Places

54 horas em Trancoso: um guia para desviar do jetset na praia mais perfumada do sul da Bahia

Por
Adriana Setti
Em
30 janeiro, 2020

A praia mais concorrida, cara e grifada da Bahia ainda reserva, nas entrelinhas, lugares charmosos, pé no chão (de areia) e que não vão esfolar o seu cartão de crédito.

Definida pela edição americana da revista Vogue como “a resposta brasileira a Tulum” (em referência à praia mais jetsetter do Caribe mexicano), Trancoso ainda pode ser o que sempre foi: um vilarejo low profile à beira de uma falésia. É certo que, na alta temporada, revoadas de celebridades – Leonardo diCaprio, você por aqui? – dão as Caras, e os preços assustam até habitués da Côte D’Azur. Mas, buscando nas entrelinhas do Quadrado (que, danado, já foi cenário até de clipe da Beyoncé), ainda é possível encontrar lugarzinhos charmosos que mantêm os pés no chão e o elo perdido com o reduto hippie dos anos 1970. A seguir, 54 horas em Trancoso pra pessoas de carne e osso, como eu e você. 

DIA 1

18h
Cada um no mesmo Quadrado

Chegar significa pisar o Quadrado, a praça que é a mais completa tradução de Trancoso, com sua “simplicidade” convertida em commodity. Por trás das fachadas singelas, há lojas grifadas, restaurantes de arrebentar o bolso e cômodos decorados por arquitetos famosos. Mas, nas aparências, tudo segue como antes: molecada jogando bola, iluminação sutil e a igrejinha centenária com suas bandeirinhas ao vento. E você não paga nada para andar de lá para cá, lamber vitrines, ler as plaquinhas que contam a história de cada casa. Depois do rolê, veja o entardecer no Mirante do Quadrado, onde sempre aparecerá um vendedor simpaticão pra salvá-lo de uma selfie – “sorria gostoso, você está em Trancoso, sorria de lado, você está no Quadrado”. 

Casa Gulab Mahal, da Pousada Uxua, em Trancoso | Foto: Divulgação

21h
Simplicidade-raiz

Todo mundo que é alguém em Trancoso tem um pé nas imediações do Quadrado: a pousada Uxua, a chef Morena Leite (Capim Santo), o chef Fernando Droguetti (Jacaré do Brasil)… Mas você também pode fartar-se de simplicidade-raiz devorando uma colossal tapioca Da Elma, que desfila o seu talento numa barraquinha logo na entrada da praça. Para molhar a garganta, peça um drinque no vizinho Val, que carrega cachaças artesanais, gins importados e outros tesouros em seu carrinho. 

DIA 2

9h
Caminhada na Praia

Uma longa praia amparada pela falésia é o parque de diversões de Trancoso. Dando o melhor de si na maré baixa, ela vai mudando de nome e de vibe. Do norte ao sul: Taipe, Rio da Barra, Praia das Tartarugas, dos Nativos, dos Coqueiros, do Rio Verde. Caminhe em busca de uma para chamar de sua.

Praia dos Nativos, em Trancoso: para não ver nem ser visto | Foto: Alberto Brandão Louro/iStock

11h
Meio Pinheiros, meio Botafogo

Enquanto boa fatia do PIB brasileiro engorda o caixa do Uxua Beach Bar, os “expatriados” do eixo Rio-São Paulo residentes em Trancoso frequentam o novo Espaço Trancoso, ideal pra pegar uma praia, com direito a beach vôlei, slackline (se beber não dirija) e espreguiçadeiras. Com um certo quê de Pinheiros ou Botafogo, tem restaurante especializado em poke (Trancoso Poke) e uma ótima sorveteria, caso resolva almoçar. Ambos ficam na Praia dos Coqueiros. 

13h
Bicho do mato

Reserve a experiência gastronômica da viagem para o Floresta. A ideia, em princípio mirabolante (arrastar a dondocagem para o meio do mato), é mais uma do midas Fernando Droguetti, o homem por trás do Jacaré do Brasil. Numa casa de colonos reformada, o restaurante pilotado pela chef Jandira Figueiredo serve comida caseira com um toque indígena pra grupos pequenos, em meio a um seringal na Fazenda Rio da Barra. É imprescindível fazer reservas pelo whatsapp 73 9980-42323.

Entrada do restaurante Floresta: do mesmo dono do Jacaré do Brasil | Foto: Divulgação

16h
Lojinhas com sabor local

Com potencial para esfolar cartão de crédito, o Quadrado tem lojas cheias de personalidade – além de grifes que você encontra em qualquer cidade grande. Para montar a casa de praia dos sonhos, a Divino’s tem almofadas, luminárias, redes, bijuterias, peças de cerâmicas e outras maravilhas escolhidas a dedo, em boa parte produzidas por artistas locais. Na mesma pegada, a Cheia de Graças também tem ótima curadoria. Outra que não pode faltar na rota das comprinhas é a Cerâmica Calazans, onde você encontra as típicas casinhas de Trancoso e outros badulaques.

21h
Simples assim

Na boca do gol, na entrada do Quadrado, o Encontro dos Amigos é um porto seguro para comer e beber bem sem gastar os tubos. Com atendimento simpático e mesinhas na rua, serve moquecas e bobó em porções generosas, além de petiscos caprichados. Também é o lugar ideal para ver o vaivém e ficar por dentro daquele forró ou luau que vai rolar mais tarde. 

DIA 3

Santo Café: mesas externas, wi-fi eficiente e café bem tirado no Quadrado | Foto: Divulgação

8h
Café firmeza

Comece o dia com um café bem tirado no Santo Café. Na entrada do Quadrado, também pode ser um lugar estratégico para uma fome fora de hora ou um docinho. Tem mesinhas de madeira, wi-fi eficiente e potencial para reunir nômades digitais numa manhã de trabalho.

10h
Mares do Sul

Cerca de 20 quilômetros ao sul de Trancoso, a Praia do Espelho é um dos trechos mais bonitos do litoral baiano. Faça qualquer coisa para estar lá no auge da maré baixa, quando a praia fica pontilhada de piscinas naturais. Para escapar da multidão que aparece para passar o dia, vá de carro alugado e fique lá até a praia esvaziar. Enquanto isso não acontece, caminhe em direção ao condomínio Outeiro das Brisas, onde costuma haver espaço e sossego de sobra.

Praia do Espelho: 20 quilômetros do centro de Trancoso | Foto: Cristian Lourenço/iStock

14h
O mundo de Silvinha

Antes de ir até o Espelho, faça a sua lição de casa e reserve mesa no Restaurante da Silvinha (73 9998-54157), uma verdadeira instituição local, que serve uma cozinha tailandesa abaianada, de frente para um rio, num dos pedaços mais lindos da praia. 

16h
Do alto é que se vê

Encontre a falésia atrás das barracas concentradas na Praia do Espelho e faça a digestão subindo até o alto, de onde você conseguirá tirar a foto mais espetacular da região – e, a essas horas, com a faixa de areia praticamente livre até onde a vista alcança. 

Bem Te Vi: hambúrger com vista em Trancoso | Foto: Divulgação

20h
Saideira

De volta a Trancoso, descomplique a sua vida jantando no Rabanete (antigo Portinha), que tem um ótimo bufê de comida brasileira, com saladas e receitas saudáveis incluídas no menu. E, caso bata aquela necessidade de uma pizza ou um hambúrguer respeitável, toca pra o Bem Te Vi, que costuma ficar aberto e movimentado até a hora da saideira.