diversão & arte

Os blocos imperdíveis do pós-Carnaval no Rio de Janeiro

Por Rafael Andery -

Achou que não ia mais ter bloco de Carnaval no Rio de Janeiro também? Achou completamente errado. Não há santo, intervenção federal ou prefeito evangélico que consiga frear o amor dos cariocas pela farra de rua - ainda que a cidade esteja sofrendo um bocado, com arrastões diurnos, assaltos e uma sensação generalizada de insegurança pelos foliões, que mesmo assim somaram 6 milhões. Dito isto, se ainda tiver coragem, confira 4 blocos que são garantia de animação na cidade.

Que Ataque Foi Esse

Que Ataque foi Esse?

O bloco noturno comandado pela banda Ataque Brasil vai até altas horas no Centro da cidade. Lá, o grupo de metais, percussão, sopro e batuque que se autodenomina uma “fanfarra carioca tupinopunk sambagroovística em 220 volts” eletriza os foliões que gostam de curtir um bloco, mas não são tão fãs das altíssimas temperaturas dos dias de verão do Rio.
facebook.com/events/1675079235888596
Quando: Sexta, 16/02, 22h
Onde: Praça Marechal Âncora, Centro


Bloco Superbacana

Bloco Superbacana

Em 2018, o bloco Superbacana homenageará os 50 anos do clássico disco “Tropicália ou Panis et Circensis”, tocando-o na íntegra e na ordem. Além disso, é claro, outras brasilidades dos artistas presentes no disco também serão prestigiadas, com muito Gilberto Gil, Caetano Veloso, Jorge Ben Jor e Gal Costa rolando.
facebook.com/events/273830923146174
Quando: Sábado, 17/02, 15h
Onde: Praça Afonso Pena, Tijuca


Bloco BaqueMulher

Cortejo Baque Mulher

Maracatu, feminismo e a beleza da Praça Mauá, no Centro. Esses são os ingredientes que fazem a festa no cortejo do Baque Mulher, um grupo de maracatu criado e administrado por mulheres originalmente no Recife, mas que já se espalhou pelo Brasil. Para além de festa, o Baque Mulher também realiza importantes trabalhos sociais em comunidades carentes.
facebook.com/events/1595418380545137
Quando: Sábado, 17/02, 16h
Onde: Praça Mauá, Centro


Tambores De Olokun

Tambores de Olokun

Formado por alunos do percussionista Alexandre Garnizé, um dos grandes nomes do maracatu no país, o grupo Tambores de Olokun (na foto que abre este post) faz sua da sua apresentação de pós-Carnaval um verdadeiro caldeirão cultural afro-brasileiro. Tudo muito bonito. E tudo muito dançante.
facebook.com/events/2075273469421226
Quando: Domingo, 18/02, 16h
Onde: Aterro do Flamengo, na altura do bar Belmonte, Flamengo

Confira aqui os melhores blocos do pós-Carnaval de São Paulo