Places

54 horas em Praga: o mapa alternativo do verão na capital da República Tcheca

Por Adriana Setti -

Os que padecem de invernos longos sabem melhor do que ninguém como dar o devido valor ao sol. É por isso que, em Praga, cada dia quente é celebrado com a euforia de uma ocasião especial. Para quem gosta de viver ao ar livre, setembro é a melhor época do ano pra estar na cidade. No mês menos chuvoso do verão da capital, os tchecos lotam os seus parques, jardins e beer gardens, onde se empenham em fazer com que a República Tcheca continue sendo o país com maior consumo de cerveja per capita do mundo (além de exímio produtor da bebida).

Sob o céu azul, Praga perde seu ar ligeiramente sombrio e fica ainda melhor para ser conhecida a pé, seja para fazer uma peregrinação pelos pontos turísticos (concentrados entre os bairros de Staré Město, Nové Město, Malá Strana e Distrito do Castelo), seja pra conhecer a cidade além dos (lindos) clichês da Ponte Carlos e da Old Town Square.

DIA 1

Cerveja(s) no Dva Kohouti | Foto: Reprodução/Facebook

18h

Pôr do sol com os locais

A ladeira de grama do Riegrovy Sady (na foto que abre este post) é onde os locais curtem o pôr do sol, com direito à silhueta do castelo de Praga estampada no horizonte (mas a uma distância segura das multidões de turistas). O parque também é um bom começo pra conhecer o bairro alternativo de Žižkov, onde fica a esquisitíssima torre de TV homônima, “adornada” pelos bebês gigantes do escultor David Černý, o maior ícone da arte contemporânea tcheca.

21h

Três dedos de colarinho

Vizinho ao Žižkov, o bairro do Karlín é hipster até o último fio de barba. Um dos lugares que melhor encarna a cena local é a Dva Kohouti (foto acima), cervejaria artesanal que elabora a lager da casa de manhã pra servir à tarde, fresquinha. Já no começo da noite, todos os caminhos levam ao animadíssimo pátio ao ar livre, onde rolam DJs e música ao vivo. Assim como em todo pivobar tcheco, as mesonas de madeira são compartilhadas entre desconhecidos. A cada Na zdraví! (saúde), aumentam as chances de socializar – um esporte radical no Leste Europeu. Encha o seu canecão (com três dedos de colarinho, pra não destoar) e, pra forrar estômago, caia de cabeça nas salsichas e hambúrgueres das barraquinhas de street food.

DIA 2

Farmer's market no calçadão de Naplavka | Foto: © Prague City Tourism

9h

Street food à beira do rio

Reformado recentemente, o trecho da margem do rio Moldava na altura da ponte Jiráskův – e da Casa Dançante projetada pelo arquiteto Frank Gehry – é uma grande festa no verão. Conhecido como Naplavka, o calçadão é palco de eventos que vão de shows a feirinhas, passando por festivais de cerveja/vinho e cinema. Se estiver em Praga num sábado, aproveite pra tomar café da manhã no mercado que reúne produtores dos arredores da cidade. Confira a programação no site oficial: prazskenaplavky.cz

11h

Quem não tem praia vai de rio

As ilhas do rio Moldava são universos à parte dentro da cidade, ideais para um respiro. A mais famosa é Kampa, endereço do Museum Kampa, de arte contemporânea, cuja comissão de frente é uma fila de pinguins amarelos (foto) do coletivo Cracking Art. Bem na frente de Kampa, ainda mais relax, a Shooter's Island tem um lindo parque com acesso pela ponte Legií, onde um barco-bar vende pivo geladinha. Pra se jogar na água – ainda que não literalmente – dá pra alugar um pedalinho em forma de carro retrô na Slovanka, ou embarcar no Wine Boat, que inclui degustação de vinhos tchecos.

14h

Santa cerveja

Pegue o bonde 22 e toque para o mosteiro de Břevnov. Ainda que os monges residentes já não estejam à frente da produção, esta instituição fundada no ano 993 se gaba de ter a cervejaria mais antiga da República Tcheca – e a qualidade faz jus aos séculos de experiência. A cervejaria fica bem ao lado do magnífico mosteiro em estilo barroco, com mesas espalhadas pelo jardim. Serve boa comida típica tcheca, com destaque para o steak tartar.

Kasarna Karlín Prague
O pátio do Kasarna Karlín se transforma cinema open-air nas noites de verão | Foto: Divulgação

18h

Cineminha ao ar livre

A programação é o que menos importa. No verão de Praga, os cinemas ao ar livre são pretextos para ver gente. Um dos mais concorridos da cidade tem sessões três vezes por semana no pátio interno do centro cultural Kasarna Karlín, onde também rola vôlei “de praia” no fim da tarde.

21h

Uma rua pra resolver a noite

Dlouhá: guarde o nome desta rua, que quer dizer “longa” em tcheco, já sinalizando como será a sua noite. Ali estão alguns dos restaurantes mais badalados da cidade, como o Lokal, releitura moderna de uma taverna tcheca, e o Naše maso, mix de açougue e meat bar para enfartar qualquer vegano. Pra mais tarde, suas possibilidades vão do Bokovka, wine bar escondidinho no fundo de um pátio interno, ao NoD, fusão de balada e galeria experimental onde rola de teatro a cinema, passando por exposições. O espaço é um anexo do infalível Roxy, que recebe DJs do circuito internacional.

DIA 3

O salão onde é servido o brunch no Eska | Foto: Divulgação

11h

Brunch pra ressuscitar

Depois de uma noitada à moda tcheca, recupere as funções vitais com um brunch no Eska, mais um bom lugar ara sentir a atmosfera do bairro do Karlín. Com visual industrial e janelões de vidro, reúne restaurante, café, padaria artesanal e empório num lugar só.

12h

Um lugar ao sol

Abertos de abril a outubro, os jardins do bairro de Malá Strana são a mais pura propaganda de margarina, com canteiros impecáveis, laguinhos, fontes e muitas criancinhas loiras correndo pra lá e pra cá. Comece pelo Wallenstein, onde rolam concertos de música clássica no verão. Quase vizinho, o Voyan é o mais antigo da cidade e tem vista do castelo. Entre uma coisa e outra, tome fôlego para enfrentar a fila da Angelato, melhor sorveteria da cidade.

14h

O outro castelo

Enquanto milhares de pessoas fazem fila para entrar no castelo de Praga, procure a sua turma na a fortaleza de Vysehrad, uma das atrações mais subvalorizadas da cidade. Depois de perambular pela parte histórica, procure o Hospůdka Na Hradbách, um segredo guardado pelos locais. Bem mais fácil do que pronunciar o nome deste beer garden é ficar apaixonado por ele: serve meio litro de Pilsner Urquell por CZK 39 (€ 1,5, na cotação do dia 13/9/2019), com uma vista espetacular de Praga. Aproveite para almoçar na barraquinha que vende churrasco no pão.

Stalin Containnall Prague
Escadarias lotadas do Stalin Containnall | Foto: Divulgação

19h

As pontes do rio de Praga

Não dá pra passar pela cidade sem tomar uma no mítico beer garden do parque Letná, o Ibirapuera de Praga. Mas a vista é ainda mais bela do vizinho Stalin Containnall, que enquadra um ângulo com várias pontes enfileiradas no rio Moldava. Mistura de bar e centro cultural, organiza vários eventos os pés do Prague Metronom, monumento bizarro que simboliza os tempos pós-comunismo, no mesmo lugar que já abrigou um memorial em homenagem a Stalin. A programação é eclética como o público: DJs, música ao vivo, teatro, cinema ao ar livre... Tudo na faixa.