Solar Vibes

Os melhores endereços pra fazer o brunch dos sonhos em São Paulo. Edição 2021/2022

Por
Fabiana Corrêa

Atenção: este post foi checado e atualizado no dia 5 de outubro de 2021 com novos lugares, informações e horários. Recomendamos que confirme antes de sair de casa. Na foto de abertura, cuscuz de milho com creme de queijo mandala, chips de batata doce e ovo frito do Cuia Café, da chef Bel Coelho.

Ele tem tudo a ver com o momento atual, em que o a transferência do escritório para dentro de casa misturou refeições. Pra quê fazer café da manhã AND almoço se a gente pode economizar tempo e trabalho e unir tudo na mesma hora com um belo brunch? Essa mistura das palavras inglesas breakfast (café da manhã) e lunch (almoço) costuma acontecer aos finais de semana, mas pegou tão bem na cidade que algumas casas servem todos os dias. Além das delícias matinais tradicionais, entram pratos do almoço, como um uma massa recheada, salmão defumado ou salada. Tradicionalmente, o brunch é regado a mimosa ou tacinha (s) de espumante. Mais do que refeição, aliás, brunch é um programa completo. Inclui papo com os amigos ou aquele momento de ler sua revista preferida em uma varanda ensolarada, com um cardápio tão incrível que pode incluir suco verde, mimosa, ovo poché e penne al limone. Brunch é a refeição oficial do verão. E a nossa predileta.

A Baianeira

Uma mistura saborosa de Minas Gerais com Bahia vai à mesa posta de Manuelle Ferraz. Natural de Almenara, no Vale do Jequitinhonha (MG), a chef mostra sua origem no pão de queijo, que pode ser recheado com carne de panela e ovo caipira, um dos mais pedidos da casa na Barra Funda. O brunch completo d’A Baianeira (@abaianeira) é servido aos sábados na Barra Funda e aos domingos, no MASP. Tem banana da terra com mel e amêndoas e cuscuz ao leite de coco. Para acompanhar, de leve, peça o kombucha artesanal de chá verde com rapadura. Ou se anime e prove os drinks criados por Nelí Pereira para a casa, com misturinhas bem inusitadas, como o gin com goiaba, pimenta e tônica. Aí já emenda com um pastelzinho do dia e só saia no meio da tarde, para os corredores do MASP: você vai compreender arte como nunca.
Rua Dona Elisa, 117, Barra Funda
Av. Paulista, 1578, Campos Elíseo
s

BotaniKafé

A casa virou referência de brunch em Pinheiros e hoje tem unidades também nos Jardins e no Butantã. O carro-chefe do BotaniKafé (@botanikafe) são os bowls com frutas frescas e os sucos deliciosos. Mas os mais pedidos são mesmo as torradas bem servidas que fazem muito bem o papel de café e almoço de uma só vez. O Ozzy Break tem fatias de pão levain, ovos cremosos com cebolete, salmão curado, mix de cogumelos e coalhada da casa com páprica. Experimente o suco de pitaya ou de capim santo para entrar no clima praiano que os donos Felipe Scarpa, empreendedor e surfista, e Manuela Albuquerque, uma arquiteta criada  na Ilhabela, imprimem ali. 
Alameda Lorena, 1765, Jardins 
Calçadão, Av. Magalhães de Castro, 286, ButantãRua Padre Garcia Velho, 56, Pinheiros

Botanista

Um quintalzinho repleto de plantas no centro de São Paulo. Colorido, aconchegante e frequentado por um povo bacaninha. O que mais a gente quer pra um domingo preguiçoso? A Botanista (@abotanista) se define como um restaurante de comida do interior e do sertão. Então a gente vai lá pra revisitar nossas raízes porque comida também é cultura. O cuscuz é de lei e vem com ovo mole. Tem banana da terra com melado e castanha do Brasil amanteigada. E tem o pão na chapa para os paulistanos da gema, nessa versão feito com pão levain. Tem muitas opções veganas, como o mesmo cuscuz, só que acompanhado de cogumelos e feijão fradinho. Pra sertanejo nenhum passar fome. E dá pra completar o programa atravessando a rua Amaral Gurgel e visitando a livraria Gato sem Rabo (@gato.sem.rabo), que só tem livros escritos por mulheres. Ou subindo o Minhocão para andar sob o sol.
Rua Bento Freitas, 290, Vila Buarque

