viagem

Bali: 7 motivos pra você amar Ubud

Por Sheila Zago -

De surfistas a casais em lua-de-mel, a fama de Bali, no Sudeste Asiático, é internacionalmente conhecida. Em seus mais de 5.000 Km2 de ilha há incontáveis praias – algumas perfeitas para o surf, outras ideais para boiar e esquecer da vida –, festas de todos os tipos, cultura local e gastronomia internacional.

Deu vontade? Então esqueça tudo isso. O melhor lugar de Bali não tem ondas (nem mesmo mar!), não tem festas, não é cosmopolita.

Ubud é, literalmente, o coração da ilha. Descoberta pelo mundo após o sucesso do filme Comer, Rezar e Amar, essa vila é rodeada por verdes vales onde a água flui, a natureza convive em harmonia, o sagrado impera, os campos de arroz dão o tom e cada canto é especial.

Neste ambiente, a cultura balinesa vibra com mais força: é notável o respeito pelos seus templos, sítios arqueológicos e religião hindu.

E aqui vão as minhas dicas para você cair de amores por uma Bali que nem todo mundo conhece.

People - Sheila Zago

01

Selamat Pagi! (bom-dia, em balinês)
Os habitantes de Ubud estão entre os mais carismáticos de todo o Sudeste Asiático. São parte importante do patrimônio imaterial de Bali e conhecê-los é fundamental. Alegres e gentis, estão sempre dispostos a abrir suas casas e dividir sua cultura. Esse contato pode ocorrer em qualquer lugar, basta estar aberto: de uma simples conversa na mesa de café da manhã até uma aproximação mais intensa.

Dica: fale com o garçom, o motorista, a camareira… Eles são cheios de histórias bonitas pra contar e riqueza cultural para dividir. E se você aprender meia dúzia de palavras básicas, o sorriso desse povo vai ser ainda mais largo.


Templo II - Sheila Zago

2

Os lugares sagrados
Os templos estão por toda ilha e feriados religiosos fazem parte da cultura balinesa. Mas Ubud faz mais bonito. A arquitetura segue a tradição e há altares e locais de devoção em todas as ruas. Dos pontos famosos aos menos conhecidos, cada espaço é especial. Dependendo de onde você circular – e da sorte que tiver! –, é possível deparar e acompanhar rituais e procissões. E há sempre um motivo de celebração: nascimento, casamento, funeral, devoção a um deus, não importa. Lá estão os balineses com suas roupas típicas, flores e cores para trazer ao seu dia um momento mais especial.

Dica: o feriado mais importante de Bali é o Nyepi, o Dia do Silêncio, quando toda a ilha para, inclusive com o fechamento do aeroporto. Ocorre de acordo com o confuso (para nós) calendário hindu. Na véspera, há belíssimos rituais por toda a vila. Posso garantir que é uma das experiências mais incríveis.


Arte contemporânea - Sheila Zago

3

Arte e cultura, tradição e contemporaneidade
Além da bonita arquitetura, outras expressões artísticas são fortemente presentes em Ubud. Conhecida como o recanto cultural da ilha, cada esquina faz jus àfama, trazendo artesanato, pintura, escultura, música e dança tradicional e moderna. As apresentações de dança ocorrem diariamente dentro dos templos e espaço culturais, e apesar de serem focadas nos turistas, elas são belas e imperdíveis. Vale destacar que há opções de cursos de arte por toda parte, é escolher uma área e aprender.

Dica: os ateliês dos artistas locais fica distante do centro da vila. Mas vale a pena pedir ajuda a um taxista e ir até lá. Com sorte, você conhece até a casa de um deles.


Yoga - Daiana Gama

4

Cuide de você
Ubud é também internacionalmente conhecida como importante centro de yoga, meditação e espiritualidade. O lugar é repleto de escolas e profissionais livres que dão aulas em todos os lugares, inclusive no hotel em que você estiver hospedado. Entre as escolas, a Yoga Barn é a mais conhecida. Você pode fazer aulas avulsas ou, caso pretenda ficar mais tempo na ilha, pode fechar um pacote. Ubud também é sede de um dos maiores festivais do gênero, o Bali Spirit, que se autodefine como uma celebração global de yoga, dança, arte e música. No decorrer do festival, que em 2015 está marcado para ocorrer entre os dias 31 de março e 5 de abril, a vila recebe quase 100 concertos, performances e oficinas.

Dica: A Yoga Barn oferece aulas gratuitas todo final de tarde, que variam a cada mês.


Nasi Goreng - Divulgação

5 – Comer bem – e dançar, por que não?
Cafés, restaurantes, bistrôs: alguns dos lugares mais deliciosos da ilha estão ali. São tantas e tão boas as possibilidades que você vai precisar de bastante tempo para experimentá-las. Da culinária balinesa à gastronomia internacional, você vai encontrar várias versões do Nasi Goreng (o tradicional arroz frito indonésio), pizza genuinamente preparada em forno à lenha (preciosidade no sudeste asiático), comida mexicana, francesa, japonesa… Mas nada melhor do que se jogar nas delícias locais: desde os restaurantes minúsculos até os mais sofisticados, todos valem a tentativa. E se você é devoto da gastronomia vegetariana, orgânica ou natural, Ubud também é um paraíso: há muitas opções. E se tudo isso não for o bastante, muitos locais oferecem shows ao vivo e pistas de dança.

Dica: explore todos os locais possíveis e fique atento: se houver balineses comendo, pode ter certeza de que a comida é boa.


banner-hubud1-1024x475
6 – Tecnologia, tem também
Ubud reúne as mentes mais criativas da ilha, muitas vindas das mais diversas partes do planeta. Com o trocadilho Hubud (hub em Ubud), o espaço é o primeiro co-working de lá e tem reunido a comunidade internacional voltada às novas iniciativas. O núcleo funciona como uma comunidade e atrai gerenciadores de startups de diversas nacionalidades e segmentos. O movimento é intenso e os envolvidos garantem que muitos dos projetos sendo desenvolvidos ali ganharão o mundo em breve.

Dica: se você não for um empreendedor focado em novos negócios, tudo bem. O café do Hubud tem uma vista de tirar o fôlego para um campo de arroz belíssimo: já vale apenas sentar ali, degustar uma vitamina saudável e dar um check-in no Foursquare.


Ubud sunrise - Sheila Zago

7 – Ubud e além
Por fim, estar no coração da ilha tem outras vantagens. De Ubud, você pode explorar a vizinhança e grande parte de Bali com mais facilidade – passar um dia na praia e voltar ou contratar uma agência para um tour de bicicleta, caiaque, visitar um santuário de elefantes ou escalar o Mount Batur (um vulcão em erupção de onde você vê o nascer-do-sol).

Dica: alugue uma scooter para explorar Ubud e seus arredores, especialmente as áreas mais remotas.

Crédito de fotos: Sandra De San Jose, Sheila Zago e Xavier Carceller