GOL + The Summer Hunter

Um guia certeiro pelas novidades mais quentes de Beagá

Por Fernanda Nascimento -

Se o ritmo dos mineiros é “mansin”, como se diz no charmoso sotaque de Beagá, não foi nessa velocidade que a capital se transformou. Nos últimos anos, o agito de Belo Horizonte se espalhou pela cidade, que ganhou bares, restaurantes, festas e uma programação cultural de fazer inveja. O pão de queijo e o cafezinho continuam imbatíveis, é verdade. Mas há tanto a experimentar por lá que o tempo é sempre pouco para conhecer o melhor da capital mineira. Por isso, fomos à Belo Horizonte explorar o que há de mais novo e bacana. E, é claro, descobrimos o horário certo para embarcar em sete programas imperdíveis.

07h15
Pão de queijo no Mercado Central

O polvilho que chega do interior de Minas Gerais se mistura ao queijo da Serra da Canastra para se transformar no mais tradicional quitute mineiro. Não é fácil manter a fama de um dos melhores pães de queijo da cidade. Mas o balcão do Dona Diva Café & Quitandas no Mercado Central há nove anos fica cheio de clientes esperando a próxima fornada, que pode ser acompanhada por um café ou um dos bolos preparados na casa. Quando os primeiros pães de queijo saem do fogo, pouco depois das 7 horas da manhã, os comerciantes acabaram de abrir as barracas do mercado que vendem utensílios de cozinha, artesanato e outros quitutes mineiros. A loja comandada pelas duas filhas de Diva Alves ganhou este ano uma charmosa unidade no Grande Hotel Ronaldo Fraga.
Avenida Augusto de Lima, 744, loja 116, Centro


09h
Yoga na Serra do Curral

Todos os domingos, tapetes de yoga e cangas se enfileiram no gramado do Parque Serra do Curral para a aula gratuita organizada pelo Espaço Viva Bem. Sentada embaixo de uma árvore, a professora Vicky Fernandes de Raphael ensina os movimentos escolhidos para que qualquer aluno, seja iniciante ou experiente, possa acompanhar e experimentar o yoga. O “Praticando aos domingos” acontece desde 2015 e reúne de 80 a 180 alunos nos finais de semana ensolarados. A aula só é suspensa em dias de chuva.
Avenida José do Patrocínio Pontes, 1951, Mangabeiras


13h
Almoço no Juramento 202

O bairro da Pompeia não tinha vocação boêmia antes da casa abrir as portas no início do ano. No bar com cara de mercearia são servidos queijos curados lá mesmo, embutidos e outros quitutes de pequenos produtores mineiros para acompanhar a oferta de chopes artesanais. A cervejaria Viela, dos mesmo donos, funciona a duas casas de distância e também oferece suas alquimias no bar. Mas é no domingo que os proprietários do Juramento 202 colocam o fogão para funcionar e servem pratos preparados por cozinheiros que moram na região. Vaca atolada, costelinha e feijoada são algumas das receitas que aparecem no cardápio. Chegue cedo para garantir uma das poucas porções servidas a cada domingo.
Rua Juramento, 202, Pompeia


17h
Drinks na mureta da Sapucaí

Acredite no ditado mineiro: se não tem mar, vamos para o bar. Nos finais de semana, a Sapucaí deixou de ser uma rua qualquer para se transformar em um point do fim de tarde. De olho no movimento, vários bares abriram as portas por lá nos últimos anos. A tradição manda pedir um drink em uma das casas da rua, como a Salumeria Central, o Dorsé ou o Gruê e apreciar o pôr do sol com vista para a Estação Central. Na frente da Benfeitora (foto abaixo), um coletivo de arte e cultura, o agito é garantido.
Rua Sapucaí, Floresta


19h
Happy hour no GUAJA

No coworking inaugurado no ano passado, o fim do expediente é um horário sagrado. É nesta hora que o café vira o bar do Convés, que serve drinks e hambúrgueres aos clientes que começam a ocupar as mesas da área externa no início da noite. Durante a semana, há uma programação de workshops, palestras e cursos. Nas sextas e sábados, um DJ dá o tom de festa à varanda, que segue animada até o começo da madrugada. Seja lá onde for o seu expediente, vale a pena terminá-lo no GUAJA.
Avenida Afonso Pena, 2881, Centro


20h
Jantar no Birosca S2

O restaurante em Santa Tereza fez tanto sucesso depois da inauguração, em 2013, que teve que ser ampliado. Mas o cuidado, da decoração à comida, continua atento aos mínimos detalhes. A jovem chef Bruna Teixeira prepara pratos mineiros com um toque contemporâneo, como a leitoa assada e prensada, que acompanha risoto de canjiquinha e uma folha de couve crocante. Os lugares na casa ficam ainda mais disputados nas noites de quinta a sábado, quando um pianista se apresenta ao vivo no mesmo tom descontraído que dita a experiência no Birosca S2.
Rua Silvianópolis, 483, Santa Tereza


22h
Noite no Pajubar

Na onda de novidades na capital mineira, o Pajubar trouxe vida uma parte abandonada do centro de Belo Horizonte. Desde o ano passado, quando abriu as portas, a casa sedia festas animadas nas sextas e sábados. É preciso chegar cedo para experimentar os drinks e os petiscos servidos no balcão antes de o espaço se transformar em pista. Os escritos pichados nas paredes ditam o espírito do bar: divertido, diverso e democrático. Pegue uma gin tônica e curta uma das festas que invadem a madrugada.
Avenida Santos Dumont, 360, Centro