Places

Fora da Rota: conheça um lado de Porto Seguro, na Bahia, que não está nos guias de viagem

Por
Heitor Flumian
Em
15 outubro, 2019
Em parceria com

Que Porto Seguro é conhecido por ser um destino que atrai estudantes em busca da farra, todo mundo sabe. O que muita gente não descobriu ainda é que por aqui dá pra garimpar experiências autênticas – e um tanto exclusivas

Que Porto Seguro é conhecido por ser um destino que atrai estudantes em busca da farra longe dos pais e famílias atrás da mordomia dos resorts da região, todo mundo sabe. Também não é novidade que a cidade do litoral baiano, muitas vezes, serve de ponto de partida para quem vai às lindas praias ao sul, como Arraial d’Ajuda, Trancoso e Caraíva. O que muita gente não descobriu ainda é que por aqui dá pra garimpar experiências autênticas – e um tanto exclusivas –, que vão além das igrejas e monumentos que remetem aos primeiros portugueses a desembarcarem no Brasil. A começar, olhando para o norte: a 35 quilômetros, a pequena vila de Santo André, reduto de pescadores com cerca de 800 moradores, reserva um passeio adorável com o seu Carlindo, 61 anos, uma lenda local. “Eu sou filho do vento. Aprendi a navegar antes de começar a andar com as minhas perninhas e faço passeio de barco aqui desde que se iniciou o turismo na região”, conta o baiano a bordo da Amazônas, uma de suas sete embarcações.

O passeio parte do rio João de Tiba pela manhã e rasga o mar de água esverdeada até a Coroa Alta (R$ 100 por pessoa) e a Coroa do Araripe (R$ 150), ilhas que aparecem na maré baixa rodeadas por corais. É o lugar pra observar os peixinhos num mergulho com snorkel, relaxar nas piscinas naturais que se formam ou, ainda, fazer stand-up paddle na prancha que Carlindo leva a reboque despretensiosamente. Quando a maré sobe, a diversão consiste em admirar os quase 13 quilômetros de praias de areia branca e coqueirais, improvisar um surfe com a prancha de SUP puxada pelo barco e ouvir as histórias de Carlindo. Além de músico autodidata (peça ara ver os vídeos em que toca no violão canções de sua autoria), ele é iogue: aos 15 anos, deixou de comer carne vermelha e beber álcool após ler A libertação pelo Yoga, livro de Caio Miranda. De quebra, o homem também faz às vezes de prático dos veleiros ancorados por aqui. “Eu ajudo os velejadores que vêm a Santo André a entrar e sair do rio. Se tem um barco que partiu de Salvador ara cá ou pra Porto Seguro e não chegou, a Marinha me liga e passo as informações”, conta. No rio João de Tiba, Carlindo ainda ensina forasteiros a velejar e a praticar windsurf. Ao entardecer, realiza incursões rio adentro (R$ 150) em busca do melhor lugar pra acompanhar o sol se pôr. “Santo André é especial porque é um lugar que tem poucas pessoas, vento favorável e sol o ano inteiro. O dia em que eu não trabalho, fico triste”, brinca.

A Amazônas, uma das sete embarcações de Seu Carlindo | Fotos: Victor Affaro

Outro ponto cujo pôr do sol é bastante famoso, sobretudo entre os locais, é o restaurante Gallo’s, um ponto totalmente fora da rota para quem visita Porto Seguro. Situado no bairro central, numa área de construções tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional e ruas de paralelepípedos, o estabelecimento dispõe suas mesas em um deque debruçado sobre rio Buranhém, de cara pra brisa incessante que atravessa os manguezais. Como a tarifa – lugar onde os pescadores colocam os pescados do dia – fica a 40 metros, não é raro ver os homens do mar caminharem entre os clientes carregando nas mãos o que virá a ser os seus pratos do dia.

O espeto de frutos do mar do Gallo’s: receita brasileira com tempero português

“A magia do rio e desse cenário, com os barcos que provêm o sustento de várias famílias ao fundo, tornaram o lugar o point dos moradores”, diz Juelizio Alves da Cruz, 57, o Gallo. Natural de Minas Gerais e desde os 20 trabalhando na cozinha, Gallo passou um tempo em Portugal de onde voltou com influências da gastronomia mediterrânea, como se pode saborear desde as lambretas de entrada ao espeto de frutos do mar (R$ 149,90), o carro-chefe da casa – o filé de dourado é de outro mundo –, passando pelos deliciosos bolinhos de bacalhau.

“Aos sábados, temos uma proposta de sunset”, conta Bárbara, filha de Gallo e gerente do restaurante. “Músicos de chorinho e samba fazem um som ao vivo na hora do pôr do sol para que as pessoas possam aproveitar o ambiente e, também, contemplar a natureza”, diz. Sorte de quem vem; e de quem passa a ver Porto Seguro com outros olhos.

Pôr do sol na balsa que liga Santo André a Porto Seguro
Serviço:
Passeio de barco em Santo André: Carlindo (73) 99142-1004.
Restaurante Gallo’s: Praça Visconde de Porto Seguro, nº 20, centro. @galloportoseguro. Tel: (73) 3288-2589.

Sair da rota. Descobrir endereços que nem sempre estão presentes nos guias de viagem. Locais que entregam experiências diferentes e conectam o viajante com a verdade de cada destino. Aproveite mais e melhor o seu tempo nas principais cidades do Brasil.