moda

Nøgen, a coleção genderless com ar dinamarquês da Casa Diária

Por Fabiana Corrêa -

Ao escolherem o nome de sua nova marca de roupas, a Nøgen, Raphael Dias e Raffaele Asselta, donos da Casa Diária, em São Paulo, uniram duas ideias. Uma, a do conforto e da simplicidade com que se depararam em sua última viagem juntos, quando estiveram em Copenhague, Dinamarca (nøgen significa "nu" em dinamarquês). A outra está no trocadilho com a expressão no gender, que também traduz o conceito das peças: todas simples e com uma modelagem democrática, feita para homens e mulheres.

Foto: Jaime Silveira

A linha tem muito a ver com o estilo que os dois imprimiram à Diária: só o que é simples e essencial, mas com a curadoria perfeita. “Já tínhamos a ideia de fazer a coleção quando chegamos na Dinamarca, mas lá a gente entendeu um pouco mais da maneira que as pessoas vivem e que a gente admira: lá se vive com pouco, mas com conforto, não se vê uma necessidade em ostentar nada”, diz Raffaele. A preocupação com o meio ambiente aparece no uso de algodão reciclado na produção de parte da coleção.

Foto: Jaime Silveira

A Diária já tem suas collabs com outras marcas, como a Reptilia e a By The Sea, mas dessa vez os donos assinam sozinhos as peças.

Foto: Jaime Silveira

Por enquanto, a coleção é compacta – e não há ambições de ir muito além do essencial. Camisetas, calças, parcas e tricôs, nas cores que reproduzem o que se vê nos prédios de Copenhague. “Trouxemos os tons que vimos na arquitetura de lá”, diz Raffaele. A cartela inclui ferrugem, nude, cacau e petróleo. E é mais do que o suficiente. Tudo conversa, se combina e sugere a ideia de viver com menos - e estar bem com isso.

Foto: Raphael Dias