Vibes

11 razões para você se hospedar no hotel Fera, em Salvador

Por
Ricardo Moreno
Em
12 agosto, 2019

Se entre os anos 1930 e 1970 o Fera Palace Hotel – à época somente Palace Hotel – pautou a noite (e o dia) de Salvador como destino predileto de personalidades como Carmen Miranda e Pablo Neruda, desde sua reabertura, dois anos atrás, tem encabeçado um bem-vindo movimento de revitalização do Centro Histórico da cidade. Localizado a poucos metros do Pelourinho e com uma vista privilegiada da Baía de Todos-os-Santos, eis aqui nossas 11 razões que fazem dele nosso hotel predileto em Salvador.

01.

Conta com objetos decorativos originais de quase um século

Fechado desde 2006, o imóvel passou por uma recuperação que durou cinco anos, orquestrada pelo premiado arquiteto dinamarquês Adam Kurdahl até renascer como Fera Palace Hotel em 2017. Os 230 adornos externos e as 640 janelas de madeira maciça, por exemplo, são originais de quase um século atrás.


Reprodução

02.

Era o hotel predileto de Pablo Neruda e Carmen Miranda

Construído na década de 30, o prédio onde durante cerca de 40 anos funcionou o Palace Hotel foi destino de personalidades como a cantora Carmen Miranda, o escritor Pablo Neruda e o cineasta Orson Welles.


Caetano e Gil | Foto: Reprodução/arquivo pessoal

03.

Caetano e Gil se conheceram na mesma rua

Foi a poucas quadras dali, na mesma Rua Chile, que Caetano e Gil se conheceram pela primeira vez, em 1963, em frente a uma loja de calçados cujo dono era o pai do cineasta Glauber Rocha.


Fachada do Espaço Itaú de Cinema | Foto: divulgação

04.

Está a poucos passos do melhor cinema de rua

Você está a uma quadra de um dos poucos cinemas de rua da cidade, o confortável Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha, na Praça Castro Alves.


Igreja e Convento de São Francisco, no Pelourinho | Foto: Sloot

05.

O Pelourinho é logo ali

Na direção oposta, a 500 metros, localiza-se o Pelourinho, no coração do Centro Histórico, considerado Patrimônio Cultural da Humanidade, tombado pela Unesco, em 1985.


06.

E no Centro Histórico tem acarajé e muita cultura

Além de conhecer igrejas como a do Rosário dos Homens Pretos e a Catedral Basílica, a Casa do Olodum, a Fundação Jorge Amado e até a sacada em que Michael Jackson gravou o clipe de “They Don’t Care About Us”, em 1996, não deixe de provar o Acarajé da Mary e entenda que nem só de Cira vive a capital baiana.


Fachada d’O Cravinho | Foto: Fabio Marconi/Secretaria de Cultura

07.

O melhor bar de caçachas também está no caminho

Dá pra voltar andando – ou engatinhando, a depender da sua sede etílica – d’O Cravinho, o mais famoso bar de Salvador quando o assunto é a variada carta de cachaças.


Porto do Moreira | Foto: Fabio Marconi/Secretaria de Cultura

08.

Se esbaldar com a moqueca do octogenário Porto do Moreira

Também dá pra ir caminhando num dos restaurantes que serve a melhor moqueca da cidade, o octogenário Porto do Moreira. Esse clássico pé-sujo foi frequentado por personalidades como Jorge Amado, Batatinha e Riachão, Glauber Rocha, Caetano Veloso…


09.

Admirar a Baía de Todos-os-Santos da piscina

Localizada no nono andar, a piscina de borda infinita e 25 metros de extensão oferece uma vista privilegiada da Baía de Todos-os-Santos – e um pôr do sol digno de aplausos.


Um dos quartos do Fera com fotos de Akira Cravo | Foto: divulgação

10.

Conhecer as fotos de Akira Cravo, cujo trabalho está espalhado pelo hotel

Apreciar as cerca de 120 fotos do artista baiano Akira Cravo – filho de Mario Cravo Neto –, cujo trabalho espalha-se pelos corredores e quartos do hotel.


11.

Comprovar porque é o mais moderno e animado hotel da cidade

Os 81 quartos, que têm entre 18 e 110 m², costumam custar menos que o Fasano, que fica ali do lado. E há quem garanta que eles são ainda melhores e com um ambiente mais moderno e animado.

ferapalacehotel.com.br