viagem

Ponta dos Castelhanos: um paraíso preservado na Bahia

Por Fernanda Nascimento -

Quase 300 praias cortam os 1200 quilômetros da costa da Bahia, o estado que tem a faixa litorânea mais extensa do país. Isso sem contar as dezenas de ilhas banhadas pelo mar cristalino e com coqueiros a perder de vista. É quase impossível escolher um destino entre tantos lugares que carregam a energia que só a Bahia tem. Mas na ilha de Boipeba, no município de Cairu, no norte do estado, fica escondida uma das praias mais bonitas da região. A Ponta dos Castelhanos é um lugar que você pode visitar 100 vezes e nunca vai estar igual. O cenário se transforma de acordo com a maré, que chega a recuar quase um quilômetro, revelando corais, pontões de areia e formando piscinas cristalinas de água salgada.

Não há como se hospedar na Ponta dos Castelhanos, portanto o movimento se restringe à manhã e à tarde, quando barcos saindo de diferentes pontos da ilha de Boipeba levam os turistas às piscinas naturais. Durante o dia, barraquinhas montadas na beira do rio que margeia a praia servem pastéis, peixe assado e caipirinhas de cacau e biri-biri. A única maneira de passar a noite por lá é montando um acampamento debaixo das árvores. Mas, acredite, o nascer da lua faz a aventura valer a pena.

castelhanos07

Além do acesso pelo mar, outra maneira de chegar à Ponta dos Castelhanos é por uma caminhada que sai da praia de Moreré, outro destino na ilha de Boipeba que está entre os lugares mais lindos da Bahia. A trilha dura cerca de 1h30 – uma hora para cruzar a praia de Bainema e outra meia hora para atravessar o mangue que leva ao rio que banha Castelhanos. O caminho pelo mangue pode ser difícil de acertar na primeira vez, mas é possível contratar um guia para orientar o percurso saindo de Moreré. O mais importante é se certificar que a maré estará adequada à travessia a pé, tanto na ida quanto na volta. No final do mangue, uma canoa te leva ao outro lado do rio.

castelhanos06
castelhanos05

No verão, o fluxo de barcos que fazem passeios diurnos aumenta o movimento em Castelhanos, mas os turistas concentram-se na beira do rio. Basta caminhar alguns metros para chegar a uma enorme faixa de areia quase vazia e aproveitar o dia assistindo o vai e vem da maré. Diferente de outras praias paradisíacas da Bahia que se transformaram em points turísticos, Castelhanos preserva a tranquilidade. Ao menos por enquanto. Há alguns anos, um projeto imobiliário ameaça transformar a praia construindo casas de veraneio e pousadas de luxo. É melhor não demorar. Perder a chance de conhecer esse paraíso ainda pouco explorado é quase um pecado.

castelhanos02
castelhanos03

Fotos: Thais Romanelli