Places

Miniguia Jericoacoara: o que fazer na pequena vila cearense

Por
Júlia Flores

Um roteiro atualizado pra você se aventurar pela natureza, os ventos e os rolês do vilarejo cearense Jericoacoara.

Jericoacoara está longe de ser aquela singela vila de pescadores que ficou famosa nos anos 90. O turismo de massa chegou e trouxe prosperidade e preocupações sócio-ambientais em idênticas proporções. Mas a beleza que fez tudo isso acontecer não decepciona: dunas gigantescas de areia, praias, manguezais, vegetação da caatinga…

Lorena Portela, autora cearense do livro “Primeiro eu tive que morrer” — romance que se passa no vilarejo — diz: “De todos os lugares que já visitei, Jeri é o mais difícil de descrever com precisão. Posso falar sobre as ruazinhas, o fim de tarde, a luz, a comida, as pessoas. Mas tem o que não se diz, o que se sente ao adentrar na vila, aquela coisa de mergulhar no mar quando o sol está indo embora, a energia perene. Jeri é, sobretudo, o não-descrito.”

Veja nosso guia pra aproveitar o vilarejo para além dos clássicos passeios turísticos — Pedra Furada, Árvore da Preguiça, Lagoa Azul, Lagoa do Paraíso, Mangue Seco e Tatajuba.

Como chegar em Jericoacoara

Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara l Reprodução
Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara l Reprodução

Os voos mais acessíveis pousam em Fortaleza. Do aeroporto, o transfer direto até Jeri custa cerca de R$ 200 e demora de 4 a 6 horas. Também dá pra pegar ônibus da linha Expresso Guanabara até Jijoca e, de lá, uma jardineira rumo ao paraíso (o percurso dura 7 horas e custa R$ 70). Também há a opção de voar até o Aeroporto C. Ariston Pessoa, que fica a 40 min da vila — o transfer de 4X4 custa R$ 70.

Quando ir para Jericoacoara

Pôr do sol na praia principal de Jericoacoara l Créditos: Júlia Flores

O pôr do sol em Jeri é mais encantador no “inverno” cearense (de fevereiro a junho), que é abafado e chuvoso. Mas o ideal é visitar a região de julho a janeiro, quando o vento sopra forte e o tempo quase sempre é ensolarado. É da turma do longboard? Marolas da altura do joelho rolam entre novembro e março.

Siga o sol em Jericoacoara

A tão famosa Duna do Pôr do Sol deixou de ser a melhor opção pra ver o astro desaparecer no mar — além de estar sempre lotada, perdeu areia (e tamanho) nos últimos anos. Vá até a Lagoa do Amâncio ou aprecie a chegada da noite do alto do Morro do Serrote. No amanhecer, a dica é fazer a trilha da Pedra Furada pra começar o dia no pique.

Pranchinhas e pranchões

Club Ventos l Divulgação
Club Ventos l Divulgação
Aloha Surf School l Divulgação
Aloha Surf School l Divulgação

Graças ao vento constante (julho a janeiro) e morno, que possibilita velejos de biquíni, Jeri é um dos kite spots mais populares do mundo. A Vila Kalango e o Club Ventos oferecem materiais e professores qualificados de kite, wind e foil. Pra aprender a surfar, procure a Aloha Surf School, que também aluga pranchas.

Onde ficar em Jeri

Sable Jeri l Créditos: Divulgação
Sable Jeri l Créditos: Divulgação

A Vila Kalango tem bangalôs, apartamentos e palafitas à beira-mar, além de lounge e spa com vista pro mar. Com vibe rústica de casa de praia, o Sable Jeri é um hotel boutique ecofriendly. Se a ideia for se esconder do agito, a Casa B&B fica na Lagoa do Paraíso. Pra economizar, vale dar aquela garimpada no AirBNB ou recorrer a hostels como o Mandala e o Cactus.

Comidinhas

Café da manhã no Jeriju l Divulgação
Café da manhã no Jeriju l Divulgação
Crepe no Naturalmente l Divulgação
Crepe no Naturalmente l Divulgação

Pare no Jeriju pra devorar o bufê de café da manhã, com frutas, bolos, tapiocas e outras delícias. Na hora do almoço, uma boa pedida é o Naturalmente, que prepara crepes e saladas deliciosos – isso sem falar do açaí, que vem com uma granola preparada na casa.  Para passar o dia petiscando, vá ao lounge recém-inaugurado do Café Jeri, pague uma taxa de day use e aproveite a piscina, os quitutes e a música que rola no andar de cima. 

Pra jantar

Éllo Restaurante l Divulgação
Éllo Restaurante l Divulgação
Na Casa Dela do Beco l Divulgação
Na Casa Dela do Beco l Divulgação

Não deixe de provar o Na Casa Dela, que tem clima intimista, atendimento simpático e um ravióli de arraia… O FREDDYSSIMO serve antepastos deliciosos e a Cantina Jeri mistura clássicos da culinária italiana com frutos do mar. O Éllo Restaurante, do chefe Hervé Witmeur, é para os fãs de alta gastronomia; peça o menu degustação para experimentar pratos variados.

Para curtir

Anote a programação do Espaço Serramar: segunda e quarta tem forró, sexta rola samba e, aos domingos, uma mistura dos dois. O Nox tem música eletrônica – e, de vez em quando, shows ao vivo. Vendedores de drinks estacionam seus carrinhos no fim da Rua Principal, onde gringos dividem espaço com turistas brasileiros e suas JBLs. Não deixe de checar a agenda do Manah, que tem noites de reggae – ou forreggae, como os locais preferem chamar.

abandono-pagina
No Thanks