Places

Viajar para dormir: o que é o turismo do sono

Por
Júlia Flores

De olho nas noites mal dormidas que muita gente vem enfrentando nos últimos tempos, o turismo do sono é uma das grandes apostas no mundo das viagens de luxo.

Foi-se o tempo em que “dormir em dólar” era sinônimo de jogar dinheiro fora. Pra correr atrás do sono perdido com a pandemia e outras agruras dos últimos tempos, muita gente está disposta a investir uma grana em férias nas quais o tempo entre os lençóis é a grande atração. É o turismo do sono.

Criatividade não dorme

De camas avaliadas em mais de US$ 200 mil — sim! — a terapias high-tech, passando por especialistas de plantão e alimentação especial, no universo do luxo o céu é o limite na hora de criar serviços pra melhorar a qualidade do sono dos hóspedes.

Spa do turismo do sono

Sleep Spa Hotel
Sleep Spa Hotel l Créditos: Divulgação

No ano passado, a marca sueca Hästens, que produz as camas onde os milionários querem dormir, criou o primeiro Sleep Spa Hotel do mundo, em Portugal. Nesse oásis de 15 quartos localizado em Coimbra, tudo é pensado para que os hóspedes atinjam um “sono superlativo”.

Em Londres, o hotel Zedwell foi um dos primeiros a se vender como focado no sono, com isolamento de última geração e nada de eletrônicos nos quartos. Também na capital britânica, o Brown’s Hotel tem um pacote de experiências que incluem máscara de dormir de seda com infusão de lavanda, tratamento especial no spa e carta de chás de ervas acalmam.

Anantara Kihavah, nas Maldivas
Anantara Kihavah, nas Maldivas l Créditos: Divulgação

No Anantara Kihavah, nas Maldivas, o novo Programa de Enriquecimento do Sono começa com a avaliação de um “sleeping guru” que inclui teste epigenético, e segue com sessões de ioga e exercícios respiratórios, infusão intravenosa de suplementos, serviço de chás e banhos com aromas relaxantes. Six Senses, Hyatt, Mandarin Oriental e Belmond são outras redes que contam com programas do gênero.

“As pessoas costumavam associar viagens a refeições luxuosas e outras muitas atividades, quase à custa do sono. Mas, recentemente, houve uma enorme mudança em nossa consciência coletiva na direção da priorização do bem-estar”, disse Rebecca Robbins, pesquisadora do sono e co-autora do livro Sleep for Success!, em entrevista à CNN.

Turismo do sono pode ser simples

Mas não é preciso investir fortunas pra aderir ao turismo do sono. O primeiro passo é ir atrás de um lugar onde o principal ingrediente de uma noite perfeita esteja presente: silêncio. Some a isso uma boa cama, temperatura amena, proteção contra pernilongos, distância das telas e… boa noite.

Onde achar silêncio?

Atol das Rocas
Atol das Rocas l Crédito: Rodrigo Pereira Barbosa

A organização Quiet Parks International, que identifica potenciais lugares silenciosos em todo o mundo, aponta o Pantanal, o Parque Nacional do Jaú e o Atol das Rocas como redutos de silêncio no Brasil, onde é possível dormir escutando só o barulhinho bom da natureza.

abandono-pagina
No Thanks