Vibes

Uma viagem ao melhores momentos dos verões do passado

Por
Adriana Setti
Em parceria com

Tinha surf na prancha de isopor, sorvete que vinha com chiclete e férias de três meses. Por essas e outras, quem não morre de saudades daqueles verões dos anos 1980-1990?

É certo que alguns hábitos e brincadeiras daqueles tempos são impensáveis hoje em dia — atire a primeira pedra quem não voltava pra casa com o nariz descascando e o joelho cheio de mercurocromo. Mas algumas coisas vieram pra ficar. Do primeiro “creme rinse” do Brasil à Linha Ultra, com Super Condicionadores e Cremes 3 em 1, a Neutrox soma quase meio século de experiência em desenvolver novos produtos para cuidar de todos os momentos do cabelo. Presente no verão há várias décadas com sua linha de produtos especiais para praia e piscina, a marca se uniu ao The Summer Hunter para relembrar as dores e delícias de outros verões

Quem foi criança ou adolescente nos anos 1980-1990 pôde aproveitar um tempo em que as férias de verão iam do meio de dezembro até depois do Carnaval e, ainda assim, deixavam gostinho de quero mais. É certo que alguns hábitos e brincadeiras daqueles tempos são impensáveis hoje em dia — atire a primeira pedra quem não voltava pra casa com o nariz descascando e o joelho cheio de mercurocromo. Mas não só sobrevivemos, como temos memórias incríveis daquela época.

Foto: Reprodução

Kit praia

Era preciso ser forte pra carregar o guarda-sol de pano com cabo de madeira e a esteira de palha. Na bolsa, não podia faltar o Neutrox 2, do tubo cor-de-rosa. Primeiro produto específico pra tratar os cabelos no mar e na piscina lançado no Brasil, ele evoluiu ao longo do tempo e é parceiro no rolê até hoje.

Olha o sanduíche naturaaaal!

Atum enlatado, maionese industrial, pão integral — só que não — e meia folha de alface. Assim se alimentava a geração “saúde”, enquanto outros se jogavam na raspadinha, no sorvete que vinha com chiclete, no suquinho com embalagem em forma de animais, no abacaxi com groselha…

Brincadeiras radicais

O bodyboard, que ainda chamávamos de Morey-Boogie, era o esporte da vez. Mas alguns destemidos curtiam esfolar a barriga na prancha de isopor ou testar a resistência do cóccix surfando na areia de sonrisal — versão roots do skimboard. Aaaaai! 

O verdadeiro esporte radical dos verões dos tempos da vida loka, no entanto, era pegar aquela cor — ou fritar — sem protetor solar, turbinando o bronze com óleo de urucum ou refrigerante de cola. Na melhor das hipóteses, protegíamos o nariz com pomadas para assadura de bebê, sem FPS, ou creminhos coloridos que ornavam com o biquíni.

Surf de Sonrisal: volta ao passado | Foto: Envato
Fritar sem protetor, um clássico dos anos 80 | Foto: Maciej Serafinowicz/Unsplash

Sem cinto de segurança e sem noção

Ir embora da praia no porta-malas da Belina ou da Paraty: quem nunca? E a criançada daqueles tempos de pouca noção do perigo ainda andava de mobilete e fazia acrobacias com a bicicross ou o pogobol no calçadão — sem capacete e joelheiras!

Todos juntos no porta-malas da Variant | Foto: reprodução

Moda praia

Quem cresceu nos anos 80-90 viu o biquíni quase desaparecer em forma de fio-dental, levantar voo com o modelo asa-delta e pirar de vez com cores fluorescentes e um shortinho que, enroladinho, se transformava numa parte de baixo. E não é que alguns desses looks praianos estão de volta?

Biquíni asa-delta: must-have dos anos 1980
“Óculos-persiana”: vibe new wave | Fotos: reprodução

Complementos obrigatórios

Óculos com “lentes” de persiana, viseiras com aba transparente (!), frufrus, pulserinhas de corda em tons gritantes e cangas recém-chegadas de Bali completavam o visual. O toque final ficava por conta do batom “mágico”: era verde, se transformava em rosa e não saía da boca antes do inverno chegar. 


As modas e cortes de cabelo vão e vêm, mas algumas coisas ficam. Desde 1974, a Neutrox busca as melhores tecnologias para desenvolver produtos indicados a todos os tipos de cabelos e ocasiões. 
abandono-pagina
No Thanks