Vibes

A história do verão através dos cortes de cabelo

Por
Adriana Setti
Em parceria com

Os cortes, penteados e acessórios que fizeram história na melhor estação do ano, ao longo das últimas décadas.


As flores nos cabelos do “verão do amor”, os inesquecíveis mullets — estilo “Chitãozinho e Xororó” —, acessórios multicoloridos dos anos 1990… Ao longo das décadas, foram incontáveis as modas que fizeram a cabeça da galera no verão. Mas algumas coisas vieram pra ficar. Do primeiro “creme rinse” do Brasil à Linha Ultra, com Super Condicionadores e Cremes 3 em 1, a Neutrox soma quase meio século de experiência em desenvolver novos produtos para cuidar de todos os momentos do cabelo. Presente no verão há várias décadas com sua linha de produtos especiais para praia e piscina, a marca se uniu ao The Summer Hunter para falar das tendências que fizeram história na melhor estação do ano.

Caetano e Chico Buarque em Arembepe, na Bahia, nos anos 1970
Mick Jagger em Arembepe, na Bahia, nos anos 1970 | Fotos: reprodução

No auge da contracultura e do movimento Flower Power, entre 1960-1970, o vilarejo hippie de Arembepe viveu a versão brasileira do “verão do amor”. De Janis Joplin a Mick Jagger, passando por Caetano Veloso, Gil e Jimmy Hendrix, muita gente se jogou no mar da Bahia com longas madeixas soltas ao vento ou penteado black power e — claro — flores enfeitando o cabelo.

A Todo Volume

Em meados dos anos 1970, enquanto as tangas de crochê lacravam na praia, os lenços enfeitavam as cabeças no calçadão. A franja-cortina — longa e repartida ao meio — e o cabelão volumoso de Sônia Braga e Gal Costa eram os looks da vez.

Sonia Braga
Gal Costa | Fotos: reprodução

Amor e Ódio

Nenhum corte de cabelo foi tão icônico nos anos 1980 quanto o mullet: curtíssimo na frente, comprido atrás. Chitãozinho & Xororó, Evandro Mesquita e a modelo Monique Evans foram algumas celebridades que sucumbiram a essa moda, que desperta paixões — e trauma — até hoje.

Assombrada pelos mullets, a década de 1980 também viveu o boom dos cabelos parafinados com a explosão do surf no Brasil. Naquela época, as cabeças brilhavam com viseiras fluorescentes e muito gel, que dava um visual eternamente molhado às cabeleiras — às vezes, turbinado com glitter. Está aí Baby do Brasil que não nos deixa mentir!

Chitãozinho & Xororó e os onipresentes mullets dos anos 80 | Foto: reprodução
Baby Consuelo

Influências Internacionais

Surfando na onda mundial do seriado Friends, o Brasil também aderiu ao corte repicado “Rachel”, em alusão à personagem de Jennifer Aniston. Cabelo jogado de lado, o superliso de Ivete Sangalo e as franjas volumosas, ao estilo de Sandy, também povoaram as praias nos anos 1990.  

Badulaques Mil

Na década de 1990, rolou um frenesi dos acessórios: piranhas, frufrus, fivela bico-de-pato e apliques de borboletas coloriam as praias. Bonés de times de basquete norte-americanos, tererês, todos os tipos de trancinhas e dreadlocks foram outras tendências dos verões desses tempos.

Na Virada do Milênio

O frisado da Britney Spears, os cachos superlongos de Beyoncé,  Shakira ou Daniela Mercury, e o chanel pontudo de Rihanna foram algumas influências que pegaram forte nos anos 2000. Na areia, o boné trucker e o chapéu bucket substituíram a viseira.

Britney Spears
Beyoncé | Fotos: divulgação

No embalo das redes sociais, a partir de 2010, o cabelo moldado com babyliss pelas blogueiras — mirando nas curvas capilares de Gisele Bündchen — virou febre. De lá pra cá, entre tendências múltiplas, bombaram os tons ruivos, os superlongos, os cachos soltos, como os de Marina Sena, além tranças e adornos inspirados pela cantora Majur.

Foto de abertura: Fillipe Gomes/Pexels


As modas e cortes de cabelo vão e vêm, mas algumas coisas ficam. Desde 1974, a Neutrox busca as melhores tecnologias para desenvolver produtos indicados a todos os tipos de cabelos e ocasiões. 
abandono-pagina
No Thanks