo de Atins é ser a única cidade-base dos Lençóis Maranhenses que fica à beira-mar. Ou seja, além de curtir as lagoas do parque nacional, aqui também é possível pegar uma praia. Na Praia de Atins, o lugar pra ver gente é o Bar.Co (@barcoatins). O beach bar funciona, literalmente, dentro de um barco, protegido do sol por uma cobertura de piaçava. Escolha uma rede ou sofazinho e peça uma caipirinha no capricho, enquanto observa as pipas coloridas riscando o horizonte.

20h
La Table de Georges: alta cozinha em Atins 

Dentro do hotel boutique La Ferme de Georges (@lafermedegeorges), o restaurante La Table de Georges é outra boa surpresa gastronômica de Atins. Seguindo o conceito garden-to-plate (do jardim ao prato), as receitas priorizam ingredientes frescos e da estação, plantados na horta orgânica do hotel. Torça para a moqueca mista de peixe e camarão estar entre os pratos do dia. Na sobremesa, a torta de chocolate com sorvete de castanha é imbatível.


Rota dos Paraísos

Descobrir os destinos mais solares do Brasil. Buscar inspiração e voltar a se conectar com a natureza. Aqui e na plataforma This Is Living, da cerveja Corona, você encontra dicas exclusivas de destinos, pessoas e tendências que não estão no guias de viagem. Tudo feito pelas duas marcas que mais entendem e gostam de verão no Brasil. Se for dirigir, não beba.