Aperol Endless Summer

Uma guia – e uma playlist – pra curtir o verão em Veneza e Pádua. Porque a vida é bela!

Por - 4/07/2017

Impossível falar da Itália e não falar da combinação que conquistou o mundo: o Aperol Spritz. Enquanto o mundo amargava o período pós-guerra, os moradores de Pádua cicatrizavam mais rapidamente as lembranças com doses de Aperol, lançada em 1919 nesta mesma cidade italiana, onde Santo Antônio, o santo casamenteiro, planejava dormir o sono eterno. Mas a comunhão da receita mais repetida por barmen mundo afora só aconteceu mesmo em Veneza, em 1950, quando o clássico do País da Bota encontrou o prosecco e a tônica para, juntos, se tornarem um – o Aperol Spritz.

Palco de grandes carnavais da história, as cidades vizinhas são unidas por um anel viário facilmente percorrido em meia hora, não muito mais que isso. Essa proximidade e co-dependência sadia não anulam suas particularidades – aliás, pelo contrário, enquanto uma é cortada pelos charmosos canais percorridos a gondôlas e tomada por ruas propositalmente estreitas, a outra se espalha por inteira sob a generosidade do sol que tinge de dourado o verão italiano. Sem medo de esconder a idade, ambas deixam à mostra os prédios e os monumentos locais já tingidos pelo tempo, mas isso não faz delas cidades velhas — antigas, talvez, seja mais apropriado. De qualquer forma, os costumes locais estão devidamente atualizados, e gente de todas as tribos podem (e devem!) visitar as dez dicas que trazemos a seguir. De quebra, criamos uma playlist com as novas e mais solares músicas produzidas na Bota. Dá o play e vem com a gente!

Veneza

01
Caffè Florian
Bastião da história, esse café se mantém na ativa desde 1720 e, por isso, é uma verdadeira instituição veneziana. No melhor estilo “caixinha de joias”, seu interior já foi abrigo a Lord Byron, que harmonizava seus planos e filosofias com xícaras de café e pedaços de bolo. Como se a experiência de estar ali já não fosse marcante o bastante, uma orquestra frequentemente se apresenta no local — e, nestas ocasiões, vale lembrar que é cobrado um couvert artístico por mesa. Para deixar tudo ainda mais poético, a dica é optar por um lugar ao bar, em um dos bancos de veludo, que garante vista privilegiada da alquimia da coquetelaria, onde o Aperol encontra o prosecco e a água com gás.
Piazza San Marco, 57
caffeflorian.com

02
Harry’s Bar
Charlie Chaplin, Truman Capote, Ernest Hemingway e Peggy Guggenhein foram alguns dos que brindaram a vida e afogaram as mágoas em copos fundos, servidos no mesmo bar onde, em 1950, nasceu o carpaccio: a iguaria foi criada para a condessa Amalia Nani Moncenigo, cujas ordens médicas a proibiam de comer carne cozida ou assada. Embora a estética tenha mudado pouco desde que a casa foi inaugurada, em 1931, por Giuseppe Cipriani (sim, ele mesmo!), o Harry’s soube se manter atual: incorporou o Aperol Spritz ao seu cardápio e é parada obrigatória a quem visita Veneza. Sua contribuição histórica é tanta que, em 2001, foi declarado como monumento nacional pelo ministério italiano de assuntos culturais.
Calle Vallaresso, 1323
harrysbarvenezia.com

03
Rialto Bridge
A mais antiga das quatro pontes que cruzam o Grande Canal de Veneza, Rialto é uma instituição em si: foi construída originalmente em madeira, em 1181, por Nicolò Barattieri. Ligando San Marco e San Polo, ela permanece relevante por sua importância histórica, mas também por sua arquitetura bem trabalhada. Toda feita em cimento trabalhado, Rialto mostra um ângulo mais romântico à noite, sob a luz do luar refletida nas águas dos canais.
Sestiere San Polo, 1895

04
Molino Stucky Rooftop
Acredite: Veneza é ainda mais bonita vista de cima. Do topo do Hilton Hotel, o Molino Stucky Rooftop é o lugar perfeito para ver o laranja do Aperol Spritz se espelhar no entardecer de uma das cidades mais românticas do mundo. Iluminado por luzes azuis indiretas, o bar privilegia o conforto de seus convidados, que curtem uma vida open air acompanhada de uma trilha sonora estilo lounge. Petiscos e lanches leves garantem energia para aquele papo sem pressa e sem hora, como tem que ser.
Giudecca, 810


05

Hotel Corte di Gabriela
Com 11 suítes, o hotel butique Corte di Gabriela é um lembrete de que menos é mais. O quatro estrelas brilha forte na singularidade de cada aposento, cujo mobiliário não se repete. O lounge a céu aberto é um convite perfeito para degustar alguns dos pastries feitos ali mesmo acompanhados de café. Sem contar a localização estratégica: o hotel está próximo de pontos de interesse, como o Palazzio Fortuny, mas não perde a privacidade e a calmaria tão necessárias para um pouso prolongado.
Calle Avvocati, 3836
cortedigabriela.com

