Vibes

Trilhas incríveis no Brasil pra correr em meio à natureza, por Fabio Seixas

Por Laura Cesar -

Mais do que cruzar a linha de chegada, comemorar os quilômetros alcançados e superar bloqueios físicos e mentais, correr é sobre viver intensamente o presente. Uma espécie de meditação ativa, que desliga a mente dos problemas cotidianos, mantêm a saúde em dia e, de quebra, ainda surpreende com paisagens que passariam despercebidas se fossem vistas do carro. É por esses e outros motivos que Fabio Seixas, um dos fundadores do Festival Path e das agências de conteúdo Jambu e Panda Criativo, descobriu nas ultramaratonas e na corrida em diversas cidades do Brasil, novas formas de se conectar com o país, com a natureza e consigo mesmo.

Desde novo a corrida se fez presente no seu dia a dia, só que antes, apenas como uma forma de aquecimento para modalidades que praticava com frequência, como tênis e basquete. Somente aos 30 anos, quando estava se preparando para subir o Kilimanjaro - o pico mais alto da África -, que Fabio conheceu a corrida como esporte e estilo de vida. Desde então, não parou mais. De percorrer longas distâncias, procurar novos desafios e explorar as belezas de diferentes culturas por meio da corrida. Não é a toa que ele coleciona algumas ultramaratonas, sempre em lugares incríveis, como Agulhas Negras, Serra da Mantiqueira, Trancoso, e mais recentemente, o Caminho da Fé, um trajeto de 318 quilômetros cheio de histórias. Aqui, Fábio compartilha as trilhas mais preciosas percorridas por ele, onde o ponto de partida, é sempre a natureza. Deixe de lado o espírito competitivo e preocupações com o pace, pois nesses roteiros, o percurso é o que importa.


Saindo de Águas da Prata, na encosta da Serra da Mantiqueira, até Aparecida, onde fica o Santuário Nacional de Aparecida, Fabio correu 318 km, o equivalente a sete maratonas e meia.

Caminho da Fé

Inspirado no Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, o Caminho da Fé é um trajeto de peregrinação brasileiro que termina no Santuário de Aparecida, no interior de São Paulo. Foi do município de Águas da Prata, num percurso de 318 quilômetros, que Fabio saiu em outubro do ano passado, ao lado do seu amigo Márcio Souza, para uma aventura que durou cinco dias de muita corrida e suor – o equivalente a sete maratonas e meia. Mas dá pra completar o Caminho da Fé num período mais longo, intercalando os quilômetros com caminhada, e parando para comer e descansar nas diversas cidadezinhas sem pressa. No caso da dupla, a corrida foi só um meio pra viver um período intenso, conhecendo pessoas de diversas partes do Brasil com histórias emocionantes, aprendendo sobre fé, encarando a exaustão física e desbravando a paisagem rural, que passa por fazendas, capelas e hospedarias. Em breve, a experiência pelo percurso poderá ser conferida no documentário “Vai a Fé”, que circulará em festivais de cinema e nas plataformas digitais.


Trakking no pico das Agulhas Negras, no Rio de Janeiro. Foto: Daniel Carnielli

Agulhas Negras

O pico das Agulhas Negras está localizado na parte alta do Parque Nacional de Itatiaia, no Rio de Janeiro, sendo considerado o quinto ponto mais alto do Brasil, com 2.791 metros de altura. A trilha, que leva em torno de 45 minutos até a base e mais 2 horas até o cume, é desafiadora e requer preparo físico, principalmente se for feita correndo, como foi o caso do Fabio. Vários dos trechos apresentam bastante inclinação, sendo necessário o uso de cordas para ajudar na escalada. Mas o cansaço da subida é compensado com a vista belíssima para o Vale do Paraíba, o Planalto Mineiro e o Maciço das Prateleiras. Pra quem deseja se hospedar no caminho, Fabio indica o Abrigo Rebouças, um dos campings de montanha mais tradicionais do Brasil.


60 quilômetros pela Serra da Mantiqueira, saindo da cidade mineira Passa Quatro

Serra da Mantiqueira

Passando por São Paulo, por Minas Gerais e pelo Rio de Janeiro, a cadeia montanhosa da Serra da Mantiqueira oferece algumas possibilidades de trilhas para descobrir um Brasil que poucos têm acesso. Uma das últimas provas do Fabio na região foi saindo de Passa Quatro, cidade mineira onde ele garante que acolhem super bem. “Foram quase 60 quilômetros em 10 horas de corrida, com subidas que faziam entortar o pescoço quando vistas de baixo”, diz. “O ponto alto fica mesmo na energia e acolhimento do povo mineiro, além da natureza exuberante, com montanhas que revelam muitas maravilhas. Minas Gerais respira a história da mineração do país”.


O Ibirapuera oferece trilhas que são uma mistura equilibrada de cultura e natureza. Na foto, Fábio Seixas num dos seus treinos semanais

Parque Ibirapuera

Quando São Paulo fica sufocante, Fabio corre pro Ibirapuera. O parque, que fica pertinho de sua casa, oferece lugares de paz mesmo nos dias mais lotados. A volta ao redor do lago, de aproximadamente 3 quilômetros, é o caminho mais famoso. Por isso, pra fugir do congestionamento dos horários de pico e deixar o percurso mais prazeroso, a dica é mudar a rota e se jogar nas diversas trilhas adjacentes oferecidas do lado de dentro. De treinos mais curtos e leves, aos de performance e longa distância, é possível explorar o principal parque da cidade sem ficar entediado. Isso porque ele oferece uma mistura equilibrada de cultura e natureza, passando por museus, lagos, monumentos, pontes e diferentes espécies de plantas num mesmo trajeto. “São múltiplas as possibilidades de percurso por lá. Quando corro, vejo desde a galera de Cosplay e da peteca no gramadão, até o pessoal do skate e longboard feminino na Marquise do Ibirapuera”, diz Fabio.


Mizuno Uphill Marathon, na Serra do Rio do Rastro. Foto: divulgação

Serra do Rio Rastro

Em Santa Catarina, a subida da Serra do Rio do Rastro é um dos atrativos mais famosos da região, conhecida principalmente pela rodovia perigosa em dias de neblina. Poucos sabem, no entanto, que entre as curvas sinuosas, é possível encontrar cachoeiras lindas, fauna diversa e ótimos trajetos pra percorrer à pé. “A região é deslumbrante, um lugar que todos os brasileiros deveriam conhecer. Em dois dias, passamos por trilhas que ligam Gramado, Cambará do Sul e São José dos Ausentes, até Floripa. Uma experiência inesquecível”, conta Fabio. Pra quem busca maratonas na região, a Mizuno Uphill Marathon oferece, todo ano, provas de diferentes níveis de dificuldade, com percursos que vão de 67 a 5 quilômetros. As inscrições para o evento de 2019 já estão abertas.

Fabio Seixas na Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina

Trancoso_Brasil_Foto-Alberto-Brand-o

Trancoso e Caraíva

Se correr na montanha parece pesado demais, aproveite a extensa faixa litorânea do Brasil para tentar os primeiros trotes. As praias de Trancoso e Caraíva, na Bahia, estão entre os refúgios naturais preferidos do Fabio. Lá, o percurso com os pés na areia passa por rios, coqueiros, falésias, vilas indígenas e de pescadores. No final, a dica é estender a canga, hidratar com água de coco e desfrutar a malemolência baiana.