Camelia Ódódó

O restaurante de Bela Gil é uma atração gastronômica e tem pratos para um brunch, obviamente, saudável e natural. Você pode começar com a tapioca de cogumelos com creme de avocado ou uma tostada com pão de fermentação natural, carne de jaca e maionese de castanhas feita ali mesmo. O pain au chocolat, tradicional da confeitaria francesa, aparece aqui no Camelia Ódódó (@camelia_ododo) em uma versão vegana. Pra beber, uma vitamina de açaí com cupuaçu bem brasileira, no melhor estilo da chef natureba. 
Rua Girassol, 451B, Vila Madalena

Cuia Café

O talento de Bel Coelho está em tudo nessa casa, que fica no térreo do icônico edifício Copan. É um programa completo ir ao Cuia (@cuia_cafe). Você caminha um pouco pelas ruas do Centro, passa pela livraria Megafauna, que funciona no mesmo ambiente, e senta-se nas mesinhas na calçada para se alimentar com as delícias criadas por Bel. Não há um cardápio específico de brunch, mas a sequência pode ser mais ou menos essa: um mate com nibs de cacau, waffle com mel e manteiga artesanal ou cuscuz de milho com creme de queijo mandala e ovo frito. Aí, já abastecido, você pede um Fitzgerald, que na leitura da casa leva gin, angostura, limão, espuma de jambu e pó de jabuticaba. Você vai ficando, olhando os arredores se encherem de gente enquanto manda vir uma tostada de hommus com picles de tubérculos e sementes. Ou uma pannacota de iogurte, tartare de frutas, granola da casa e mel de jataí. E, claro, tem os pratos do almoço para quem se demorar mais, como o risoto de abóbora defumada, cogumelos e cavolo nero. Aí é só fechar com um capuccino ou um espresso tônica e sair feliz caminhando pela Avenida São Luis. Essa é a definição de domingo perfeito.
Av. Ipiranga, 200, loja 48, República

HM Food Café

Ao lado da Praça Benedito Calixto, conhecida por sua feira de antiguidades, o HM Food Café (@hmfoodcafe) café funciona em um salão arejado e com espaço ao ar livre. Aos finais de semana, o brunch funciona com reservas. Um dos pratos mais pedidos é o shakshuka, ovos cozidos no molho de tomate com pimentão e especiarias, que acompanha cesta de pães. E o tradicional do brunch é uma torrada com ovos mexidos, ervas, abacate ou presunto parma, panqueca com frutas ou salada de frutas amarelas, suco de laranja e um café à escolha. Para xs animadxs, mimosa ou uma jarra de 1l de cleriquot. Se joga.
Rua Teodoro Sampaio, 1027, 1º andar, Pinheiros

Padoca do Maní

Projetado para ser um pedacinho chique do interior na cidade, com decoração rústica, hortinha e cheiro de bolo recém-saído do forno, a Padoca do Maní (@vemprapadoca), da chef Helena Rizzo, serve alguns combinados delícia para seu findi. O Café Padoca Vegano inclui suco de laranja, espresso ou pingado com leite de amêndoas, iogurte de leite de coco, granola de pistache, geleia, scramble de tofu, hommus de castanha e cesta de pães. Um dos preferidos dos habitués, os moradores do Jardim Paulistano, onde está a casa, é o combinado Brunch: suco de laranja, salada de frutas com iogurte e granola, mini-salada da roça, quiche ou torta do dia e um bolinho. Dá pra completar com o latte machiatto gelado. Há uma segunda unidade dentro do Shopping Iguatemi, mas diz a lenda que um brunch ao sol é outra coisa.
Rua Joaquim Antunes, 138, Jardim Paulistano
Shopping Iguatemi, Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232, Jardim Paulistano

