Places

54 horas: desbravando Tiradentes além de sua história

Por Laura Cesar -

Caminhar por Tiradentes é fazer uma viagem de mais de 300 anos no tempo, período em que os bandeirantes encontraram ouro nas encostas da Serra de São José e começaram a povoar a região. É descobrir becos escondidos entre as ruas sinuosas de pedra, onde os carros dão lugar às charretes. É ver cultura, história e arte dividindo espaço a céu aberto, e sentir tudo isso debaixo do sol – aquele que mesmo no inverno costuma manter os termômetros acima dos 20°C. Mas não é apenas do passado que a cidade mineira, que é patrimônio histórico do Brasil, se apoia. Nos últimos anos, a cidadezinha barroca de cerca de 7 mil habitantes viu uma galera mais jovem, entre 25 e 40 anos, chegar à região com novas ideias de negócios – sempre respeitando a tradição. De restaurantes asiáticos a café moderninhos, nosso roteiro é para você desbravar a cidade além de sua encantadora história – mas sem esquecer dela também.

Dia 01

9h

Passeio pelo centro histórico

Esqueça o carro ao chegar em Tiradentes, pois as vielas estreitas do centro são ideais pra serem desbravadas a pé. Tombada em 1938, a cidade mineira preserva grande parte da arquitetura do período colonial. Os casarões, térreos e coloridos, hoje abrigam restaurantes, lojas e cafés que encantam em cada detalhe. Mas pra entender melhor o contexto histórico da cidade, que durante décadas viveu da exploração de ouro, não deixe de entrar na Matriz de Santo Antônio, a segunda igreja mais rica em ouro do Brasil, e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a única que era frequentada pelos escravos. Nesses passeios, é aconselhável contratar um guia local, pois além de contar algumas curiosidades da Inconfidência Mineira, saberá dizer a origem de termos populares como “pé-rapado”, “enfezado” e “aguardente”. Agências como a Estrada Real oferecem esse serviço.


comida caseira do Raiz Mineira

12h30

Almoço com sabores mineiros

Prepare o bolso e o estômago, pois em Tiradentes não faltam oportunidades pra se comer bem. Pra provar que os mineiros sabem conquistar pelo garfo, desfrute a primeira refeição da viagem num restaurante que realmente entenda da culinária regional. No Raiz Mineira, que fica escondido numa pequena casa centenária no centro e tem atendimento simpático dos donos, os pratos são saborosos: tutu de feijão, torresmo e omelete com a folha de ora-pró-nobis... A dica é harmonizar tudo com a cerveja – local e artesanal – Trembier. Uma outra opção é conhecer a Estalagem do Sabor, que há 35 anos atrai turistas e moradores com receitas mineiras bem servidas.


Obras sacras do museu Sant'Ana

14h

Pausa para apreciar arte

Quando o assunto é arte, dois endereços são obrigatórios. Na Praça das Mercês, uma casa com fachada simples abriga cerca de 1500 obras originais de nomes como Tarsila do Amaral, Pablo Picasso e Di Cavalcanti. O espaço, que poderia passar despercebido por muitos quando visto de fora, é o Instituto Mário Mendonça. Com hora marcada, é possível conferir de perto a surpreendente coleção particular do artista carioca. No quintal da casa, diversas galerias refazem o percurso de quase 50 anos de carreira de Mário Mendonça. Ainda no centro, instalado na antiga Cadeia Pública de Tiradentes, o Museu Sant’Ana é guardião de um acervo extraordinário de imagens que expressam o sentimento artístico e religioso do povo brasileiro.


Maças carameladas da Jane's Apple

15h30

Café no jardim da Jane’s Apple

Além de muito doce de leite e goiabada, em Tiradentes também há maçãs do amor. E aquelas bem artesanais, que combinam o azedinho da maçã verde com coberturas criativas de caramelo, chocolate belga, nuts e outros confeitos. As criações são da Jane's Apple, espaço inaugurado no começo do ano, que é um mix de cafeteria, empório e loja de decoração. A melhor parte fica aos fundos, onde é possível provar os diferentes doces num jardim instagramável. Repleto de mesas, esteiras com almofadas e rede, o ambiente é perfeito pra curtir o entardecer com calma e do 'jeitin que mineiro gosta: com café coado e boas conversas.


Alto do morro São Francisco

17h

Pôr do sol no alto do morro São Francisco

Acessível por caminhada ou de carro, o alto do morro São Francisco, além de ser um dos melhores pontos para contemplar o pôr do sol, oferece uma belíssima vista panorâmica pro Centro Histórico de Tiradentes. Foi nesse cenário, de frente pra capela São Francisco de Paula, que uma das cenas mais famosas da série Hilda Furacão foi gravada. A partir das 17h já é possível acompanhar a luz pintando o céu aos pés da serra de São José. Sente-se no gramado e aprecie a arquitetura colonial e a vielas íngremes da cidade destacando a icônica Matriz de Santo Antônio ao fundo.


A Biroska Santo Reis

20h

Drinks e petiscos na Biroska Santo Reis

Amada e respeitada pelos moradores, a Biroska Santo Reis começou como empório, expandiu para bar e restaurante e hoje é um dos points mais tradicionais de Tiradentes. Por lá, as portas só são fechadas quando o último cliente vai embora. Isso porque Fernando e Luísa, o casal por trás da empreitada, não dispensa um bom papo. O ambiente simples e aconchegante é uma ótima opção para tomar uma cerveja gelada ou dar um shot de cachaça mineira num ótimo custo-benefício. Do cardápio, não deixe de provar os pastéis de angu.