06
Libreria Acqua Alta
No inverno, Veneza testemunha um fenômeno conhecido como “acqua alta”, que é o avanço periódico das marés, causando inundações que duram de três a quatro horas. Para solucionar esse problema regional, a Libreria Acqua Alta colocou todas as obras que seriam afetadas em caso de enchente dentro de banheiras, barcos e gôndolas. Fundada em 2004 por Luigi Frizzo, a livraria tem ainda outra particularidade: nem todos os livros ali estão à venda. Algumas enciclopédias antigas e outros grossos volumes de livros raros foram alçados ao status de obra de arte, e usados como mobiliário e peças de decoração. Com uma notória variedade de autores e edições, a livraria é onde qualquer amante da literatura gostaria de atracar permanentemente.
Campiello del Tintor, 30122

07
Caffè Centrale
Antes de se entregar a sua real vocação noturna, o nobre espaço era ocupado pelo Cinema Centrale. Mas de espectador passou a protagonista depois de uma reforma, em 2005. As luzes de vela revelam o suficiente das paredes de tijolos expostos, dos móveis em madeira rústica e das esculturas que ocasionalmente emprestam sua arte ao ambiente, duelando com celebridades – Christina Aguilera e Elton John são alguns dos frequentadores. Além dos drinks sempre ao ponto, a casa ainda oferece um menu completo de jantar: todo aparato necessário para uma noite sem começo, meio ou fim.
Calle Piscina de Frezzaria, 1659/B
caffecentralevenezia.com

08
Ca’Macana
Lembra daquela emblemática cena caliente do filme “De Olhos Bem Fechados”, de Stanley Kubrick, em que pessoas de alta posição social se escondiam atrás de máscaras venezianas para viver fantasias de uma noite? Pois bem, aquelas máscaras lindas têm pedigree: são da Ca’ Macana, um dos ateliês mais antigos e respeitados da região. Ali cada peça é feita à mão, repetindo o processo original de quase um século. Além de poder escolher entre uma infinidade de máscaras (não existem duas iguais), os visitantes podem optar por fazer aulas e criar seu próprio adereço, sempre seguindo a tradição.
Sestiere Dorsoduro, 3172
camacana.com

Pádua

09
Orto Botanico di Padova
Verão na Itália estica o sol para além do horário convencional, e isso pede uma vida outdoor – de preferência em meio à natureza. Todos os nossos anseios encontram alento no Orto Botanico di Pádua, o jardim botânico universitário mais antigo do mundo, datado de 1545. Abrigo para mais de 7 mil espécies de planta, esse santuário verde abre de segunda a domingo, das 9h às 19h. Com 22 mil metros quadrados, o jardim é protegido por uma muralha que, à época, tinha como intuito evitar o furto das ervas medicinais cultivadas no local. Séculos depois, segue firme na sua missão de curar o que dói no corpo e, sobretudo, no coração.
Via Orto Botanico, 15
ortobotanicopd.it

Foto Alba Maffeis

10
Navigli
Há quem venha pelos drinks, há quem venha pelos petiscos e há quem venha pela música ao vivo. Mas, no final das contas, o grande chamariz de um dos bares mais descolados de Pádua é o vidente Ugo, que lê a mão dos visitantes e faz previsões para a vida de quem estiver disposto a ouvir. Pelos relatos bem sucedidos, Ugo parece acertar em cheio os palpites que dá. Particularmente concorrido no verão, visto que é um estabelecimento a céu aberto, o bar recebe gente de todas as idades e nacionalidades, com pique para ver a noite virar dia.
Viale Giuseppe Colombo, 35131

11
Villa Italia Sporting Club
De junho a setembro, o clube Villa Italia coloca sua piscina à disposição dos que querem desfrutar do verão até a sua última gota. Das 10h às 19h, membros e visitantes no esquema day use são aceitos, e todos podem usufruir do serviço à beira d’água, que inclui bons drinks e comidinhas leves. À noite, o cenário muda: mesas, cadeiras, caixas de som e toda a estrutura para uma festa de primeira. Os eventos ali costumam ser particulares, então é preciso descolar um convite (ou ingresso, porque há festas organizadas) para curtir o luar nesse cenário tão distinto.
Via Sergio Fraccalanza, 3
facebook.com/villaitaliapadova

12
Bar Nazionale
Segredo nacional: dolce far niente tem gosto de tramezzini e Aperol Spritz numa tarde de sol, no coração da sempre movimentada Piazza delle Erbe. Talvez isso explique o sucesso do Bar Nazionale, cuja estrutura modesta parece disfarçar o luxo que é poder ver a vida em slow motion se desenrolando por ali, no centro cultural de Pádua. Embora seja uma missão quase impossível conseguir uma mesinha na parte externa do bar, a luta vale a pena por muitos motivos: não apenas os sanduíches são deliciosos e as bebidas feitas com perfeição, os preços são bastante generosos.
Piazza delle Erbe, 41

The Summer Hunter e Aperol se uniram para contar as histórias das pessoas e dos locais mais inspiradores do Brasil e do mundo que respiram a vibe do verão o ano todo. Aqui você confere entrevistas, guias de viagens e várias dicas para curtir durante ou fora da estação ensolarada. Acompanhe tudo na nossa página e também nos canais de Aperol, no Facebook e no Instagram (@aperolspritzbrasil). Confira ainda as playlists no perfil no Spotify: endlesssummerbr.

Populares