PÃO – Padaria Artesanal Orgânica

A unidade do Itaim do PÃO (@padariaorganica) tem um farto bufê de café da manhã aos sábados, domingos e feriados. Na mesa, ovos mexidos, requeijão, granola, geleia de amora, iogurte com salada de fruta, cookies, bolo de cenoura com cacau, frutas da estação, bolo de azeitona, brownie, rabanada, quiche, pão de queijo, sucos, queijo quente, pães, mel, café coado e por aí vai. Além disso, dá pra levar pra casa os ótimos bolos e os pães de fermentação natural feitos ali diariamente. É comida gostosa e de qualidade, então vale a pena abastecer a despensa.
Rua Doutor Mário Ferraz, 213, Itaim

Urbe Café Bar

As paredes grafitadas e a galera sentada em banquinhos ou nas mesas dispostas na calçada dão o tom do Urbe Café Bar (@urbecafebar). Aos finais de semana e feriados, o brunch tem um combo para pedir a dois, com cestas de pães com manteiga, geleia e mel, salada de frutas, ovos mexidos, bolo caseiro, torta de frango ou quiche de legumes, pastinha de abacate, 2 sucos de laranja e 2 xícaras de café. Se a fome não acabou aí, dá pra completar com a torrada de lentilha com hommus de beterraba e tomate confit. Ah, e tem café coado na Kalita, que é suave e mega saboroso. Só amor.
Rua Antônio Carlos, 404, Consolação

Futuro Refeitório

Um galpão nos fundos de um predinho é, possivelmente, o lugar mais descolado de São Paulo para se tomar um brunch. Ainda que não tenha janelas, é bem amplo. No Futuro Refeitório (@futurorefeitorio), o Avo Ovo Bacon faz sucesso. É uma torrada de pão de fermentação natural delicioso com manteiga, servida com abacate, ovos mexidos e iogurte da casa, além de duas fatias de bacon crocante. Depois de tudo isso, cai bem uma infusão de maracujá e gengibre com mel ou um chai latte. E tem aquele café moído na hora.
Cônego Eugênio Leite, 808, Pinheiros

Fabrique

A Fabrique (@fabriquepaes) é uma padaria artesanal com três unidades onde é possível tomar café da manhã caprichado o dia todo. O mais querido do cardápio é o croissant com ovo frito e flor de sal. O Ultimate Breakfast traz muffin com ovos mexidos, bacon, queijo emmenthal, tomate e jalapeño. Se você for ficando, complete com o cardápio do almoço, que inclui salada de folhas com presunto cru, noz pecã e figo. E, se der, não perca o cornetto de Nutella. Vai bem com affogato: espresso com pannacota e sorvete. Pra levar, muitas delícias tradicionais francesas, como o pain au chocolat ou o paris-brest, uma massa com recheio de avelã e creme patissiere.
R. Itacolomi, 612, Higienópolis
R. Faustolo, 553, Vila Romana
R. Conselheiro Brotero, 870, Santa Cecília

Hotel Emiliano

O brunch do Emiliano (@hotelemiliano) é uma sequência interminável de comida chique, que varia de tempos em tempos. De fixo: waffle com maple syrup, omelete com trufas negras, cuscuz nordestino com queijo coalho. Aí tem o almoço, né? Risoto de camarão e abobrinha, filé de wagyu ao molho poivre ou ravioli de berinjela, tudo em porção degustação pra não perder nada. Por fim, o creme brulé de manjericão com crocante de castanhas e sorbet de morango é uma das sobremesas do cardápio no momento. Servido aos sábados, domingos e feriados, inclui cafés e variações, sucos, espumante, vinhos branco e tinto da casa. Um senhor brunch.
Rua Oscar Freire, 384, Jardins