Dia 02

10h

Trilha na Serra de São José

Apesar de ser menos divulgado que as atrações históricas e culturais da cidade, o ecoturismo de Tiradentes, privilegiado pela natureza rica que mistura Mata Atlântica e Cerrado, supera as expectativas dos amantes de esportes de aventura. A região oferece de rapel a cavalgadas, até passeios de bike e UTV-off-road. Mas o destaque fica mesmo pras inúmeras possibilidades de trekking, que se diferem pelo nível de dificuldade e pelo tempo de percurso. Uma das mais completas e bonitas é a Trilha das Sete Cachoeiras. Saindo de Tiradentes, a caminhada de nível médio leva cerca de 4 horas e passa por diversas quedas d'água pra se refrescar.


Queijos da Ouro Canastra Q’Jaria

13h30

Degustação de queijos e cachaças

Em Minas, nunca é cedo demais para comer um bom queijo artesanal. Se for acompanhado de cachaça então, fica melhor ainda. A Ouro Canastra Q’Jaria é especialista no assunto e oferece degustações harmonizadas – individuais ou em grupo – que vão dos queijos mais suaves, como o canastra e o de cabra, até os mais fortes e maturados de fazendas da região. Pra quem torce o nariz quando pensa em cachaça, a experiência pode ser feita com vinho. A casa também vende outras iguarias mineiras, como café, mel, manteigas e doce de leite na lata. A maioria deles feita por pequenos produtores.


A designer Daniela Karam

16h

Visita aos ateliês de artistas brasileiros

A prova de que Tiradentes alimenta a alma de qualquer artista que pousa por lá é a infinidade de ateliês de designers e artesãos brasileiros escondidos em suas vielas. São tantas as opções de artesanatos, móveis rústicos e cerâmicas, que a cidade até ganhou uma rota pensada nos apreciadores de arte. Na rua Direita, por exemplo, vale um pulo para o conhecer o trabalho delicado da designer de superfície Daniela Karam. Suas estampas coloridas dão vida à almofadas, cadernos, roupas e artigos de decoração. Todos os produtos expostos são feitos em pequena escala, sem pressa e respeitando o tempo de cada pessoa que trabalha com ela. A poucos passos dali fica a loja Ligno Vitaee, que trabalha com aromaterapia e óleos essenciais naturais.


Prato principal do restaurante Tragaluz

19h

Jantar no restaurante Tragaluz

Um charmoso casarão de mais de 300 anos cuidadosamente restaurado abriga um dos restaurantes mais concorridos da cidade. Jantar no Tragaluz é desfrutar de uma viagem gastronômica num ambiente rústico à luz de velas. Entre os pratos em destaque está a costela bovina desossada com gnocci de ora-pro-nóbis, e a famosa Goiabada Tragaluz, sobremesa com goiabada prensada na castanha de caju, frita na manteiga e servida em cama de catupiry e sorvete – foi notícia até no The New York Times.


Dia 03

10h

Manhã na piscina do Solar da Serra

Depois de caminhar bastante pela região, o terceiro dia pede uma manhã mais relax. Com borda infinita, a piscina da Pousada Solar da Serra é o point perfeito para tomar sol enquanto observa a cadeia montanhosa da Serra de São José e a vista que mira para a cidade. Além da sofisticada área externa - que conta até com jacuzzi -, a hospedagem serve aquele café da manhã típico mineiro para acompanhar. Tem desde pão de queijo quentinho e broa caseira, até bolos, frutas e sucos.


Restaurante tailandês Uaithai

12h30

Almoço para todos os paladares

Apesar da mineiridade sólida e enraizada, Tiradentes carrega pedaços do mundo em seus restaurantes, oferecendo opções para os mais diversos gostos. Se a vontade for tacos, burritos e quesadillas, almoce no CasaAzul Bistrô, que traz novas interpretações da culinária mexicana. Mas se o estômago pedir receitas agridoces e picantes, vá sem medo ao UaiThai, que mistura com maestria sabores tailandeses e mineiro. Os vegetarianos também comem bem por lá, já que grande parte dos estabelecimentos servem pratos saborosos sem carne. O Cultivo, porém, é o único lugar 100% vegetariano. A moqueca de banana-da-terra e as entradinhas são irresistíveis.


Produtos da Marcas Mineiras

15h

Compras nas Marcas Mineiras

Antes de juntar as malas no carro e seguir viagem de volta, vale dar uma passada numa das lojas mais charmosas do centro, as Marcas Mineiras. O espaço, que conta com sete parceiros locais, expõe seus produtos em ambientes-modelo. Aromatizadores e peças de cama, mesa e banho, por exemplo, estão posicionados na seção do banheiro e quarto. Logo a frente, tem também uma mercearia muito parecida com aquelas típicas mineiras, com algumas comidas de empório e utensílios para cozinha. Nas parte dos fundos, o jardim abriga um café amplo com opções de bolos e quitutes caseiros para degustar. Tire um tempo e peça seu último café coado de Tiradentes por lá. Pelo menos por enquanto. Provavelmente você vai querer visitar a cidade outras vezes.