7 Molinos

Em uma casinha no Alto da Boa Vista, essa padaria familiar serve brunch aos sábados e domingos, das 8h30 às 16h30, na varanda com vista para uma rua arborizada e tranquila. Pertinho da estação de metrô Alto da Boa Vista da linha Lilás. Há duas opções de combinados na 7 Molinos, a mais completa tem croissant ou baguete da casa na chapa, salada de frutas, granola, suco natural e uma bebida quente. Todos os pães são feitos por Silvia, a dona, que está sempre ali. Se a fome continuar, dá pra completar com queijadinhas, croissant de amêndoas e financier. Tudo é feito diariamente e por isso a casa tem um delicioso cheiro de pão no ar. 
Rua da Fraternidade, 174, Alto da Boa Vista

Café Habitual

O pequeno salão do Café Habitual (@cafehabitual) é uma graça. Poucas mesas e uma vidraça para a rua, além de um segundo andar com mesa comunitária. O brunch rola solto todos os dias da semana e a qualquer horário. Os hits do cardápio são os ovos beneditinos à moda turca, com peito de peru, rúcula, iogurte, páprica, manteiga e hortelã fresca, e o croque madame, um brioche amanteigado com ovo frito, gruyère e agrião. Outra marca da casa são os smoothies, como o de melão, banana, machá e leite de amêndoas ou o Chunky Monkey (banana, pasta de amendoim, proteína vegana e nibs de cacau). Termine com o bolo mais pedido da casa, de abobrinha com ganache de chocolate branco, nozes e limão siciliano.
Alameda Tietê, 602, Jardim Paulista
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041, Vila Olímpia (Shopping JK Iguatemi)

Panni

Aos sábados, domingos e feriados, essa padaria artesanal e orgânica tem combos reforçados no brunch, com 12 ou 17 itens (que servem um casal e até família), para sair de lá preocupado só com o jantar. O cardápio da Panni (@panni_padaria) é mais para o tradicionalzão das padarias, servido num terraço ou no salão amplo com um quintal nos fundos. A versão premium do brunch inclui iogurte natural com frutas, granola e mel, ovos mexidos, croissant, cestas de pães e pães de queijo, bolo, torta e panqueca com Nutella, além de espumante. As opções de brunch são servidas das 10h às 16h, mas também é possível provar outros pratos, saladas e sopinhas. Super família: dá pra levar os dogs e tem espaço para as crianças brincarem de boa.
Rua Ismael Néri, 485, Água Fria

Paribar

Cercado de verde, talvez você se sinta numa praça de interior, mas o Paribar (@restparibar) está no Centro antigo de São Paulo, ao lado da Biblioteca Mário de Andrade. Tem um brunch aos domingos, das 11h às 17h, com um cardápio que muda sempre. Você pode encontrar, por exemplo, ovos com bacon caseiro e pão orgânico, além de panquecas com frutas e mel. Tem ovos beneditinos no muffin da casa também. E a tradicional mimosa, a bebida oficial do brunch. 
Praça Dom José Gaspar, 42, República

Purana

O restaurante da veganíssima Alana Rox tem uma varanda agradável e repleta de verde, de onde você acompanha o movimento de Pinheiros. A maioria dos pratos do Purana (@purana.co) é, além de vegana, sem glúten e sem açúcar — e as refeições não são apenas pra acabar com a fome do começo do dia, mas reforçar a saúde e dar uma up na imunidade. No combo de café da manhã tem mexidinho de tofu, iogurte plant based, requeijão de castanhas. E tem drink sem álcool porque a ideia aqui é fazer um detox enquanto se alimenta: cleriquot de kombucha com maracujá, pimenta rosa e frutas orgânicas. E muitos sucos: verde, roxo, rosa… De sobremesa, a torta celestial leva brigadeiro branco vegano, coco e um creme de espirulina azul coberto com geléia de damasco.
Rua Cônego Eugênio Leite, 840, Pinheiros

Foto de abertura: Cuia Café/Raphael Criscuolo